Equipa ENI Aprilia Portugal já trabalha para 2020

Após o fecho da temporada do Campeonato Nacional de Velocidade, a ENI Aprilia Portugal Racing Team está já a preparar a próxima temporada e anuncia reforços e regresso à Copa Dunlop Motoval.

andardemoto.pt @ 30-10-2019 10:00:00

2019 não terminou da forma que a ENI Aprilia Portugal Racing Team pretendia, ou seja, com a conquista do ceptro principal na categoria Superbike do Campeonato Nacional de Velocidade, aquele que era o principal objetivo à partida para o piloto mais experiente da equipa, Tiago Magalhães, que isso mesmo confirmou ao Andar de Moto numa entrevista exclusiva que pode ler aqui.

Apesar dos dissabores sentidos ao longo da temporada do CNV, a equipa que compete com as Aprilia RSV4 RF teve também importantes desenvolvimentos na descoberta de novas estratégias a usar em pista, melhoramentos que foram sentidos tanto por Tiago Magalhães como pelos outros dois pilotos da equipa, Filipe Lourenço e João Diogo Silva.

A moto italiana revelou-se bastante sensível às alterações de alguns componentes, o que colocou dificuldades extra à equipa que procurou encontrar as melhores afinações para satisfazer as necessidades dos seus três pilotos.


Ainda assim, e com a ajuda do técnico Bernardo Vasconcellos, a ENI Aprilia Portugal Racing Team conseguiu encontrar formas de ultrapassar as dificuldades e obter alguns resultados interessantes, como provam as três vezes que Tiago Magalhães conseguiu subir ao pódio do CNV obtendo o segundo lugar, o que lhe permitiu terminar a temporada na quarta posição da classificação de pilotos.

João Diogo Silva, finalmente livre dos problemas técnicos, conseguiu pontuar em 11 das 12 corridas realizadas em Superbike, e para a temporada 2020 já coloca como fasquia terminar o ano como um dos cinco melhores do campeonato.

Quanto a Filipe Lourenço, a temporada de estreia em Superbike ficou seriamente comprometida com uma grave lesão logo no início do ano, e depois teve de recuperar o ritmo perdido mas ainda assim terminou a temporada em crescendo e rodando a par com o seu companheiro de equipa João Diogo Silva.

Para 2020 a ENI Aprilia Portugal Racing Team revela que vai alargar o seu raio de ação. De acordo com a equipa, vão passar a estar presentes não apenas na categoria Superbike com os seus três atuais pilotos, mas vão regressar à Copa Dunlop Motoval com um piloto que ainda está por anunciar.

Esta nova estratégia enquanto equipa para a próxima temporada vai também obrigar a alargar a equipa técnica que apoia os pilotos de Superbike.


Para Tiago Magalhães “Foi um ano em que evoluímos bastante, fruto do muito trabalho desenvolvido com o Bernardo (Vasconcellos). A melhoria de tempos e de performance espelhou o lado positivo da nossa temporada, as lesões e os problemas técnicos foram contratempos significantes, pois poderia ter um resultado diferente. Sabemos o que temos de trabalhar no futuro e já estamos a preparar tudo para subirmos a fasquia e o grau de exigência. A Aprilia provou uma vez mais ser uma moto muito competitiva e com um grande potencial, mas necessita de algum trabalho e de um entendimento melhor dos compostos de pneus que temos à disposição, que nem sempre são favoráveis à RSV4RF. Quero agradecer a toda a equipa, patrocinadores e família por me proporcionarem um temporada competitiva aos comandos da Aprilia. Sei que podemos melhorar bastante, a informação recolhida ao longo da temporada confirma que estamos no caminho certo e podemos ambicionar vitórias em 2020”.

Marco Machado, diretor da ENI Aprilia Portugal Racing Team faz questão de destacar que “Evoluímos muito a nossa performance e competitividade, mas também sabemos o quanto os nossos adversários melhoraram as suas prestações. A nova estrutura técnica mostrou estar à altura do desafio e com o seu método de trabalho aprendemos muito sobre a nossa moto. A Aprilia RSV4 RF é uma moto muito especial e muito sensível nos detalhes técnicos, temos de ter uma grande capacidade de interpretação de informação para seguir um caminho de afinações, dentro do tempo que temos disponível em pista. Os pneus foram o exemplo perfeito disso, com os compostos a não serem, sistematicamente, os ideais em termos de desgaste. Ao mudar o nosso método de trabalho, apurámos inúmeros factores que sabemos que farão a diferença na próxima temporada, que já estamos a trabalhar a 100% para que possamos estar mais fortes que nunca em pista, não só na SBK, mas à Copa Dunlop Motoval, onde regressaremos com um novo piloto. Quero agradecer aos nossos pilotos, equipa, patrocinadores e parceiros por tornarem este projeto possível”.

andardemoto.pt @ 30-10-2019 10:00:00


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto