MotoGP França – “Magnifique” Miguel termina em 6º! Petrucci regressa às vitórias

Num Grande Prémio de França marcado pela chuva os pilotos de MotoGP foram obrigados a um esforço adicional. Numa corrida intensa e emocionante até ao fim, Miguel Oliveira terminou num excelente 6º lugar, num dia em que Danilo Petrucci regressou às vitórias com a Ducati e um “rookie” estreou-se no pódio.

andardemoto.pt @ 11-10-2020 14:15:55

Naquela que terá sido a melhor, ou no mínimo uma das melhores corridas de MotoGP desta atípica temporada 2020 do Mundial de Velocidade, os fãs da categoria rainha puderam assistir a muitas ultrapassagens, quedas e até problemas mecânicos que colocaram uma dose extra de incerteza quanto aos resultados finais.

Com um Grande Prémio de França com 27 voltas inicialmente previstas, e a poucos minutos do início da corrida de MotoGP, a Direção de Corrida foi obrigada a atrasar o arranque. O céu sobre o circuito de Le Mans estava carregado de nuvens que decidiram largar bastante água sobre o circuito gaulês.

O procedimento de arranque foi alterado para ser mais rápido, a corrida foi declarada “molhada”, e assim a estratégia passou a ser nota dominante na preparação desta corrida de MotoGP, com pilotos a escolherem pneus de chuva de diferentes compostos para tentar aproveitar o piso molhado mas sem saberem se o asfalto iria secar até final, havia sempre a possibilidade de serem obrigados a passar pela box a meio da prova para trocar para uma segunda moto com pneus slick. O que não se veio a confirmar.


Assim que os semáforos se apagaram e as MotoGP deram então início à corrida de França, encurtada em uma volta para um total de 26 voltas a cumprir até à bandeira de xadrez, o caos instalou-se logo nas primeiras curvas quando Valentino Rossi (Monster Energy Yamaha) perde o controlo da traseira da sua Yamaha M1 e acaba a deslizar pelo asfalto.

Vários pilotos viram-se obrigados a desviar do veterano italiano, que voltou a abandonar, entre eles Miguel Oliveira que tinha arrancado de 12º e estava assim no meio do pelotão. Mais à frente era Jack Miller (Pramac Ducati) que assumiu a liderança, mas por breves momentos, pois as duas Ducati de fábrica assumiram as despesas da corrida, com Danilo Petrucci a levar a melhor e assumir a liderança, enquanto Andrea Dovizioso se mantinha no segundo lugar.

Ainda nas primeiras duas voltas, o trio de Ducati alcançou uma vantagem confortável para os perseguidores, cerca de dois segundos e meio. Enquanto isso, Miguel Oliveira (Red Bull KTM Tech3) entrava rapidamente em “modo recuperação”, e rodava já em 15º. Em sentido contrário estava o líder do campeonato. Fabio Quartararo (Petronas Yamaha SRT) não se mostrou nunca muito à vontade com o piso molhado, e rapidamente foi descendo de posições.



A sorte do francês da Yamaha foi a também falta de performance em molhado por parte de Joan Mir (Ecstar Suzuki), com o espanhol a estar ainda pior na 16ª posição, tendo inclusivamente caído para 20º por breves instantes.

Miguel Oliveira, imune a todas as condições climatéricas e a mostrar um andamento fantástico para um piloto que ainda não tinha enfrentado uma corrida de MotoGP à chuva, continuava a revelar-se como um dos mais rápidos em pista. Em pouco tempo estava já no 10º lugar, altura em que se colou na traseira de Alex Marquez (Repsol Honda), com o “rookie” espanhol a também começar aí uma corrida memorável!

Miguel tentou passar por Alex Marquez e por Fabio Quartararo de uma só vez. Mas a manobra acabou por permitir que o espanhol da Repsol Honda conseguisse passar por Quartararo, com Miguel a também passar o líder de MotoGP mas a não conseguir passar pelo piloto da Honda. Marquez estava então em 8º, Miguel Oliveira em 9º, enquanto Quartararo descia para 10º.

Lá na frente as três Ducati continuavam a mostrar uma eficácia em piso molhado que mais ninguém conseguia acompanhar. A vantagem mantinha-se para os perseguidores, enquanto Alex Marquez e Miguel Oliveira passam por Bradley Smith (Aprilia Gresini), e assim ambos sobem mais uma posição. Smith viria a cair pouco depois e abandonou, naquela que poderia ser uma das suas melhores corridas de MotoGP.

Enquanto isso, Alex Rins (Ecstar Suzuki) começa uma sequência de voltas rápidas e aproxima-se perigosamente das três Ducati. Com Jack Miller na sua mira, o espanhol da Suzuki rapidamente define uma estratégia e começa a pressionar o australiano, que vai sempre respondendo aos ataques de Rins.

Alex Marquez continua a sua “cavalgada” impressionante e pressiona Pol Espargaró (Red Bull KTM Factory) que parecia ter o quinto lugar seguro. Ligeiramente mais atrás, Miguel Oliveira e Cal Crutchlow (LCR Honda) estão entretidos numa batalha muito própria, e Andrea Dovizioso decide que está no momento de atacar e assume a liderança por troca com Danilo Petrucci.


Na batalha pelo terceiro lugar, Alex Rins e Jack Millera levam o seu esforço para lá dos limites. Numa das travagens mais complicadas do circuito os dois pilotos lançam a confusão na frente da prova, com Petrucci a sair beneficiado, Alex Rins a assumir a segunda posição, Jack Miller a terceira, e com Andrea Dovizioso impotente a apenas conseguir evitar os toques e quedas ficando então em quarto.

Pouco depois, o motor V4 da Desmosedici GP20 de Miller entrega a “alma ao criador”. O australiano rapidamente sai de pista para evitar contaminar o asfalto molhado com óleo do seu motor, e regressa à box da Pramac em fúria, sabendo que poderia ter obtido um bom resultado em Le Mans.

Com tudo isto, Alex Marquez subiu a quarto atrás de Dovizioso. Miguel Oliveira, que já tinha beneficiado da queda de Cal Crutchlow, estava colado na traseira da KTM de Pol Espargaró, mas o espanhol conseguiu sempre fechar o caminho.

Alex Rins, quando estava em segundo e a recuperar terreno para Petrucci, levou longe demais o seu esforço e caiu. Ainda regressou à pista mas levou consigo uma cinta dos comissários de pista que o ajudaram nesse regresso. Fez uma volta e teve de abandonar quando lhe foi mostrada a bandeira preta com círculo laranja.

Assim tínhamos então Danilo Petrucci, Andrea Dovizioso, Alex Marquez, Pol Espargaró e Miguel Oliveira a discutirem o pódio deste GP de França. Embora Petrucci estivesse com uma pequena vantagem, talvez por ter escolhido um pneu dianteiro de composto médio que lhe deu mais alguma confiança nas últimas voltas.



Não contente com o terceiro lugar, Alex Marquez parte ao ataque. Passa por Dovizioso na famosa curva 5 e a partir daí tenta, sem sucesso, chegar à traseira do líder Petrucci. Dovizioso por sua vez é passado por Pol Espargaró, e logo de seguida, já nas duas voltas finais, é mesmo Miguel Oliveira que passa o piloto da Ducati, embora a maior velocidade da moto italiana tenha permitido a “DesmoDovi” reassumir o quarto lugar.

Na última volta os lugares do pódio estavam praticamente definidos. Danilo Petrucci confirmou mesmo a sua segunda vitória de MotoGP, um ano depois de ter vencido em Mugello no GP de Itália, e torna-se no primeiro piloto Ducati a vencer em Le Mans, Alex Marquez estreou-se no pódio da categoria rainha com um segundo lugar e o primeiro pódio Honda esta temporada, sendo o mais novo dos irmãos Marquez o 15º piloto diferente a subir ao pódio em 2020, enquanto Pol Espargaró também subiu ao pódio com a KTM, neste caso o degrau mais baixo do pódio.

Uma classificação que não deixa de ser curiosa, pois todos estes três pilotos não estarão nas suas atuais equipas na próxima temporada.

Quanto à luta de Dovizioso com Miguel Oliveira, e quando o português se preparava para atacar o italiano, foi já com a meta à vista que o piloto da casa, Johann Zarco (Esponsorama Avintia Ducati) se intrometeu e aproveitou um momento para surpreender Miguel Oliveira na penúltima curva e assim assumiu a quinta posição, fazendo o português cruzar a linha de meta na 6ª.

Nas contas do campeonato Miguel Oliveira mantém o 9º lugar com 69 pontos, tem agora 46 pontos de desvantagem para Fabio Quartararo, que com o nono lugar em Le Mans salva ainda a primeira posição na classificação com 115 pontos, mais dez pontos do que Joan Mir e com Andrea Dovizioso a subir a terceiro tendo menos 18 pontos do que Quartararo.

andardemoto.pt @ 11-10-2020 14:15:55


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto