Novas regras Supersport testadas pela Triumph e Ducati no BSB

A FIM pretende renovar as regras técnicas do Mundial Supersport para permitir a entrada de novos fabricantes. A Triumph e a Ducati irão competir nesta categoria do campeonato britânico BSB para testar as novas regras.

andardemoto.pt @ 25-11-2020 10:12:12

Foi no início de outubro passado que o seu Andar de Moto lhe falou pela primeira vez na possibilidade do Mundial Supersport sofrer uma mudança radical. A Dorna e a Federação Internacional de Motociclismo (FIM), liderada pelo português Jorge Viegas, pretendem revitalizar uma categoria que tem vindo a perder grande parte do seu interesse nos anos mais recentes.

Com as vendas dos modelos supersport a cair a pique, com os fabricantes pouco dispostos em investir grandes quantias de dinheiro numa fórmula que, aparentemente, não é do interesse do público que depois se desloca aos concessionários para comprar os modelos que competem e ganham nas pistas durante o fim de semana do Mundial Supersport, a única solução para a Dorna e FIM é uma atualização radical dos regulamentos técnicos.

Nomeadamente a parte dos regulamentos que indica qual o tipo de motores (número de cilindros e cilindrada) que são possíveis de utilizar na categoria Supersport.



Nesse sentido, um conjunto de novas regras está a ser preparado. Mas em vez de aplicarem as regras já no Mundial Supersport, a Dorna e a FIM optaram por chegar a acordo com os organizadores do campeonato britânico BSB. Este acordo permitirá que sejam testadas em competição as novas regras que abrem a porta à homologação para competição de motos com motores de maior cilindrada.

Nesta fase de teste que durará toda a temporada 2020 do BSB, a categoria Supersport deste campeonato nacional verá uma equipa com apoio de fábrica da Triumph e uma equipa Ducati a competirem frente aos modelos mais “tradicionais” como as Yamaha R6, Kawasaki Ninja ZX-6R, entre outros modelos.

Se a Ducati irá utilizar a Panigale V2 com o seu motor bicilíndrico de 155 cv – clique aqui para ler o nosso teste à desportiva da Ducati –, a moto a utilizar pela Triumph é ainda uma incógnita no sentido que não será um modelo que atualmente podemos adquirir nos concessionários a marca britânica.



Steve Sargent, diretor de produto da Triumph, confirma que a moto a utilizar será uma derivação do chassis da Street Triple 765, o motor tricilíndrico da aclamada naked de Hinckley, e que serve também de base para o motor único do Mundial Moto2, verá a sua potência aumentada com utilização de um kit de competição, enquanto as carenagens de pista servirão para garantir a aerodinâmica necessária que a naked Street Triple não oferece.

Apesar de não existir ainda a garantia de que as novas regras serão aprovadas depois desta temporada de teste no BSB em 2021, o comunicado da Triumph em que confirma a participação neste teste refere ainda que “Este desenvolvimento excitante marca o regresso oficial da Triumph ao cenário da competição britânica com uma equipa apoiada pela fábrica e o início de uma presença ainda mais abrangente em 2022 e daí em diante”.

Estas declarações não deixam grandes dúvidas de que a Triumph, tal como outros fabricantes como a Ducati ou a Aprilia, estão já a pensar na aprovação das alterações aos regulamentos técnicos da categoria Supersport e em inscreverem motos para competir no mundial da categoria a partir de 2022.

andardemoto.pt @ 25-11-2020 10:12:12


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto