MotoGP, 2022 - O Mundial em Retrospetiva, 1

Do Qatar à Argentina

Este foi uma das mais competitivas épocas de MotoGP de sempre, com os primeiros frequentemente colados quando cortavam a meta, e várias reviravoltas durante o ano, que acabou com sucesso para a Ducati e Pecco Bagnaia.

andardemoto.pt @ 6-12-2022 13:00:27 - Paulo Araújo

Qatar faz a surpresa

No Qatar, Enea Bastianini anunciou-se no palco mundial com um estrondo. O piloto da Gresini Racing deu o primeiro passo de glória na sua carreira na categoria rainha, e tornou-se o primeiro piloto da Gresini a fazê-lo desde Toni Elias em 2006, desencadeando cenas emocionais na boxe após a prova.

"A Besta" deixou tudo para o final para levar a vitória à frente de Brad Binder (KTM Red Bull) e do líder inicial da corrida Pol Espargaró (Honda Repsol).

Depois de ter passado por tempos difíceis com a morte do marido, não havia um olho seco no paddock enquanto Nadia Padovani, Diretora da Equipa e viúva de Fausto Gresini celebrava a sua vitória com Bastianini.

Apesar da alegria desenfreada, as coisas não foram tão cor-de-rosa nas outras garagens da Ducati, pois Francesco Bagnaia (Ducati Lenovo) caiu e levou consigo o homem da pole Jorge Martin (Ducati Prima Pramac), enquanto Jack Miller (Ducati Lenovo) também não conseguiu ver a bandeira xadrez.

Foi uma noite para recordar também para a família Binder, com Darryn Binder (WithU Yamaha RNF) a fazer a sua estreia no MotoGP enquanto o irmão mais velho Brad desafiou as expetativas após treinos difíceis (Oliveira saiu de 14º na grelha e não terminou) para colocar a KTM no pódio.

O GP do Qatar, como é frequentemente o caso, foi um evento inesquecível e a forma perfeita de começar a nova temporada.



Indonésia - o ritual da chuva

Após 25 anos, o MotoGP estava de volta à Indonésia, e a onda de calor da KTM continuou, enquanto Marc Márquez ficou excluído de qualquer ação.

A mania das motos varreu a nação insular durante alguns dias em Março, com os habitantes locais a tornar a visita simplesmente inesquecível com um desfile pelas ruas de Jacarta.

Na pista, a chuva atrasou as coisas para a corrida da classe rainha apesar da visita de um xamã numa tentativa de acelerar os procedimentos. Eventualmente, a corrida arrancou, e foi Miguel Oliveira da KTM Red Bull que levou a vitória de forma enfática, com Fabio Quartararo (Yamaha Monster Energy ) e Johann Zarco (Prima Pramac Racing) a pisar o pódio pela primeira vez em 2022.

Vindo do sétimo lugar da grelha, Oliveira saiu da linha para se colocar entre os três primeiros antes de puxar o pino e fugir para a frente para reclamar uma quarta vitória na categoria rainha.

O piloto português andou de forma brilhante para se manter na vertical dadas as condições, prosperando onde outros não conseguiram para continuar o excelente início da temporada da KTM.

Depois de começar bem no Qatar, o humor da Honda mudou no domingo de manhã quando a sua estrela Marc Márquez saiu em voo da sua RC213V durante o aquecimento, num grande acidente que viu o oito-vezes Campeão do Mundo ser excluído do Grande Prémio seguinte. Foi uma prova dura para a marca japonesa, com nenhum dos seus pilotos a entrar no top 10 depois da alegria na noite de abertura.


Argentina, Aleix, Aprilia

Aleix Espargaró obteve uma vitória emocional quando o Campeonato regressou a Termas de Rio Hondo pela primeira vez desde 2019

A terceira ronda do Campeonato Mundial de 2022 viu a MotoGP regressar a Termas de Rio Hondo para o primeiro Grande Prémio Argentino em três anos.

O regresso à América Latina também não dececionou, com um novo capítulo escrito nos livros de história quando Aleix Espargaró (Aprilia Racing) reivindicou uma primeira vitória.

Questões logísticas que ver com a chegada do cargo viram a acção de sexta-feira adiada, mas foi um super sábado de treinos na Argentina. Reunindo treinos livres e qualificação, Espargaró foi o mais rápido ao assumir apenas a sua terceira pole position, com Oliveira a arrancar de 16º na grelha.

Na corrida, o número 41 perdeu o holeshot para Jorge Martin (Pramac Racing), que depois perseguiu durante a maior parte da corrida. Após algumas tentativas falhadas, Espargaró conseguiu finalmente ultrapassar o seu compatriota com cinco voltas restantes, e foi uma liderança que ele não deixou escapar ao levar a bandeira xadrez em primeiro lugar no seu 200º Grande Prémio da categoria rainha. 

Martin foi um segundo lugar confortável para o seu primeiro pódio e pontos da campanha, enquanto Alex Rins (Suzuki Ecstar) no terceiro lugar perfez nove pilotos diferentes no pódio nas três corridas de abertura.

Este resultado, juntamente com o 4º do colega de equipa Joan Mir, ajudou a Suzuki a chegar ao topo da classificação de construtores enquanto o paddock se despedia da Argentina por mais uma temporada.


andardemoto.pt @ 6-12-2022 13:00:27 - Paulo Araújo


Clique aqui para ver mais sobre: MotoGP