Nathalie’s Royal Enfield Classic 500 EFI by Baak

O preparador francês concebeu esta Scrambler encantadora que prima pela sua agilidade e facilidade de condução.

andardemoto.pt @ 26-3-2020 16:10:49

A Baak Motocyclettes é uma empresa francesa, sediada em Lyon, especializada no design e manufactura de motos exclusivas. O trunfo desta empresa fundada em 2012 por Rémi Reguin é a sua equipa de 13 artesãos apaixonados por motos e pela sua arte, que cria máquinas de inspiração clássica e estética intemporal com base em processos e materiais modernos e tecnologicamente avançados.

Já tivemos oportunidade de, ao longo dos anos, apresentar nestas páginas algumas das suas criações, como foi o caso, por exemplo, de uma das motos em exposição no stand oficial da Royal Enfield no último salão de Milão - EICMA 2019

Especializados nas marcas Triumph, Moto Guzzi, Royal Enfield e BMW RNineT (clique nos links para ver mais trabalhos da Baak) produzem motos por encomenda além de venderem, tanto na sua loja física como no seu site oficial, peças que podem ser instaladas directamente pelos seus clientes nas respectivas motos.

Voltando à moto que aqui lhe apresentamos, ela foi uma encomenda de um filho (já cliente da Baak) para a sua mãe, Nathalie, que pretendia uma moto leve e ágil, que lhe recordasse as antigas motos de trial, pela sua agilidade fora de estrada e pela sua leveza e facilidade de condução.

Para a Baak nem sequer existiram dúvidas sobre o facto de uma Royal Enfield Classic 500 EFI ser a base ideal para tal projecto, devido ao seu elevado potencial e fiabilidade.



O trabalho começou pelo quadro, que, depois de devidamente reforçado, foi um dos principais responsáveis pela grande cura de emagrecimento. Afinal, a moto que originalmente pesava cerca de 188kg, passou a pesar apenas 155kg depois da modificação.
O braço oscilante também foi sujeito a uma intervenção, tendo o seu comprimento sido aumentado. Os amortecedores traseiros também foram substituídos por unidades ajustáveis, e as jantes de 18 polegadas, em alumínio, receberam pneus cardados.

A direcção conta agora com “T’s” maquinados e um guiador largo, ao estilo “flat track” cromado que tem instaladas manetes também em alumínio, comandos personalizados,  espelhos retrovisores mais pequenos e punhos Biltwell Thruster.

Por cima do novo farol Bates, cujos suportes também foram modificados, pode ver-se agora um velocímetro minimalista da Motogadget. Os guarda-lamas “scrambler” a protecção do cárter, assim como as protecção do motor e o depósito de combustível em alumínio, com tampa tipo Monza, foram fabricados também pela Baak.

O assento “solo” tem um revestimento em cabedal castanho, que contrasta com a cor escolhida para o acabamento final, que foi o azul Indian Air Force Blue.


No que ao motor diz respeito, a Baak não se poupou a esforços para tornar o caráter do monocilindro ainda mais forte, por isso recorreu a um kit de alta compressão e a uma linha de escape elevada, completamente fabricada à medida.

A caixa de ar foi suprimida, e o motor de 500cc respira agora através de um filtro de competição.

A completar o conjunto, podem ver-se ainda os poisa-pés em alumínio, os pisca-piscas pequenos em LED, os foles da forquilha em silicone e a mala lateral em cabedal.
Assim a Nathalie tem agora uma moto exclusiva, perfeita para poder aventurar-se pelos campos e pelos trilhos mais difíceis.




andardemoto.pt @ 26-3-2020 16:10:49


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews