MotoGP Portugal - Vitória fantástica de Miguel Oliveira depois de exibição perfeita!

Miguel Oliveira realizou o seu sonho de vencer o Grande Prémio de Portugal de MotoGP. O Autódromo Internacional do Algarve foi o palco da última corrida do ano e o piloto português esteve imparável. Com uma exibição perfeita, o piloto de Almada esmagou a concorrência ao dominar todo o fim-de-semana, para vencer categoricamente o seu segundo GP na categoria rainha. Uma vitória histórica em solo nacional.

andardemoto.pt @ 22-11-2020 14:43:33

Piloto português da Red Bull KTM Tech3 venceu de forma categórica a última corrida de MotoGP da temporada 2020!

Miguel Oliveira dominou de início ao fim a corrida da categoria rainha no Autódromo Internacional do Algarve, e assegurou a sua segunda vitória em MotoGP. Grande exibição de Miguel Oliveira que não deu qualquer hipótese aos seus rivais, obtendo uma vitória com vantagem de quase 4 segundos para Jack Miller (Pramac Ducati) e Franco Morbidelli (Petronas Yamaha SRT).

O dia pelo qual tantos portugueses esperavam finalmente chegou! Tivemos, pela primeira vez, um piloto português a vencer em MotoGP, e em solo nacional. Miguel Oliveira voltou a inscrever o seu nome na lista de vencedores de MotoGP e desta vez não teve de esperar pela última curva para saber que seria o primeiro classificado em corrida.

Se nos treinos livres já tinha mostrado a sua rapidez, e depois na qualificação confirmou com a primeira “pole position” da carreira em MotoGP, hoje, domingo 22 de novembro, Miguel Oliveira esteve absolutamente arrasador e intocável desde o momento em que os semáforos se apagaram para dar início à última corrida do ano, o Grande Prémio de Portugal.



Com um arranque perfeito, Miguel Oliveira manteve a sua posição de liderança desde a primeira curva, e logo aí se percebeu que o piloto da Red Bull KTM Tech3 estava a caminho de uma exibição perfeita.

Miguel Oliveira realizou um conjunto de cerca de cinco voltas iniciais muito rápidas, na casa do 1m39s, o que surpreendeu os seus mais diretos rivais, nomeadamente Franco Morbidelli e Jack Miller. Com um ritmo avassalador e sem cometer qualquer erro, a estratégia de arrancar para a corrida de MotoGP com pneus duros em ambas as rodas mostrou-se acertada, e volta após volta, amealhou uma vantagem que chegou a superar os quatro segundos.

Sem pressão direta dos perseguidores, Miguel Oliveira registou ainda a melhor volta da corrida e novo recorde com 1m39.855s. Com uma consistência de tempos fantástica, o português chegou aos momentos finais com uma vantagem que lhe permitiu depois gerir a diferença para Morbidelli e Miller. Embora perdendo algumas décimas nas últimas três voltas, ainda assim Miguel Oliveira cruzou a meta isolado e com quase quatro segundos sobre o segundo classificado que acabou por ser Jack Miller.

"Sabia que tinha um bom ritmo de corrida, mas tal como afirmei perante todos no sábado, a corrida seria algo imprevisível na sua segunda metade quanto ao desgaste dos pneus. De forma surpreendente continuei a rodar no segundo 40.1 e 40.2 de forma fácil e sem correr muitos riscos, os pneus aguentaram-se muito bem. Nas derradeiras cinco voltas comecei a pensar em muitas coisas, por isso decidi perder um par de décimas de segundo e tentei apenas aproveitar o mais possível, nessa altura, para ser sincero, queria apenas terminar a corrida rapidamente. Acabei por liderar todas as voltas de corrida, foi uma boa experiência para mim, diverti-me imenso na moto e mesmo com alguma pressão sobre mim consegui lidar da melhor forma com a mesma e isso é o mais importante", referiu Miguel Oliveira no final de uma corrida perfeita e antes de viajar já na segunda feira para a sede da KTM na Áustria onde dará início à temporada 2021 de MotoGP com uma série de testes, inclusivamente em túnel de vento.




O australiano da Pramac Ducati esteve sempre na sombra de Morbidelli ao longo de quase todas as 25 voltas, mas quando mais precisou, encontrou forças e forma de passar pelo italiano da Petronas Yamaha SRT, subindo então ao degrau intermédio do pódio, relegando Franco Morbidelli para a posição mais baixa do pódio, o que ainda assim foi suficiente para assegurar o vice-campeonato.

No final da corrida de MotoGP do Grande Prémio de Portugal tanto Miller como Morbidelli mostraram-se genuinamente surpreendidos pelo ritmo de Miguel Oliveira, mostrando nas suas declarações que hoje o piloto da Red Bull KTM Tech3 estava intocável e que eles nada puderam fazer para contrariar a exibição perfeita do Miguel Oliveira.

Quanto ao campeão, Joan Mir (Ecstar Suzuki) terminou a temporada mais cedo do que o previsto. Depois de arrancar de 20º e ter conseguido subir a 13º na primeira volta, no início da segunda volta o recém coroado campeão de MotoGP entrou demasiado depressa na curva 3 do circuito algarvio, tocou em Johann Zarco (Esponsorama Avintia Ducati), foi obrigado a levantar a moto e acabou por tocar ainda com força na lateral de Francesco Bagnaia (Pramac Ducati).


Bagnaia entrou de imediato nas boxes e abandonou a corrida queixando-se de fortes dores no ombro direito, enquanto Joan Mir prosseguiu a corrida, novamente descendo à 20ª posição. Infelizmente para o campeão de 2020 a sorte não esteve do seu lado, e a meio da prova foi obrigado a abandonar com um possível problema técnico na traseira da sua moto, talvez no pneu.

Com o título de pilotos já decidido a favor de Joan Mir e o título de equipas para a Ecstar Suzuki, faltava apenas saber quem seria o campeão de construtores. Essa honra ficou nas mãos da Ducati, que superou a Yamaha por apenas 17 pontos, enquanto a Suzuki, que poderia ter conseguido um histórico “triplete” de MotoGP, acaba na terceira posição da classificação dos construtores.

Quanto à classificação de pilotos com que fechamos este campeonato de MotoGP, Joan Mir foi o melhor com 171 pontos, Franco Morbidelli com 158 pontos o segundo classificado, e o “Top 3” fica completo com Alex Rins que somou 139 pontos.

Clique aqui para conhecer a classificação final de MotoGP

Já Miguel Oliveira, com esta segunda vitória em MotoGP que sublinhou um fim de semana de sonho em que obteve a "pole position", recorde do circuito e volta mais rápida em corrida, conseguiu subir a 9º na classificação final, com 125 pontos na sua conta pessoal.

andardemoto.pt @ 22-11-2020 14:43:33

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: MotoGP