MotoE – André Pires em evolução e Dominique Aegerter a ser o mais rápido em Jerez

O primeiro de três dias de testes oficiais para os pilotos da Taça do Mundo FIM MotoE arrancou com Dominique Aegerter a dominar a tabela de tempos. O português André Pires pilotou pela primeira vez a sua Energica Ego Corsa e já demonstra uma boa evolução.

andardemoto.pt @ 2-3-2021 18:31:39

O circuito de Jerez Ángel Nieto está por estes dias, mais precisamente até dia 4 de março, por conta dos pilotos e equipas que vão participar naquela que será a terceira temporada da Taça do Mundo FIM MotoE, competição iniciada em 2019 e exclusiva para motos elétricas.

Mais uma vez a Energica é o fornecedor oficial das motos para os pilotos das MotoE. A Energica Ego Corsa de competição ainda não utiliza a tecnologia que permite ao condutor falar com a moto, mas é na realidade uma evolução específica para pista da Ego que podemos conduzir em estrada.

De referir que a Energica disponibiliza o kit Corsa para os clientes que pretendam adaptar a sua Ego ao uso em pista.

O primeiro dos três dias de testes das MotoE em Jerez Ángel Nieto foi dominado por Dominique Aegerter.

Leia também - André Pires apresentado como piloto da Esponsorama Avintia nas MotoE


O piloto suíço da equipa Dynavolta Intact GP foi estando entre os três primeiros da tabela de tempos ao longo das duas primeiras sessões em pista, e na terceira sessão que deu por finalizada a ação do primeiro dia de testes das MotoE, Aegerter cravou mesmo uma volta em 1m48.478s, sendo que apenas Eric Granado (One Energy Racing) foi o outro único piloto a conseguir rodar no segundo 48.

O terceiro mais veloz foi Alessandro Zaccone (Octo Pramac MotoE).

Quanto aos “rookies”, destaque para o espanhol Fermin Aldeguer (Openbank Aspar Team). Com apenas 15 anos (completa 16 antes da primeira corrida), o espanhol é o mais jovem do plantel que conta com um total de 18 pilotos em 2021.

Fermin Aldeguer foi o quarto mais veloz neste primeiro dia de testes das MotoE em Jerez Ángel Nieto, necessitando apenas de +0,792s para completar uma volta ao circuito andaluz em comparação com Dominique Aegerter.



Nesta lista de estreantes temos ainda de destacar a presença do português André Pires (Esponsorama Avintia).

O piloto luso, depois de muitos anos a competir na velocidade nacional e de se ter dedicado ainda às “road races” como Tourist Trophy ou o Grande Prémio de Macau, opta em 2021 por seguir um trajeto de visibilidade mundial mas com motos elétricas.

André Pires pilotou hoje pela primeira vez a sua Energica Ego Corsa, uma moto mais pesada e menos potente do que as superbike que está habituado, e ainda por cima equipada com pneus slick da Michelin. Todos estes detalhes obrigam Pires a um processo de adaptação que por vezes pode ser longo, mas que no caso do português pode ficar mais curto do que o previsto.


A evolução de André Pires ao longo das três sessões em pista foi notória. Na primeira vez que rodou em Jerez com a Ego Corsa o seu melhor tempo foi de 1m55.471s, na segunda sessão chegou ao 1m52.832s, e por fim, tal como os restantes pilotos em pista, foi na terceira sessão que André Pires obteve o seu melhor tempo ao rodar em 1m52.363s que lhe dá o 15º tempo na tabela de tempos.

Tendo estes tempos por volta em conta, verificamos que a evolução do português é muito positiva e conseguiu melhorar o seu registo em 3,108s da primeira para a terceira sessão.

Com mais dois dias de testes programados em Jerez Ángel Nieto, André Pires terá certamente oportunidade de ainda melhorar mais o seu conhecimento da moto elétrica da Energica, entender melhor como gerir a entrega de potência desta moto elétrica, e ficar cada vez mais bem inserido na equipa Esponsorama Avintia que o acolhe em 2021.


Galeria de fotos primeiro dia de testes Taça do Mundo FIM MotoE em Jerez

andardemoto.pt @ 2-3-2021 18:31:39


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto