MotoGP – Ezpeleta clarifica situação e não descarta competir até ao Natal

A temporada 2020 do Mundial de Velocidade está a ser muito conturbada. Carmelo Ezpeleta aproveitou a conferência de imprensa antes do Grande Prémio do Qatar para abordar diversos temas urgentes, e diz que se for preciso “Talvez façamos corridas em locais onde faça calor no Natal”.

andardemoto.pt @ 5-3-2020 22:54:23

Os fãs do Mundial de Velocidade querem ver os seus pilotos favoritos a competir, mas a situação mundial, fruto da pandemia do coronavírus ou COVID-19, está a transformar o início de temporada 2020 num verdadeiro caos.

Ainda recentemente a Dorna foi obrigada a revelar um calendário revisto de MotoGP, com alterações nas datas da realização dos Grandes Prémios da Tailândia e de Aragão. O primeiro GP do ano, no Qatar, não terá a presença da categoria rainha MotoGP, e no meio de tudo isto, há diversos rumores que assolam o paddock do Mundial de Velocidade.

O nome maior da organização que gere os destinos deste mundial, Carmelo Ezpeleta, CEO da Dorna Sports, aproveitou a primeira conferência de imprensa do ano antes de um GP, e antes dos pilotos das categorias Moto2 e Moto3 terem o “palco” só para si, Ezpeleta falou com a imprensa para clarificar diversas situações.

Carmelo Ezpeleta afirma em relação ao futuro que “É algo que não depende de nós, a situação está a mudar diariamente no mundo, apenas posso dizer que faremos os possíveis, adiar o que seja para adiar, todos estamos a trabalhar juntos para tentar realizar o campeonato nas melhores condições possíveis”.


O CEO da Dorna confirma que tentaram alterar aquela que, de acordo com o calendário revisto, será a segunda prova do ano, no Texas. Para Ezpeleta realizar o segundo Grande Prémio em Espanha e passar o GP das Américas para o final do ano era uma solução, mas “Dado o pouco tempo que falta para esse GP no final de março, é impossível que um circuito organize uma corrida de MotoGP no final de março”.

Com esta frase, Carmelo Ezpeleta parece colocar um ponto final na possibilidade de Portugal, nomeadamente o Autódromo Internacional do Algarve, receber MotoGP este ano para substituir algum GP que seja cancelado tão em cima da hora.


E vamos ter Mundial de Velocidade este ano?

Essa é uma questão que para Carmelo Ezpeleta nem se coloca. O representante da Dorna afirma que há contratos, serão cumpridos ao máximo, mas que há leis de cada país onde as corridas são organizadas que têm de ser cumpridas. Enquanto as autoridades dos países que recebem MotoGP não proíbirem este campeonato de visitar esses países, Ezpeleta garante que as corridas se realizam.

No meio do caos devido ao coronavírus, e com tantos eventos desportivos e não só a serem afetados, Carmelo Ezpeleta não descarta a possibilidade de se realizarem corridas sem espectadores nas bancadas dos circuitos, pois há países que estão a colocar / exigir restrições em eventos que signifiquem um grande ajuntamento de pessoas como por exemplo acontece com MotoGP.

Por último, e porque pode acontecer o caso de diversos Grandes Prémios terem de ser adiados, e Ezpeleta reforça a intenção de se realizarem os 19 GP’s que faltam, o responsável máximo da Dorna não descarta a possibilidade de um calendário de competição alargado: “O contrato com a FIM obriga a 13 corridas, mas queremos realizar as 19 corridas que faltam. No pior dos casos, e mesmo que existam cancelamentos, teremos tempo suficiente. Quem sabe se não vamos correr em países onde faça calor no Natal! A nossa função é realizar corridas, e é isso que faremos”.

andardemoto.pt @ 5-3-2020 22:54:23


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto