ST125 Dax volta à exclusiva gama de mini-motos da Honda

Após uma ausência de 41 anos, a Dax regressa fiel à sua filosofia e conceito.

andardemoto.pt @ 14-3-2022 15:10:38

A Honda Dax ST125 é um modelo novo, que reproduz fielmente o clássico original nascido em 1969, mas agora com a performance de um modelo do século 21, tanto em termos de ciclística, como de motor e ergonomia.

O recente sucesso na Europa das suas irmãs pequenas, a Monkey 125 e a MSX125 Grom deu à Honda o incentivo para fazer renascer este modelo, cuja versão mais recente foi produzida entre 1995 e 2003 apenas para o mercado japonês, e cujo nome foi inspirado no cão Dachshund (o cão-salsicha), caracterizado pelas suas pernas curtas e corpo comprido.

A Honda Dax prima pela simplicidade do seu conceito. O quadro em T, fabricado em aço prensado, dá toda a resistência necessária e incorpora o depósito de combustível. A ele ancoram-se uma forquilha invertida de 31 mm de diâmetro, e os dois amortecedores traseiros.

Jantes de 12 polegadas, com pneus grossos 120 mm de largura, na frente, e 130 mm atrás. oferecem uma direção leve e um acréscimo de conforto às suspensões.

A travagem está a cargo de um sistema hidráulico por disco, com dimensões de 220 e 190 mm respetivamente, à frente e atrás, controlada por um sistema ABS de um canal. 
Com uma distância entre eixos de 1020 mm, a Dax ST125 regista um peso em ordem de marcha de apenas 107 kg.


O motor SOHC de 124 cm³ tem duas válvulas e é arrefecido por ar. Tem um curso relativamente longo e uma compressão elevada; definida por um diâmetro de cilindro de 50 mm e um curso de pistão de 63,1 mm, registando uma relação de compressão de 10,0:1. 

O pico de potência é de 6,9 kW (9,2cv) e chega às 7000 rpm, com o binário máximo de 10,8 Nm a aparecer às 5000 rpm. Estes valores permitem à Dax ST125 chegar aos 90 km/h, com acelerações fortes logo desde baixa velocidade. O escape ascendente e a sua proteção térmica fazem lembrar a época dourada das motos, a década de 1970. 


Neste propulsor foram usadas diversas tecnologias modernas de redução do atrito, por exemplo, um cilindro descentrado e balanceiros de rolete na cabeça do motor; e com tudo isto a Honda garante consumos impressionantes de 1,56 l/100 km (63,7 km/l) (em modo WMTC), que conferem à Dax ST125 uma autonomia aproximada de 240 km por cada depósito de 3,8 l de combustível.

A embraiagem centrífuga gere as quatro relações da caixa de velocidades, pelo que não necessita de uma manete de embraiagem no guiador. Basta simplesmente "rodar o punho e arrancar"; trocando-se as mudanças de forma tradicional, com o pé esquerdo, o que se revela uma vantagem adicional pela simplicidade da condução.


O painel de instrumentos conta com visores compactos e redondos em LCD negativo, e mostram tudo o que o condutor precisa de saber.

Como toque extra de charme, são usados no farol LEDs redondos exclusivos e os piscas/luzes de presença à frente estão colocados artisitcamente entre os feixes de médios e máximos. O farolim e os piscas traseiros são inspirados no design do farol e, tal como na frente, também são de LEDs.

O guarda-lamas cromado assume uma posição de destaque, por baixo do farol circular evocativo.

A pega do passageiro é cromada e elegante; a corrente de transmissão tem uma proteção que a isola dos agentes atmosféricos e/ou de roupas largas. Há um porta-bagagens traseiro e um kit de punhos aquecidos disponíveis como extra opcional.

A Honda Dax de 2023 vai estar disponível nos esquemas cromáticos Vermelho Pérola Nebula e Cinzento Pérola Cadet.

O preço de venda ao público e a sua disponibilidade em Portugal serão anunciados oportunamente.

andardemoto.pt @ 14-3-2022 15:10:38


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews