As vendas de motos estão más? CEO da KTM diz que não!

Stefan Pierer afirma que a sua marca geriu bem a situação de pandemia, e como resultado a venda de motos poderá ser melhor do que o esperado. A KTM até contratou mais quarenta trabalhadores.

andardemoto.pt @ 12-6-2020 12:00:22

O cenário de catástrofe que o setor das duas rodas europeu sentiu ao longo dos meses mais críticos da pandemia Covid-19, parece estar afastado. Os números de vendas de motos na Europa baixaram significativamente, e Portugal não foi exceção.

A situação é de tal forma grave que várias organizações, como por exemplo a ACEM, pediram à União Europeia que permitisse a comercialização de motos Euro4 ainda durante 2021.

Mas, aparentemente, nem todas as marcas estão a sentir os efeitos da pandemia da mesma forma. Pelo menos é isso que podemos entender das palavras do CEO da KTM, Stefan Pierer, que concedeu uma entrevista ao Le Repair des Motards.

Leia também - ACEM pede à União Europeia ajuda para a indústria das duas rodas



De acordo com o carismático líder da KTM, a marca austríaca poderá vir a registar mais vendas do que as esperadas devido ao vírus!

Pierer afirma que “Estamos numa situação favorável comparando com a indústria automóvel ou aviação, que estão num pesadelo. Felizmente para nós, a indústria do motociclismo está, até certo ponto, a prosperar neste período pós Covid”.

O CEO da KTM mostra-se bastante satisfeito como a casa de Mattighofen lidou com a pandemia. Stefan Pierer acredita que o facto da KTM ser um marca global, e principalmente com ligações a países asiáticos, que isso lhes permitiu antecipar a tomada de certas decisões estratégicas.

Por exemplo, Pierer afirma que a paragem da produção a meio de março já estava prevista, pois já tinham identificado problemas ao nível de fornecedores.



Ao contrário do que seria de esperar numa situação de crise como a que o mundo vive, a KTM não entrou em lay-off, e também não sentiu necessidade de entrar numa lógica de despedimentos. Pelo contrário! A KTM inclusivamente contratou mais quarenta trabalhadores para a sede da empresa em Mattighofen.

Mas como é que a KTM está a sentir efeitos, aparentemente, positivos numa situação de crise que afeta o mundo inteiro?

Stefan Pierer tem uma explicação: “Gastando menos de 10.000 euros, uma pessoa pode escapar do Coronavírus em qualquer momento, pode andar sozinho sem se preocupar com a distância social, pode abandonar os riscos da densidade urbana e visitar as áreas rurais, sempre com a melhor proteção usando o capacete. Esta é a razão pela qual estamos a sentir uma enorme procura nos nossos modelos de off-road”, citando o mercado americano como o principal exemplo.

Tendo em conta as palavras otimistas de Stefan Pierer, podemos acreditar que o setor das duas rodas poderá encontrar uma forma de até melhorar os seus resultados ao nível do número de motos vendidas.

Por exemplo, através de campanhas que mostrem como as motos são um ótimo meio para as pessoas se deslocarem nas cidades, acessível em termos de custos de aquisição e manutenção, sem correr riscos relacionados com a distância social.

andardemoto.pt @ 12-6-2020 12:00:22


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews