SBK Portimão – Bautista vence Corrida 2 e termina com domínio de Rea

O fim-de-semana terminou da melhor forma para o espanhol Alvaro Bautista que venceu a última corrida do Mundial Superbike no Autódromo Internacional do Algarve. Ainda assim, a ronda portuguesa foi boa para o tetracampeão Jonathan Rea que alarga a vantagem no campeonato. Nas Supersport foi Federico Caricasulo que levou a melhor numa corrida mais curta do que o previsto.

andardemoto.pt @ 8-9-2019 15:21:17

Depois de vencer as duas primeiras corridas do fim-de-semana luso do Mundial Superbike, vencendo confortavelmente na Corrida 1 e novamente na Superpole Race, Jonathan Rea tinha a oportunidade assegurar a décima vitória consecutiva no Autódromo Internacional do Algarve na Corrida 2 da categoria Superbike.

Mas desta feita o espanhol Alvaro Bautista (Aruba.it Ducati) não estava disposto a deixar a vitória nas mãos do seu grande rival. Mesmo tendo começado, novamente, muito mal, tendo descido de 2º na grelha de partida para sexto, Bautista rapidamente recuperou o ritmo e aos poucos foi subindo na classificação.

A pouco mais de metade da Corrida 2, que teve novamente 20 voltas, Bautista estava já atrás de Jonathan Rea e de Toprak Razgatlioglu (Turkish Puccetti Kawasaki). Os três envolveram-se numa intensa batalha pelo primeiro lugar, momentos em que Toprak aproveitou para assumir a liderança da prova.

Mas a liderança do piloto turco foi de pouca duração.
Alvaro Bautista, ainda muito condicionado pela lesão no ombro esquerdo, sentiu que estava no momento de atacar a vitória e tentar escapar na frente da corrida, e foi isso que o piloto da Ducati fez, passando Toprak Razgatlioglu, que também viu Jonathan Rea passar assumindo então a segunda posição.

Com o passar das voltas o piloto espanhol foi conseguindo manter um ritmo constante dentro de 1m42s altos, acumulando uma ligeira vantagem sobre Jonathan Rea e a sua Kawasaki. Razgatlioglu por sua vez não teve capacidade de responder ao ritmo dos adversários à sua frente e assegurou então o terceiro lugar, mais do que merecido para o piloto privado da Kawasaki.

Nas últimas voltas Alvaro Bautista chegou a deter mais de um segundo de vantagem sobre Rea, e os muitos espectadores que assistiram ao vivo no Autódromo Internacional do Algarve a esta Corrida 2 pensaram que a vitória estava já assegurada.


Mas nos últimos momentos Jonathan Rea ainda teve um último fôlego, aproximou-se do líder na entrada para as últimas curvas do circuito algarvio, e já com a meta à vista o tetracampeão ainda tentou roubar a vitória de Alvaro Bautista. No entanto, a Ducati Panigale V4 R fez valer toda a sua potência e velocidade em linha reta, e assim Bautista tornou-se no piloto que conseguiu bater Jonathan Rea em Portimão, 10 corridas depois.

Para além disso, tornou-se no primeiro piloto Ducati a conseguir uma vitória na ronda portuguesa do Mundial Superbike desde Carlos Checa, já na temporada 2011!

Ainda assim, Jonathan Rea sai satisfeito desta décima ronda da temporada. Com duas vitórias e um segundo lugar, o piloto da Kawasaki sai de Portugal com uma vantagem maior ainda em relação a Alvaro Bautista. Na luta pelo campeonato Rea conseguiu ganhar 10 pontos a Bautista, estando os dois agora separados por 91 pontos.

Mundial Supersport

Ao contrário da categoria Superbike, onde Jonathan Rea parece ter o quinto título assegurado, ainda que não esteja matematicamente, nas Supersport o título está muito longe de estar decidido depois de realizada a ronda portuguesa.

O italiano Federico Caricasulo e o seu companheiro de equipa e líder do Mundial Supersport, o suíço Randy Krummenacher, ambos em Yamaha da equipa Bardahl Evan Bros, voltaram a mostrar o porquê desta ser uma temporada em que o título irá recaír para um deles.

Caricasulo começou muito bem a corrida portuguesa das Supersport. Manteve a liderança e esperou para ver o que Krummenacher conseguia fazer. E a verdade é que o suíço respondeu à altura da ocasião!

Krummenacher chegou inclusivamente à liderança da corrida e por aí se manteve durante algumas voltas. Caricasulo foi-se mantendo encostado na traseira da Yamaha R6 do seu companheiro de equipa, e numa das passagens pela meta conseguiu mesmo ascender à liderança.


Essa manobra foi decisiva, pois momentos depois, e quando faltavam cinco voltas para o fim, a MV Agusta F3 675 de Raffaele de Rosa partiu o motor. O piloto italiano imediatamente saiu de pista e avisou que a sua moto tinha deixado óleo no asfalto, pelo que a Direção de Corrida foi obrigada a mostrar bandeiras vermelhas e dar por terminada a corrida antes do previsto.

Nesse momento já Randy Krummenacher estava na frente da corrida, mas pelas regras, o vencedor é definido por quem está na primeira posição na passagem da meta anterior à mostragem das bandeiras vermelhas. Assim, Federico Caricasulo levou a melhor, e reduziu a vantagem de Krummenacher para apenas 10 pontos.

O francês Lucas Mahias (Kawasaki Puccetti Racing) foi o terceiro classificado.

Depois desta ronda portuguesa ficam a faltar apenas três corridas para o final da temporada do Mundial Superbike. A próxima ronda acontece em França, no circuito de Magny Cours, dentro de duas semanas.

andardemoto.pt @ 8-9-2019 15:21:17


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto