Teste Daelim XQ1 125 D - Grand Tourer Urbana

Uma Maxi Scooter 125cc de linhas modernas e atraentes que se posiciona como a “topo de gama” da marca Coreana, com uma excelente relação qualidade/preço.

andardemoto.pt @ 5-8-2019 23:21:44 - Texto: Rogério Carmo | Fotos: Luis Duarte

Faça uma consulta e veja caracteristicas detalhadas:

Daelim XQ 125 D | Scooter | Scooters
Daelim XQ 125 | Scooter | Scooters

A marca Coreana Daelim é pouco conhecida dos portugueses, mas foi fundada em 1978 e começou a sua actividade a produzir scooters sob licença da Honda. A Daelim Motorcycles faz parte de um gigantesco grupo económico com forte ligação à metalurgia e à construção civil, cuja origem remonta ao início da década de 60 do século passado.

A sua aposta é na qualidade e cultiva nos seus funcionários a filosofia de zero defeitos, sob um forte programa de formação e educação, apoiado por técnicas de produção extremamente avançadas e um detalhado programa de controlo de qualidade, que permite custos de produção muito baixos, sem necessidade de cortar na qualidade dos componentes.

À semelhança dos outros grandes construtores asiáticos, a Daelim aproveitou a normativa Euro4 para actualizar a sua gama de scooters para o mercado europeu.

O primeiro modelo Euro4 a chegar a Portugal, pela mão da Motorien (que também é a importadora para o nosso país das marcas Norton, Royal Enfield e Scomadi, entre outras), é a Daelim XQ1 125 D que hoje aqui lhe trago.

À primeira vista esta nova scooter de 125cc apresenta-se nada menos que imponente. É grande, espaçosa, com acabamentos cuidados e pormenores de estilo e funcionalidade muito bem conseguidos. Desde a iluminação integral em LED, passando pelo ABS Bosch, até ao sistema “keyless” (sem chave) da ignição, a QX1 125D apresenta soluções técnicas inovadoras a par com uma performance digna de relevo.

O motor monocilíndrico, refrigerado por líquido, tem uma cilindrada de 124,1cc e debita uns simpáticos 12,9cv (quase no limite máximo permitido para poder ser conduzida com carta “B”) que conferem ao conjunto, com um peso de 185kg a seco, um razoável comportamento dinâmico e uma velocidade máxima de 110km/h (em plano e confirmada por GPS) sendo que atinge os 100km/h sem grandes dificuldades. O nivel de vibrações é muito baixo, passando quase despercebido a qualquer regime.

A transmissão automática mostra uma ligeira hesitação no arranque, mas em andamento confere uma resposta rápida e directa do motor que se mostra extremamente linear na entrega de potência ao longo de toda a faixa de regime.

Os travões são, também eles, dignos de destaque, com uma mordida incisiva e potente e a permitirem um bom doseamento da força aplicada nas manetes, estas com regulação de posição.


Mas parece que a grande preocupação da Daelim foi no conforto. Tanto o condutor como o passageiro são brindados com uma boa ergonomia, muito espaço e uma excelente protecção aerodinâmica.

O condutor, além de um assento baixo e bem desenhado que privilegia os motociclistas de estatura mais baixa, beneficia também de imenso espaço para as pernas e de uma posição de condução confortável, mas também de um painel de instrumentos muito completo, espelhos retrovisores bem colocados e a proporcionarem uma boa visibilidade, arrumação abundante e acessível através de dois generosos compartimentos (um com com dupla tomada USB e outro com fechadura) no painel frontal, e espaço no porta bagagens, embaixo do assento, com capacidade para um capacete integral e mais alguns pequenos objectos.

A suspensão tem uma taragem bastante confortável, mas sofre imenso com o mau piso das nossas miseráveis estradas e ruas. Vele-lhe sobretudo as jantes de 15 e 14 polegadas, respectivamente na frente e atrás.

Em andamento a Daelim XQ1 125 D (o D equivale ao modelo aqui apresentado, sendo que existe um modelo F, em tudo semelhante, incluindo o preço, mas com plataforma plana) beneficia de uma ciclística muito estável, com um centro de gravidade muito baixo, que a tornam extremamente manobrável a baixa velocidade mas também muito estável e reactiva a alta velocidade, estando apenas ligeiramente limitada pela pouca inclinação lateral disponível (com passageiro, em curva, será relativamente fácil raspar com o descanso central no chão, para ambos os lados).

O descanço lateral é bastante estável e o cavalete central é fácil de usar. Os comandos estão bem colocados, sendo bastante intuitivos, e até mesmo os pneus Kenda conferem uma alta confiança, mesmo em pisos menos consistentes. O depósito de 12 litros garante uma autonomia prática elevada, a superar os 300km, tendo em conta que o seu consumo durante este teste foi, em média, de 3,7l/100km, sem qualquer contenção.

Como não há motos (nem scooters) perfeitas, a Daelim XQ1 125 D também tem alguns defeitos: O elevado ruído do escape será talvez o pior deles, logo seguido pela colocação do bocal de enchimento do depósito que obriga a dosear muito bem a mangueira da bomba se não quisermos levar uma valente borrifadela de gasolina durante o abastecimento.


Tendo em conta o seu aspecto, a qualidade de construção e sobretudo o seu preço que, chave na mão, ronda os 3.800 euros, esta scooter “Grand Tourer” pode bem servir o propósito da utilização diária urbana, com umas belas voltinhas acompanhado ao fim-de-semana.

Se ficou interessado, dirija-se a um concessionário Daelim e marque um “Test-Ride”!

Equipamento:

Neste teste usámos o seguinte equipamento de protecção e segurança:

Capacete Schuberth M1 

Overshirt Rev'it Tracer 

Luvas Revi'it Cooper

Jeans Rev’ít Corona TF

Botas TCX Jupiter 4 GTX

Faça uma consulta e veja caracteristicas detalhadas:

Daelim XQ 125 D | Scooter | Scooters
Daelim XQ 125 | Scooter | Scooters

andardemoto.pt @ 5-8-2019 23:21:44 - Texto: Rogério Carmo | Fotos: Luis Duarte