Project TE-1 - A Triumph elétrica vence mais uma etapa!

Apresentada em Maio de 2019, a intenção da Triumph em produzir uma moto elétrica revolucionária, completa agora a segunda de quatro fases de desenvolvimento.

andardemoto.pt @ 23-3-2021 12:00:00

Uma “joint venture” britânica está empenhada em produzir, provavelmente, a primeira moto elétrica verdadeiramente europeia. Em Maio de 2019 a Triumph Motorcycles uniu-se a diversas entidades para começar a desenvolver o seu projeto de mobilidade elétrica.

A Williams Advanced Engineering (antiga empresa de engenharia que foi adquirida em 2019 pela gestora de fundos de investimento EMK à Capital Williams Grand Prix Holdings, a detentora da equipa de formula 1 de Frank Williams), ficou responsável pelo desenvolvimento da bateria.

A Integral Powertrain Ltd. (empresa fundada por antigos engenheiros da Cosworth, especializada no desenvolvimento de propulsores elétricos), ficou responsável pelo desenvolvimento do motor e respetivo inversor. 

O departamento académico da Universidade de Warwick, ficou responsável pelo aconselhamento técnico e legal e pelas medições, simulações e processamento dos dados.

O projecto é financiado pelo Office for Zero Emission Vehicles, departamento governamental britânico dedicado à transição energética.

O final desta segunda fase do projeto significa que o motor elétrico e a bateria que o irá alimentar estão já em fase adiantada, registando significativos avanços, e Nick Bloor, o CEO da Triumph diz que:

Este importante projeto irá providenciar os alicerces para a estratégia que a marca de Hinckley tem para o futuro modelo elétrico, pois está focada em providenciar aos motociclistas o equilíbrio perfeito entre potência, agilidade e facilidade de utilização que caracterizam o caráter de qualquer moto da Triumph".

Nesta fase a Williams Advanced Engineering identificou a tecnologia e a arquitetura mais convenientes para o projeto, bem como a estratégia necessária para melhor servir o objetivo definido, criando um módulo de baterias que será estruturante para o quadro e que otimiza o seu layout e posicionamento em função do centro de gravidade e da repartição de massas, tendo em conta o motor, o processo de carga e o controlo da bateria.

Por isso o módulo irá incluir uma unidade de controlo (BMS) específica que permitirá libertar sempre a potência máxima independentemente da carga da bateria, ao mesmo tempo que faz a gestão das diversas funções de controlo do motociclo.

O protótipo foi sujeito a imensos testes de bancada, com recurso a simuladores, e superou todas as soluções existentes no mercado no que respeita a potência e densidade energética.


Pelo lado do motor, a Integral Powertrain Ltd. trabalhou afincadamente para condensar num único bloco a unidade motriz e o inversor (componente que converte a corrente contínua da bateria em corrente alterna para alimentar o motor) poupando assim em termos de peso, ao reduzir o circuito de refrigeração e respetivas tubagens, bem como as pesadas ligações para os cabos de alta voltagem, além dos pesados suportes para fixação que todos estes componentes requerem.

Este conceito inovador, que recorre a contactos em carboneto de silício, garante uma melhor eficiência energética, além de também ser escalável e permitir acrescentar diversos estágios de potência para alimentar motores mais potentes de maior dimensão.

No entanto, desta unidade motriz que pesa apenas 10 quilogramas, a Triumph já consegue extrair 180 cavalos de potência, e há um grande empenho conjunto para obter um design que permita uma grande performance em termos de fabrico e montagem para garantir que o preço final seja viável.

Ao longo desta fase, a Triumph desenvolveu todo um novo software de controlo para a moto, que incorpora o acelerador eletrónico, a travagem regenerativa e o controlo de tração.

Em paralelo com o pacote eletrónico também foi desenhado um protótipo de quadro e subquadro otimizados para receberem o módulo do motor e bateria bem como a transmissão final.

E para coroar o processo foi concebido o desenho final para o protótipo, que pode ver nas imagens.

Com a marca britânica a cumprir o seu 120º aniversário em 2020, não seria de estranhar que este projeto possa ver a luz do dia já no próximo ano!

Ficamos ansiosos para saber, com toda esta evolução tecnológica agora apresentada, quais serão as autonomias e os tempos de carga da primeira moto elétrica da Triumph! 

No vídeo que pode ver abaixo, há a promessa de que, mais para o final de 2021, vamos poder ver este primeiro protótipo ao vivo e a cores!


Veja o vídeo de apresentação:

andardemoto.pt @ 23-3-2021 12:00:00


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews