Moto Guzzi V7 – Novo motor e mais equipamento

A marca de Mandello del Lario atualiza a sua popular clássica. A Moto Guzzi V7 ganha um novo motor, está mais confortável e apresenta novidades ao nível do equipamento, mas sem esquecer o estilo clássico que perdura há mais de meio século.

andardemoto.pt @ 15-12-2020 10:23:44

Cada fabricante de motos tem a sua história, recheada de diferentes diferentes modelos de motos que se tornaram muito importantes para o engrandecimento da história da marca. Para a Moto Guzzi a clássica V7 é um desses casos, e em 2021 a marca italiana vai atualizar este modelo.

A nova geração da Moto Guzzi V7 serve de prolongamento de uma história que começou há mais de cinquenta anos com o lançamento da primeira unidade. Desde então a evolução tem-se feito sentir no crescimento desta italiana clássica, e para o próximo ano a V7 volta a evoluir.

Novo motor mais potente, mais conforto para condutor e passageiro, e ainda melhor equipamento. Estas são as principais características da nova V7, que no entanto não se esquece das suas raízes e permanece fiel à sua herança estilística.



O principal destaque nesta novidade é a chegada da nova unidade motriz. O bicilíndrico em V, posicionado transversalmente em relação ao quadro, passa a ser Euro5. Deriva do motor mais moderno que a casa de Mandello del Lario fabrica e que podemos encontrar na aventureira V85 TT.

Aplicado à clássica V7, este motor bicilíndrico permite a este modelo apresentar uma potência 25% superior em comparação com a geração anterior. Isto significa que a Moto Guzzi anuncia para a nova V7 um pico de 65 cv às 6.800 rpm, enquanto o binário máximo atinge os 73 Nm às 5.000 rpm. Neste particular, o destaque vai para o facto de mais de 80% do binário ficar disponível a partir das 3.000 rpm.

Não só um elemento funcional e de performance, o motor V-twin transversal da Moto Guzzi torna-se num elemento de design que é depois acompanhado por outras novidades. O sistema de escape conta com coletores e ponteiras redesenhadas. Vista de traseira, a V7 mostra-se mais musculada, com o veio de transmissão e o pneu maiores a serem acompanhados pelo “look” dos amortecedores Kayaba mais robustos.



Por falar em amortecedores, a Moto Guzzi não quis alterar muito as sensações dinâmicas da V7 e a sua manobrabilidade. Ainda assim, os novos amortecedores apresentam um curso maior, e a roda traseira da V7 Stone na medida 150/70 garante outro nível de controlo em inclinação. Para garantir um “feedback” mais direto da roda dianteira, a Moto Guzzi adicionou reforços de aço na zona da coluna de direção.

De realçar ainda que o conforto foi uma preocupação da Moto Guzzi nesta nova geração. O assento foi redesenhado, e os poisa-pés contam com novos suportes.

A complementar as alterações encontramos novos painéis laterais e ainda um guarda-lamas traseiro de novo desenho.


A nova Moto Guzzi V7 está disponível em duas variantes: Stone e Special.

A versão base V7 Stone é a proposta da marca italiana para os motociclistas que procuram uma clássica pura, desprovida de elementos desnecessários. Com jantes em alumínio de novo desenho, mais desportivo, e iluminação Full-LED, com luzes diurnas a formarem o desenho da Águia da Moto Guzzi, a V7 Stone  apresenta-se ao serviço com um painel de instrumentos totalmente digital em formato circular para um “look” minimalista.

Já a V7 Special foi pensada para um cliente que procura algo mais clássico. As jantes de alumínio são trocadas por esbeltas jantes de raios. E o painel de instrumentos mantém o estilo retro, com conta-rotações e velocímetro separados e as informações apresentadas de forma analógica.

Ao nível das cores, a Moto Guzzi revela que a V7 Stone estará disponível nas opções Nero Ruvido, Azzurro Ghiaccio e Arancione Rame. Já a V7 Special mantém uma aparência especial graças à cor Blu Formale e Grigio Casual.

andardemoto.pt @ 15-12-2020 10:23:44

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews