Uma nova MV Agusta F4? Só daqui a cinco anos!

Quem o diz é o CEO da MV Agusta. Timur Sardarov pretende que a marca italiana se foque nas motos de baixa cilindrada e só depois apresentará uma nova superbike F4.

andardemoto.pt @ 30-5-2020 12:25:05

Conhecida pelas suas motos de elevadas prestações, a MV Agusta, desde que Timur Sardarov tomou conta dos destinos da empresa, está a sofrer uma verdadeira revolução no plano estratégico.

O CEO da MV Agusta pretende que a marca italiana se reinvente como negócio. Principalmente em termos de resultados financeiros, que têm sido um problema que a casa de Varese parece não conseguir resolver desde há vários anos.

Timur Sardarov pretende maximizar a parceria com os chineses da Loncin. Serão eles os responsáveis pela produção de novos modelos de baixa cilindrada com o “branding” MV Agusta. Sardarov afirma que “Não podemos produzir essas motos na Europa pois não seríamos competitivos”, encontrando assim uma justificação para levar a produção das pequenas MV para a China.

Uma decisão que não surpreende. Afinal, hoje em dia muitos fabricantes aproveitam os acordos de parceria com grupos e marcas asiáticas para produção de motos de menor cilindrada. Só assim conseguem colocar no mercado esse tipo de motos a preços competitivos.



Mas Timur Sardarov não se esquece da icónica F4.

Se é verdade que atualmente a F4 está já ultrapassada em termos de performance pelas rivais do segmento, mesmo mantendo-se como uma das superdesportivas mais belas do mercado, também não nos podemos esquecer que a F4 é a moto que serve para a MV Agusta mostrar ao mundo tudo aquilo que consegue fazer.

A plataforma F4 foi descontinuada, e com a entrada em vigor de novas normas Euro 5, não deveremos esperar uma nova F4 em breve.

Aliás, Timur Sardarov diz mesmo que só depois da marca italiana encontrar uma posição consolidada noutros segmentos e cilindradas mais baixas, só então é que se irá concentrar numa nova geração da F4.

E quando é que vamos ver uma nova MV Agusta F4?

Só daqui a cinco anos. Pelo menos.

Isto significa que a MV Agusta vai deixar passar pelo menos uma geração do segmento de superdesportivas, antes de mostrar a nova F4. Cinco anos é um prazo bastante alargado tendo em conta a vida útil de uma superdesportiva. E tendo em conta a evolução das tecnologias, quem sabe se não teremos uma nova F4 com motorização elétrica.

andardemoto.pt @ 30-5-2020 12:25:05


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews