Kawasaki Heavy Industries revela mudanças para a divisão de motos

A divisão de motos da Kawasaki Heavy Industries terá maior independência a partir de outubro de 2021. Uma reestruturação importante que vai afetar diretamente o lançamento de novos modelos da Kawasaki.

andardemoto.pt @ 14-12-2020 16:00:00

Sempre que aqui no seu Andar de Moto falamos em Kawasaki, obviamente estamos a referir à divisão de motos da empresa “mãe” Kawasaki Heavy Industries (KHI), com sede em Kobe, Japão. O departamento da KHI dedicado às duas rodas tem a sua sede em Akashi, e a grande novidade é que a partir de outubro de 2021 será gerido de forma mais independente.

Com as mudanças que estão a acontecer atualmente a nível global, muitas por força da pandemia, mas também por força de motivações ambientais, a Kawasaki Heavy Industries acredita ser necessário reestruturar toda a empresa para melhor responder às necessidades do mercado.

Nesse sentido, a divisão de motos Kawasaki vai ter maior liberdade para desenvolver a sua gama de modelos e levar as motos de Akashi para novos patamares tecnológicos.



A cooperação entre os diferentes departamentos dentro da Kawasaki Heavy Industries permitiu à divisão de motos criar a Ninja H2 com o seu motor sobrealimentado. O compressor volumétrico é o resultado dessa cooperação, que irá continuar no futuro, mas com a divisão de motos a depender menos do que fazem e decidem as restantes divisões da KHI dedicadas ao fabrico de barcos, comboios, helicópteros e também equipamento para a indústria aeroespacial.

Nesse sentido, o desenvolvimento de uma motorização híbrida – motor a combustão + motor elétrico – é já um primeiro passo na estratégia de conferir à divisão de motos da Kawasaki maior independência.

Esta reestruturação profunda a nível da estrutura da empresa tem também como objetivo ajudar a divisão de motos a recuperar da perda financeira que vai acontecer por força da pandemia. A Kawasaki Heavy Industries revela que esperam perder 47 milhões de dólares americanos em 2020.



De acordo com o comunicado divulgado pela Kawasaki Heavy Industries, “A independência da divisão de motos vai acelerar a tomada de decisões e oferecer produtos e serviços em sintonia com os clientes, incluindo os seus novos estilos de vida. A Power Sports (denominação da divisão de motos) vai fortalecer a Kawasaki enquanto marca. Quando olhamos para a indústria das duas rodas de uma forma mais ampla, verificamos que enfrentamos diferentes desafios como o envelhecimento da base de clientes e o cumprimento das normas ambientais. A Kawasaki está a fortalecer a cooperação industrial entre as várias divisões do grupo, com o desenvolvimento da propulsão elétrica e tecnologias de segurança avançada, para além de um grande número de componentes funcionais. Tudo com o objetivo de exponenciar o crescimento do negócio Power Sports e alcançar a revitalização do mercado”.

Leia também - Kawasaki EV Endeavor: Já temos mais detalhes da nova Kawasaki elétrica

Para além da divisão motos ou Power Sports, que ocupa um lugar em segundo ou terceiro plano dentro da estrutura da Kawasaki Heavy Industries, também a divisão dedicada ao fabrico de comboios irá ser mais independente, mas neste caso já a partir de abril.


De referir ainda que no comunicado em que anunciam a maior independência e reestruturação da Kawasaki Heavy Industries, os responsáveis japoneses revelam também que vão reforçar a sua ligação ao hidrogénio enquanto energia limpa. Neste particular, o plano de reestruturação prevê que a Kawasaki Heavy Industries se torne empresa líder no setor do hidrogénio, tanto na produção, como depois no transporte e armazenamento.

andardemoto.pt @ 14-12-2020 16:00:00


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews