Bridgestone Hypersport S22 - Performance sem compromissos

Depois do muito bem sucedido S21, a Bridgestone demorou três anos para lançar um novo pneu destinado às motos mais desportivas. O novo Battlax Hypersport S22 não é apenas uma versão melhorada do S21! É mesmo um pneu totalmente novo... e para melhor! Fomos até ao circuito de Jerez para o testar.

andardemoto.pt @ 22-4-2019 10:00:00 - Texto: Bruno Gomes

Longe dos palcos do Mundial de Velocidade desde que a organização do MotoGP optou por trocar de fornecedor oficial de pneus da categoria rainha, a Bridgestone continua a trabalhar afincadamente na criação de alguns dos melhores pneus que podemos ter nas nossas motos. Desde os mais “simples” pneus para scooters, passando pelos pneus prontos para as grandes aventureiras, ou até mesmo os pneus mais vocacionados para competição como o novo R11, a marca nipónica disponibiliza uma vasta gama de pneus para todos os gostos e feitios.

Mas há um tipo específico de pneus que a Bridgestone tem sabido trabalhar ao longo dos últimos anos de uma forma primorosa: os pneus desportivos para uso em estrada. Em 2016 apareceu o Battlax Hypersport S21, um pneu que rapidamente elevou a fasquia dentro do que existia no mercado, pois não só este pneu conseguia excelentes performances em estrada e em pista, como a Bridgestone alcançou um verdadeiro milagre ao conseguir que o S21 durasse muitos quilómetros antes de perder eficácia. Eu próprio testei isto na minha moto durante pouco mais de um ano e meio, em que verifiquei que os S21 duraram mais de 7300 km enfrentando todo o tipo de abusos.

Três anos depois, neste início de ano, a Bridgestone volta ao ataque e o novo Battlax Hypersport S22 tornar-se no novo pneu desportivo de topo para utilização em estrada, substituindo o S21. De referir que o S21 irá manter-se em comercialização, mas agora como opção de nível intermédio, sendo ainda de destacar que o já velhinho BT016 Pro também continuará a ser produzido, sendo esta a opção mais acessível em termos de preço para aqueles que não descuram a performance em estrada.

A primeira coisa que temos de perceber em relação ao S22 é que este não é, de todo, apenas uma versão Evo do anterior S21. Os mais conhecedores da gama Bridgestone lembram-se do que a marca fez em relação ao S20 que depois passou a S20 Evo antes da chegada do S21. Mas neste caso estamos perante um pneu desportivo totalmente novo, desde a sua construção, passando pelo desenho do rasto, e finalmente pela performance em piso seco... e molhado!

O Battlax Hypersport S22 pode ser anunciado como um pneu desportivo para uso em estrada, mas a realidade é que durante a apresentação internacional que decorreu no circuito de Jerez de la Frontera, fiquei com a certeza que a Bridgestone não pode pensar que este é mesmo um pneu apenas para uso em estrada, tal a sua eficácia e forma como se agarra ao asfalto.

O fabricante japonês afirma que conseguiram melhorar em 15% a velocidade de passagem em curva e obter uma melhoria nos tempos por volta de 5% em piso molhado, isto sem perder qualquer quilómetro em termos de resistência ao desgaste.

Para isso a Bridgestone trabalhou de forma bastante profunda o Battlax Hypersport S22. A carcaça é construída utillizando a mais recente tecnologia de correias, os compostos de borracha – dois diferentes à frente, três diferentes atrás – foram também renovados, em especial o composto central mais duro, que utiliza agora um composto de resina otimizado e que por sua vez viu a sua criação analisada a nível molecular para que as partículas de sílica consigam encontrar ainda maior aderência em contacto com as partículas de asfalto.

Cada pneu tem também um desenho de rasto novo, que permite aos S22 escoar de forma mais rápida a água, o que é sempre importante tendo em conta que numa utilização em estrada por vezes temos de enfentar a aderência reduzida da chuva.


E foi precisamente com asfalto molhado que começei o teste aos novos Bridgestone Battlax Hypersport S22. Durante a noite anterior e no dia em que decorreu a apresentação, chuva intensa deixou o circuito andaluz totalmente alagado. Em vez de cancelar o evento, a Bridgestone, numa demonstração de confiança total em relação às capacidades do S22 em piso molhado, disse que não, o teste era para ser realizado à mesma!

Com modelos como a KTM 1290 Super Duke R, Suzuki GSX-R1000R, a nova BMW S1000RR, ou ainda as Kawasaki Ninja ZX-10R, sem esquecer as poderosas Yamaha YZF-R1 ou a italiana Ducati Panigale V4 S, pensei que estes pneus não iriam ter vida fácil para garantir uma aderência que me permitisse desfrutar da condução em pista em piso molhado.

Pois bem, a verdade é que eu não podia estar mais errado! Com uma estabilidade em linha reta acima do que tinha sentido quando rodei com os S21, o S22 deixou-me de “boca aberta” assim que comecei a atacar as curvas. Conforme a confiança ia crescendo, mais ia inclinando a moto, primeiro uma GSX-S1000 e depois a 1290 Super Duke R.

O pneu frontal transmite muita informação em inclinação, e não deixa a moto tombar para o lado de forma agressiva como por vezes acontecer com os pneus desportivos mais agressivos. Claro que o perfil menos afilado do pneu frontal ajuda a isso, e também permite que o condutor sinta a todos os momentos da inclinação o que o pneu da frente está a fazer, e, principalmente, quando está a chegar ao seu limite. O pneu traseiro, em piso molhado, foi dando conta de tudo, uma escorregadela aqui ou ali, mas nada que não fosse esperado por mim pois a realidade é que a borracha japonesa é muito linear na forma como escorrega quando abusamos do acelerador.

Com o passar do dia e o sol já a espreitar, o asfalto de Jerez foi secando. A confiança estava agora em alta, e dei por mim a puxar pelas motos bem para lá do limite que costumo adotar em estrada. É incrível o que um pneu para condução em estrada consegue fazer num circuito.

Com o piso seco a frente deixou-me totalmente confiante, e se nos S21 eu encontrei alguma dificuldade em sentir-me seguro com o pneu da frente, que chegava rapidamente ao seu limite em inclinações pronunciadas, o S22 frontal corrigiu esse problema e agora oferece uma maior área de contacto com o asfalto, e permite abusar da frente em inclinação, sempre a avisar com antecedência quando estamos a abusar. Uma ligeira vibração é o suficiente para cortamos um pouco de acelerador e voltarmos à trajetória sem qualquer drama.

Com motos tão potentes e a desenvolver tanto binário, como o caso da Panigale V4 S, o pneu traseiro terá uma tendência natural para se “mexer” um pouco nos momentos de aceleração à saída das curvas lentas. Ainda assim a capacidade de tração do S22 traseiro é excelente, e mesmo em inclinações pronunicadas, muito por causa do novo composto mais mole nos ombros do pneu, pude rodar punho sem sentir a eletrónica das motos a entrar em ação, o que significa que mesmo em inclinação a capacidade de aderência dos novos Bridgestone é impressionante.

Nos momentos de transição rápida de direção, entre as curvas 2 e 3 do circuito de Jerez, senti a frente das motos com que rodei sempre plantada ao asfalto, e nem mesmo algumas zonas mais húmidas fizeram a frente escorregar. A nova construção com novo rácio Terra/Mar permite agora inclinar a moto com mais rapidez e inserir a frente na trajetória desejada, não tão rápido como um pneu slick, mas mais rápido que os normais pneus desportivos, sem perder a neutralidade de comportamento mesmo numa condução mais agressiva em pista.

Com pressões que variaram entre os 2,3 / 2,1 bar (medidos a frio) nas sessões de piso molhado, e 2,4 / 2,0 bar (medidos a quente) nas sessões com piso seco, não pude deixar de ficar impressionado com o desgaste apresentado pelos Bridgestone Battlax Hypersport S22 após um dia inteiro de abusos nas mais variadas máquinas superdesportivas e nakeds.

Desde manhã até ao final do dia de testes, nenhum par de pneus foi trocado, e depois da última sessão o desgaste era uniforme (também porque a Bridgestone ajustou perfeitamente as suspensões das motos) e com os rasgos do rasto a apresentarem ainda uma profundidade assinalável. No total, cada par de pneus enfrentou e passou com distinção nada menos do que 18 sessões em pista com piso molhado e seco, e no final do dia ainda tinham muito rasto para gastar.


Preços recomendados ao público Bridgestone Battlax Hypersport S22

Medidas já disponíveis

120/70 ZR 17 – 201€

160/60 ZR 17 – 249€

180/55 ZR 17 – 268€

190/50 ZR 17 – 281€

190/55 ZR 17 – 287€

200/55 ZR 17 – 301€

Medidas disponíveis em janeiro de 2020

120/70 R 17

140/70 R 17

150/60 R 17

180/60 ZR 17

Para mais informações sobre os pneus Bridgestone pode contactar o representante exclusivo em Portugal, a Lusomotos.

Galeria de fotos Bridgestone Battlax Hypersport S22

andardemoto.pt @ 22-4-2019 10:00:00 - Texto: Bruno Gomes