Entrevista a Ferran Carreras – Diretor Geral da Motul Ibérica

A Motul Ibérica é liderada por Ferran Carreras. E por isso nada melhor do que falarmos com ele para ficarmos a conhecer melhor o fabricante que disponibiliza no mercado muito mais do que apenas óleos de motor para motos.

andardemoto.pt @ 11-11-2020 14:02:03 - Texto: Bruno Gomes

Com uma presença bastante forte no mundo da competição, a Motul também aposta forte no mercado dos lubrificantes para as motos do nosso quotidiano.

A diversificada gama de produtos não apresenta apenas soluções ao nível dos óleos de motor. A Motul tem vindo a diversificar-se e a abranger outras áreas ligadas ao mundo das duas rodas, produtos que nos permitem manter e cuidar das motos, como por exemplo o Motul Pack Chain, ou os produtos de limpeza.

E não é apenas para as motos que a Motul apresenta soluções e produtos inovadores! Para os motociclistas e respetivos equipamentos, encontramos na gama deste fabricante propostas como o Motul Pack Helmet, um conjunto de produtos que garante que o seu capacete fica limpo e mantém as suas características por mais tempo.

Para ficarmos a conhecer melhor a Motul e a sabermos o que torna esta marca tão relevante para o motociclismo, bem como o que pode vir a ser no futuro e como vai responder às necessidades do mercado em tempos tão conturbados como os que vivemos, o Andar de Moto teve a oportunidade de entrevistar Ferran Carreras, Diretor Geral da Motul Ibérica.

Leia aqui a nossa entrevista exclusiva!

Andar de Moto – Portugal e Espanha partilham muitas coisas, mas ao mesmo tempo sabemos que têm formas muito diferentes de ver o motociclismo. Sendo o responsável por ambos os mercados ibéricos, quais são as diferenças que encontra entre Portugal e Espanha?

Ferran Carreras –
Tanto Portugal como Espanha são países com uma grande paixão pelo motociclismo. Para nós, a grande diferença está na utilização da scooter como veículo de transporte diário nas grande cidades de Espanha por comparação com Portugal, que ainda não alcançou esta dinâmica que podemos ver noutros países da União Europeia (França, Itália, Alemanha, etc).

AdM – Considerando as dimensões do país, qual é a importância de Portugal para a Motul?

Ferran Carreras –
Para a Motul, Portugal é um país de grande importância dentro da nossa estratégia de futuro para a Península Ibérica. Vamos manter a nossa aposta de valor baseada na qualidade dos produtos e na política comercial.

AdM – Sendo a Motul uma das principais marcas de lubrificantes, acredita que os portugueses necessitam de produtos diferenciados e específicos?

Ferran Carreras –
Como em muitos países da União Europeia, os requisitos de lubrificantes para Portugal são os mesmos. As marcas de motos e os veículos que se comercializam são os mesmos em todos os países, e por isso o parque circulante de motos em Portugal não necessita de qualquer requisito diferenciado.

AdM – O ano de 2020 tem sido particularmente atípico. Como analisa a performance da Motul Ibérica este ano, e como é que uma empresa pode reagir perante uma situação destas?

Ferran Carreras –
Na Motul centrámo-nos em transmitir confiança, seriedade e apoio a todos os nossos clientes, com o objetivo de aumentar a nossa capacidade de adaptação e flexibilidade organizativa à volta de um ambiente tão dinâmico.

Queremos acompanhar e estar perto dos nossos clientes e distribuidores para assim podermos disponibilizar a melhor oferta, garantindo que cobrimos todas as necessidades do consumidor final. Um claro exemplo disso são os cursos de formação online, focados em conteúdos técnicos sobre a lubrificação, para o mundo automóvel e das motos. Também dispomos de um serviço de assistência SAT (apoio telefónico e por e-mail) para ajudar a resolver as dúvidas e proporcionar uma assessoria personalizada.



AdM – Olhando para a estratégia que a Motul Ibérica adotou para enfrentar 2020, pensa que existe alguma coisa que poderiam ter feito de forma diferente?

Ferran Carreras –
Acreditamos, sinceramente, que fizemos tudo o que poderia ser feito para enfrentar este ano tão duro, e estamos muito satisfeitos com os resultados. Vamos continuar com o mesmo empenho a ajudar os nossos clientes, e notamos todos os dias que os nossos clientes estão cada vez mais satisfeitos com as nossas decisões, já que nos apoiam e ajudam a manter um negócio estável e sustentável no tempo.


AdM – A crise que vivemos poderá ter atrasado a chegada de novos produtos Motul, ou o plano de lançamento decorreu como previsto?

Ferran Carreras –
A Motul trabalha constantemente para melhorar a sua gama e desenvolver novos produtos em função das necessidades do mercado. Dado que a criação, formulação ou homologação de um produto não é um trabalho rápido, e exige muitos testes, a Motul continua a trabalhar para melhorar os seus produtos e na produção de outros, novos, para manter a sua oferta e cobrir as necessidades que surgiram nos últimos tempos. De momento não fomos obrigados a atrasar o lançamento de nenhum produto.

AdM – Sendo o futuro algo tão incerto, qual é a estratégia definida pela Motul para o mercado português? Pensam estar mais presentes em eventos ou competições em Portugal?

Ferran Carreras –
Vamos continuar a manter a nossa estratégia para este mercado, e continuaremos a oferecer as melhores ações comerciais e a disponibilizar os melhores serviços possíveis, adaptando-nos o mais rapidamente possível a um ambiente tão dinâmico como o que temos atualmente, com a ambição de cobrir as necessidades dos clientes em Portugal.

Outro dos nosso objetivos é aumentar a nossa visibilidade nos canais B2B, para além de desenvolver outras divisões para a indústria. A Motul sempre esteve presente em todos os eventos desportivos em Portugal, como os Grandes Prémios ou o Mundial Superbike. Infelizmente estamos num ano muito difícil e não nos estão a permitir realizar os eventos com os nossos clientes, pois são corridas à porta fechada e sem público.

AdM – Recordo-me que em abril deste ano a Motul anunciou a criação de uma formação online gratuita. Este foco nos consumidores é algo que dá resultados? Acredita que fornecer informações técnicas permite aos consumidores entender os benefícios dos produtos Motul?

Ferran Carreras –
Para a Motul, acompanhar e cobrir as necessidades específicas de cada cliente é fundamental. Ao disponibilizar serviços que melhoram o conhecimento sobre aspetos chave da lubrificação, conseguimos clientes melhor informados e formados, capazes de conseguir um melhor rendimento dos nossos produtos e serviços, e por isso ambas as partes saem a ganhar. Para além disto, também proporcionamos aos utilizadores a possibilidade de realizarem cursos personalizados, dando assim resposta às suas necessidades ou curiosidades sobre produtos específicos.


AdM – Embora o objetivo seja colocar à disposição dos clientes finais os melhores produtos, grande parte do desenvolvimento vem do mundo da competição. A Motul está presente em vários campeonatos. Como se traduz isso no desenvolvimento de novos produtos para o consumidor final?

Ferran Carreras –
Desde o início da marca, a Motul sempre baseou o desenvolvimento tecnológico dos seus produtos, nos avanços e necessidades das equipas de competição de que a marca era patrocinadora ou parceiro estratégico, proporcionando melhoria do rendimento dos motores de alta tecnologia.

Desta forma, o mundo da competição converte-se num laboratório tecnológico para a Motul, já que submete os seus produtos às condições mais extremas. Graças a este investimento na Pesquisa e Desenvolvimento, conseguimos obter melhores soluções de lubrificação, disponibilizando assim produtos excelentes aos motociclistas.

Transportamos todos os nossos conhecimentos da competição para os produtos de uso diário para podermos cobrir as necessidades do mercado tanto ao nível da lubrificação, mas também ao nível dos produtos de manutenção dos veículos.

AdM – Quais são as tecnologias que a Motul utiliza para garantir o máximo rendimento e proteção do motor da moto?

Ferran Carreras –
Trabalhamos constantemente na melhoria do rendimento dos nossos lubrificantes. Na Motul desenvolvemos a nossa própria tecnologia de Ésteres, e procuramos sempre a melhor combinação de bases e aditivos para qualquer lubrificante. Usamos tecnologias distintas para cada lubrificante de acordo com as necessidades e especificações dos fabricantes de motos.

Desde a tecnologia Ester Core que combina uma cuidadosa seleção de ésteres com uma seleção de óleos sintéticos de elevada qualidade, aditivos criados para o mundo da competição, até à gama de ésteres selecionados para os lubrificantes para motos de utilização quotidiana.

Com estas novas tecnologias, procuramos melhorar o rendimento através de uma fricção interna reduzida, proporcionando uma elevada resistência a temperaturas elevadas e pressão de óleo estável, maior proteção graças a uma polaridade otimizada para uma aderência máxima da película de óleo e também um menor consumo de óleo devido aos lubrificantes sintéticos de baixa volatilidade.

A utilização desta tecnologia permitiu à Motul criar a nova geração de lubrificantes de competição, o que por sua vez oferece uma base técnica para a criação de lubrificantes standard que cumprem com todas as normas exigidas pelo mercado.



AdM – Também aproveitaram este ano para realizar uma renovação da imagem dos vossos produtos, com ícones que transmitem de forma mais clara as informações técnicas de cada produto. É assim tão importante esta interatividade com o consumidor e é por isso que começaram a usar os QR Code?

Ferran Carreras –
Na Motul apostamos numa comunicação clara das características e propriedades de cada um dos nossos produtos. Por isso temos melhorado a visibilidade dos benefícios do produto, da proteção e rendimento na etiqueta do produto.

Desta forma reforçamos a nossa orientação para ajudar o cliente a identificar a correta seleção e aplicação do produto correto para o seu veículo. Na Motul temos apostado na inovação com etiquetas dinâmicas, incluíndo o código QR que oferece ao cliente conteúdos diferentes, permitindo interagir com a marca, aceder à informação do produto, promoções exclusivas, pontos de venda, etc.

AdM – E qual é o lubrificante mais vendido em Portugal?

Ferran Carreras –
A nossa gama 100% sintética, mais precisamente o 7100, é o produto mais vendido em Portugal mas também em Espanha. A qualidade e amplitude dos nossos lubrificantes sintéticos permite cobrir as necessidades do parque circulante em Portugal. Disponibilizamos produtos com todas as garantias e requisitos dos principais fabricantes.

AdM – A entrada em vigor das normas Euro5 obrigou a Motul a desenvolver novos produtos?

Ferran Carreras –
Dispomos de uma gama diversificada que cumpre com as normativas Euro5, como a gama 7100 ou a 5100. A Motul sempre se regeu por contar com produtos que cumprem com as mais recentes normas do mercado, por exemplo a atualização da JASO 2016 que será obrigatória a partir de 2021.

As normas Euro2, Euro3, Euro4 e Euro5 estão perfeitamente cobertas pelos nossos lubrificantes para cumprir com as mais exigentes normas antipoluição.


AdM – E entretanto os fabricantes de motos apresentam motos com intervalos de manutenção cada vez mais alargados. Que tipo de desafios isso apresenta para um fabricante de lubrificantes como a Motul?

Ferran Carreras –
A nossa gama de produtos não serve apenas para lubrificar o motor, mas também para lubrificar todos os demais componentes mecânicos que deles necessitem como forquilhas, travões, caixas de velocidades ou embraiagens. P

ara além disso, temos uma gama ampla de lubrificantes, produtos para manutenção e cuidado da moto e do equipamento do motociclista. Também temos uma gama de aditivos para alargar a vida útil da moto e manter o rendimento elevado durante mais tempo. No fim, não disponibilizamos apenas óleo para o motor, mas sim uma variedade de produtos que conseguem mais proteção e melhor funcionamento de todas as partes da moto, e uma experiência melhor para os motociclistas.

AdM – As motos 100% elétricas estão a conquistar uma importante fatia do mercado. Poderá isso obrigar a Motul a reinventar-se enquanto fabricante de lubrificantes? Vê isso como uma ameaça?

Ferran Carreras –
A Motul sempre estará ao lado de qualquer motociclista, independentemente da tecnologia utilizada pela sua moto. Não vendemos apenas lubrificantes para o motor, mas temos todos os fluídos que uma moto possa precisar.

AdM – E seguindo a lógica ambiental, será que consegue explicar o que a Motul pode fazer para ajudar a evitar a contaminação do planeta? Existem programas de reciclagem de óleos usados?

Ferran Carreras –
A Motul foca-se muito na dimensão ambiental que tem o nosso negócio, tanto nas fases de formulação dos produtos como nos meios de gestão de resíduos colocados à disposição dos clientes em alguns mercados.

As nossas equipas de desenvolvimento técnico trabalham para desenvolver propostas inovadoras, desenvolvendo produtos ecológicos na sua formulação e utilização, mas sempre a manterem o mesmo rendimento ou, em alguns casos, melhorando até o rendimento. Neste sentido, preferimos usar produtos que provenientes de fontes vegetais renováveis, como os óleos à base de éster, em que somos especialistas.

Um exemplo disto é o lançamento do 300V2, formulado a partir de matérias primas renováveis não fósseis, reduzindo em 18% a pegada de carbono que deixamos durante o processo de fabrico. Com o desenvolvimento das formulações Eco Fuel conseguimos promover uma diminuição do combustível e das emissões. Além disso, também eliminámos os riscos de contaminação ao criar lubrificantes 100% biodegradáveis.

Desde meados dos anos 90, com ‘Grüne Dach’ na Alemanha, Eco Service em França e o Sigaus na Motul Ibérica, a Motul oferece aos seus clientes a possibilidade de delegarem a gestão dos resíduos resultantes das suas atividades.

A nossa gama de cuidado e manutenção da moto (Motul Care) contempla produtos que foram desenvolvidos para limpar a moto sem ser necessário usar água, fator que ajuda a resolver problemas do meio ambiente relacionados com a escassez da água. Ao mesmo tempo, tentamos facilitar que o cliente final possa usar e aplicar esta gama de produtos.


AdM – E para desenvolver os lubrificantes Motul têm de confiar nos vossos especialistas de Pesquisa e Desenvolvimento. Inclusivamente têm laboratórios móveis como o Motul Racing Lab. Qual a importância deste tipo de instalações?


Ferran Carreras –
O Motul Racing Lab é um serviço gratuito de análise ao óleo do motor que temos em diversos eventos desportivos de grande prestígio como é o Rali Dakar. Através dessa análise, verificamos o óleo das equipas de competição para detetar e identificar possíveis necessidades ou avanços tecnológicos que necessitamos nos nossos produtos. 

Desta forma converte-se num laboratório vivo onde colocamos à prova os nossos óleos nas condições mais extremas, mas também uma fonte de conhecimento para continuar a melhorar. Não analisamos apenas os lubrificantes de competição. 

Cada país tem um serviço para os seus clientes que permite resolver problemas através da análise de lubrificantes em veículos diferentes, detetando problemas que eles não conseguem identificar a nível mecânico. Estas análises oferecem soluções ideais para detetar problemas na aplicação, mas também para aconselhar produtos que melhoram o consumo do óleo e combustível.


AdM – Recentemente vimos chegar ao mercado um novo óleo de motor específico para a Honda CBR1000RR-R equipada com kit HRC. Sabemos que a Motul trabalha em parceria com os fabricantes. Mas este óleo é assim tão diferente do habitual?


Ferran Carreras –
De facto, há pouco tempo lançámos o 300V Factory Line Racing Kit Oil 2376H 0W-30 ESTER Core, que foi formulado especificamente para a Honda CBR1000RR-R Fireblade equipada com o kit de competição HRC. Cada fabricante constrói os seus motores para cumprir com as normativas do mercado e para que as suas motos ofereçam o máximo rendimento. Trabalhar em parceria com eles permite criar lubrificantes especificos segundo as exigências de cada motor e as suas necessidades em condições extremas.

AdM – Será que nos pode dizer quando chegará um novo tipo ou uma nova geração de lubrificantes para moto?


Ferran Carreras –
Em 2021 teremos uma surpresa... mas ainda não a posso anunciar pois tenho de manter os prazos de lançamento e comunicação definidos pelo “quartel general” da Motul.

AdM – E para terminar, qual é a sua visão do futuro da Motul e do motociclismo em geral?


Ferran Carreras –
A Motul não é apenas uma marca que só fabrica lubrificantes, mas uma marca que vive realmente o mundo do motociclismo com paixão, e por isso dispomos da gama de produtos mais diversificada do mercado. Enquanto existir esta paixão pelas motos, a Motul continuará a acompanhar os utilizadores para poder responder às suas necessidades com os melhores produtos possíveis, especialmente ao nível da qualidade.

andardemoto.pt @ 11-11-2020 14:02:03 - Texto: Bruno Gomes


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews