Yamaha MT-09 – A hyper naked japonesa ganha novo motor e mais tecnologia para 2021

A moto que transformou por completo a Yamaha no século XXI acaba de sofrer aquela que é a sua mais profunda renovação. A nova MT-09 de 2021 ganha um novo motor mais potente, mais tecnologia e ainda perde peso. Descubra a nova geração da original “Masters of Torque” aqui!

andardemoto.pt @ 27-10-2020 19:25:47

Com a Yamaha a não conseguir evitar que algumas imagens da nova geração de 2021 da MT-09 chegassem a público, o fabricante japonês reagiu rapidamente ao acontecimento e tratou de divulgar, finalmente, todos os dados da nova geração da moto que deu início à explosiva gama MT – Masters of Torque.

Para o próximo ano a MT-09 estará disponível com uma imagem profundamente renovada, tal como o seu motor, mas também a nível tecnológico encontramos nesta que será a terceira geração do modelo mais ajudas à condução, enquanto toda a dinâmica desta hyper naked de Iwata é recriada com a utilização de novos componentes de ciclística que a tornam novamente numa das candidatas ao trono do segmento naked de média cilindrada.

Chegada ao mercado em 2013, a então radical MT-09 tornou-se rapidamente num caso de enorme sucesso mundial, mas principalmente na Europa, onde os motociclistas descobriram e aplaudiram a performance do motor tricilíndrico, o design arrojado, mas também o preço extremamente competitivo desta Yamaha.


Para se ter uma ideia do que representa a MT-09 para a Yamaha, visto ter sido o modelo que deu início à família MT – Masters of Torque e às diferentes variantes, podemos dizer que desde 2013 e até ao momento os modelos MT (desde a 125 cc até à mais poderosa MT-10) renderam à Yamaha vendas superiores a 250.000 unidades só na Europa!

Um sucesso que em 2021 tem tudo para continuar visto a nova MT-09 reforçar, claramente, muitos dos seus melhores argumentos e que a tornaram numa das motos mais entusiasmantes do mercado.

O novo motor tricilíndrico não apenas cumpre com as normas Euro5, como também vê a sua cilindrada aumentar dos anteriores 847 cc para os 889 cc. Um aumento de cilindrada que permitiu aos engenheiros da marca de Iwata redefinir a performance deste motor. A potência sobe agora para os 119 cv às 10.000 rpm, mas o mais relevante é que o binário passa para 93 Nm disponíveis às 7.000 rpm. Isto significa que o condutor terá a possibilidade de usufruir de mais força a rotações mais baixas, mais precisamente 1500 rpm abaixo em comparação com o motor da atual geração Euro4.


Praticamente todos os componentes principais do motor são novos, incluindo os pistões, as bielas, as árvores de cames e o cárter. Mas, apesar da maior capacidade e do maior débito de potência, o motor de 2021, incluindo o novo escape, é 1700 g mais leve do que o design atual.

Para ajudar na obtenção de novas performances a Yamaha redesenhou por completo o sistema de alimentação. A injeção conta com injetores diretamente montados na cabeça do cilindro, um reposicionamento que permite obter uma melhor atomização do combustível durante a fase de injeção, conseguindo assim mais eficiência e menor poluição. A Yamaha chega mesmo ao ponto de assumir que este motor Euro5 é 9% mais eficiente no consumo de combustível do que a atual geração MT-09 Euro4.

O motor é agora controlado por um acelerador “ride-by-wire” de última geração. Um sistema diretamente retirado da superbike R1 e R1M, que permite que o condutor sinta de forma mais natural o controlo sobre a potência e binário disponível, para uma condução verdadeiramente emocionante.



A admissão proporciona uma sonoridade mais vincada. Isto foi conseguido graças à utilização de novas condutas de admissão de comprimento diferenciado entre si, enquanto a caixa de ar de maiores dimensões garante que o motor recebe maior quantidade de oxigénio.

No lado do escape, a saída dos gases de escape acontece agora através de coletores de desenho diferenciado, com curvaturas específicas, e fabricados em inox.

A embraiagem foi também alvo de algumas modificações. A nova MT-09 conta com uma embraiagem do tipo “Assist & Slip”, a relação das duas primeiras relações de caixa é mais alta para maximizar os arranques e trocas de caixa rápidas, em que o sistema “quickshift” permite trocar de caixa sem usar a embraiagem.


O quadro que agrega todos os componentes da nova Yamaha MT-09 mantém a sua configuração de dupla trave. O famoso Deltabox foi no entanto alvo de significativas alterações, com a Yamaha a utilizar um processo de fabrico CF – enchimento controlado, que permite produzir traves em alumínio que para além de serem resistentes, são também muito mais leves. O mesmo processo de fabrico foi aplicado ao novo braço oscilante.

Para melhorar a agilidade e manobrabilidade da MT-09, a Yamaha redefiniu os parâmetros de rigidez torsional, longitudinal e lateral do quadro. O aumento da rigidez lateral em 50% é, de acordo com a Yamaha, um dos “culpados” pela melhoria na estabilidade em linha reta.

Para garantir que o condutor obtém um “feedback” mais preciso, a frente da MT-09, mais precisamente a coluna de direção, foi rebaixada em 30 mm. Com mais peso a ser colocado na roda dianteira o condutor sente-se mais “colado” ao asfalto.

Com uma posição de condução típica dos modelos naked, com o guiador alto e largo a garantir o controlo mais dominante sobre a dianteira da moto, a Yamaha removeu por completo as carenagens laterais da MT-09, que, diga-se, já eram praticamente inexistentes. Agora a única carenagem que podemos encontrar é a frontal, ou melhor, um pequeno frontal que inclui uma ótica central e duas filas de LEDs diurnos, para uma assinatura luminosa que destaca a MT-09 do que existe no mercado.


Com uma aparência musculada e enfatizada pelo depósito de combustível de linhas orgânicas e volumosas, a MT-09 destaca-se pelo seu menor peso: 189 kg a cheio, um peso que é 4 kg menor do que a atual geração.

A nível da tecnologia, e fruto da utilização de uma unidade de medição de inércia de 6 eixos, derivada dos modelos R da Yamaha, a nova MT-09 conta com várias ajudas à condução: controlo de tração TCS ajustável em três níveis, controlo de deslizamento lateral da roda traseira SCS, sistema LIF que evita o levantar da roda dianteira em aceleração, ou ainda o ajuste do efeito travão motor, que funciona em conjunto com o sistema de ABS, que por sua vez modula de forma independente a pressão do travão dianteiro e traseiro.

Tudo isto é controlado de forma intuitiva através de um painel de instrumentos TFT a cores, com 3,5 polegadas.

Na ciclística não podemos deixar ainda de destacar as novas jantes fabricadas com recurso a um novo processo de forja por rotação. As jantes são aquecidas e rodadas a alta velocidade, enquanto é aplicada pressão através de rolos às jantes para reduzir a sua espessura até apenas 2 mm, mantendo a enorme resistência.



Qualquer poupança de peso nas jantes dá uma vantagem de performance imediata, algo que é notório quando se trata de peso não suspenso, onde mesmo a menor redução contribui significativamente para a melhoria da manobrabilidade, direção e suspensão. As novas jantes Spin Forged dianteira e traseira são 700 g mais leves. Isto permitiu reduzir o momento de inércia giroscópica das jantes, com uma redução significativa de 11% na jante traseira.

Por último, as suspensões.

Um dos pontos que alguns motociclistas apontavam como sendo menos positivo na MT-09 tem tudo para ser corrigido nesta nova geração. Tudo porque a Yamaha optou por instalar uma forquilha Kayaba “premium”, totalmente ajustável. Na traseira encontramos um amortecedor da mesma marca, fixo a bielas de desenho revisto. Tanto no eixo dianteiro como traseiro a Yamaha reviu por completo as afinações de fábrica para adaptar as mesmas à performance do novo motor.

Estes são os destaque técnicos da Yamaha MT-09 de 2021


- Novo motor DOHC EU5 de 889 cc e 3 cilindros em linha de 12 válvulas com refrigeração líquida
- Mais potência em todos os regimes do motor
- Aumento de 7% no binário máximo a baixas rotações
- Aumento de 4 cv na potência máxima
- Novo quadro Deltabox de alumínio fundido, com menos 2,3 kg
- Menor peso a cheio de 189 kg: redução de 4 kg
- Menor distância entre eixos para uma manobrabilidade mais dinâmica
- Novo braço oscilante leve em alumínio
- Estilo apelativo e naked "sem cobertura" na nova geração MT
- Qualidade superior, com acabamento do quadro em Crystal Graphite
- Iluminação integralmente em LED com a icónica dianteira e traseira em Y
- Novo sistema QuickShift com funções de engates de mudanças superiores e inferiores
- Embraiagem A&S melhorada
- Nova Unidade IMU de 6 eixos leve e compacta
- Ajudas à condução sensíveis à inclinação: TCS, SCS e LIFt com três modos de intervenção
ABS e sistema de controlo de travão (BC)
- Modos de funcionamento do motor D-MODE
- Novas jantes Spin Forged ultraleves de 17 polegadas e 10 raios
- Pneu traseiro de 180/70-17 de grande dimensão e pneu dianteiro de 120/70-17
- Suspensão dianteira USD de 41 mm KYB totalmente ajustáveis com definições revistas
- Amortecedor traseiro KYB ajustável com definições revistas
- Instrumentos TFT de 3,5 polegadas a cores com interruptor remoto no guiador
- Bomba principal dianteira radial, discos dianteiros duplos de 298 mm

A nova MT-09 estará disponível em três cores: Storm Fluo, Icon Blue e Tech Black. As entregas aos concessionários na Europa começarão em março de 2021. E quanto a preço, o seu Andar de Moto não tem ainda esta informação. Estamos à espera de confirmação por parte da Yamaha Portugal, e assim que a tivermos iremos atualizar este artigo.

Galeria de fotos Yamaha MT-09 de 2021

andardemoto.pt @ 27-10-2020 19:25:47


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews