Dakar 2022 – Etapa 11 – Bisha – Bisha - Benavides vence, Sunderland reforça, J Rod 3º completa o pódio

Sam Sunderland é o novo líder do Dakar

À chegada da 11ª especial, Kevin Benavides conseguiu o melhor tempo, 4'' à frente de Sam Sunderland, e 2'26'' à frente de Joaquim Rodrigues, da Hero, e 4'54'' à frente de Matthias Walkner. António Maio jogou igualmente uma cartada de força ao chegar em 37º na sua Yamaha.

andardemoto.pt @ 13-1-2022 16:56:55 - Paulo Araújo

Toby Price, o vencedor de ontem, fora o primeiro a iniciar a especial. Luciano Benavides, irmão de Kevin, que saiu de palco ontem devido a um problema mecânico, partiu três minutos após o australiano. Kevin Benavides receberá de facto as ordens de partida esta manhã e, embora seja o 33º piloto a acabar a especial, todos os observadores terão de estar atentos a ele.  Após 127 km, Sunderland alcançara o melhor tempo, 8'' à frente de Kevin Benavides'', 1'15'' em frente de Matthias Walkner'', e 2'09'' à frente de Joaquim Rodrigues (27) e 2'48'' em frente de Pablo Quintanilla. Joan Barreda estava então na 15ª posição, 9'01'' atrás do líder, enquanto Adrien Van Beveren estava na 29ª posição, 15'38'' atrás do inglês.

Kevin Benavides retomou a corrida esta manhã em virtude das novas regras para o W2RC, do qual o Dakar é a primeira etapa. Confrontado com uma possível saída do rally, o argentino regressou para tomar as ordens de partida como o 39º piloto a iniciar a especial.

Matthias Walkner completou 43 km para chegar 24'' atrás de Sunderland e 47'' atrás de Quintanilla.

No primeiro ponto de controlo, Sam Sunderland, o 17º piloto a encetar a especial, afixou o melhor tempo, 23'' à frente de Pablo Quintanilla mas mais importante 12'45'' à frente de Van Beveren.



Pablo Quintanilla, o 10º piloto a começar hoje, com um défice de 5'15'' para o líder à geral Van Beveren, alcançou o melhor tempo após 43 km, com dez motociclistas através do primeiro ponto de controlo. Recuperou 12'22'' sobre o piloto da Yamaha e estava na liderança virtual da categoria moto, mais de 6 minutos à frente do francês, com Barreda atrás dele. No entanto, havia 300 km a percorrer e nem Sunderland nem Walkner tinham registado ainda um tempo inicial.

Joan Barreda, o 3º piloto a começar, 3 minutos à frente de Adrien Van Beveren, rebentou com os seus rivais no primeiro ponto de controlo! A apenas 43 km da partida, ele já liderava Van Beveren por 11'05''. Após a passagem das primeiras oito motos, incluindo a de Price, que seguia o espanhol por 6 minutos, "Bang Bang" estava na liderança global virtual na categoria moto. Na verdade, o Francês acabou por ficou 8'47'' atrás do piloto líder da Yamaha no início da especial, mas em menos de 50 km, o piloto oficial da Honda já compensou o seu défice de tempo e agora parece estar a liderar o caminho.

Ontem à noite, Joan Barreda afirmou ter visto pilotos ficar para trás, a fim de obterem hoje uma posição de partida mais favorável. Este terá sido o caso de Walkner hoje, bem como de Sam Sunderland, que partiram em 26º e 17º lugares respectivamente, 8'24'' e 5'59'' atrás de Adrien Van Beveren, da Yamaha, na classificação geral.

O homem da Yamaha escolheu ontem uma estratégia diferente ao terminar em 4º lugar e assumir a liderança no Dakar por 5'15 à frente do seu perseguidor mais próximo, Pablo Quintanilla. No entanto, terá de se estar atento às actuações de Sunderland em cada ponto de controlo antes de se chegar a qualquer conclusão precipitada.

Danilo Petrucci, entertanto, impressionou mais uma vez ao terminar em 17º, embora a 23' da frente.

António Maio brilhou em 27º com Rui Gonçalves pouco atrás em 30º. Gelazninkas lidera agora a categoria Original by Motul com uma vantagem de quase uma hora sobre Milan Engel, com Mário Patrão agora 3º a 10’ 25” após completar a etapa em 38º.


Na classificação geral na véspera do final, Sam Sunderland é o novo líder do Dakar, com uma vantagem de 6'52'' sobre Quintanilla e 7'15'' sobre Walkner. VBA está na 4ª posição, 15'30'' atrás do seu cunhado e Barreda ocupa o 5º lugar, 27'54'' atrás do piloto britânico. Uma GasGas, uma Honda e uma KTM estão dentro de um intervalo de tempo de pouco mais de 7 minutos.

Um pouco mais de um quarto de hora abaixo, o piloto oficial da Yamaha começará a última especial de 164 km na 15ª posição, enquanto os três pilotos à sua frente na classificação geral começarão agrupados no top 6.

Quando aos restantes portugueses, Alexandre Azinhais acabou em 89º, Arcélio Couto chegou em 93º, e Bianchi Prata e Paulo Oliveira estavam fora dos 120 primeiros.

Ainda está longe de terminar em relação à vitória final ou para o pódio...

A última etapa da 44ª edição do Dakar, amanhã esntre Bisha e Jeddah, será decisiva!

andardemoto.pt @ 13-1-2022 16:56:55 - Paulo Araújo


Clique aqui para ver mais sobre: Rali Dakar 2022