Escola de Pilotagem Honda – A pensar na nossa segurança há 20 anos

No ano em que completa 20 anos de existência e milhares de cursos realizados, a Escola de Pilotagem Honda em Palmela vê os seus recursos serem reforçados com uma renovação de instalações e meios à disposição deste projeto liderado por Nuno Barradas. Um projeto onde a segurança, a nossa segurança, é o foco principal!

andardemoto.pt @ 28-5-2019 09:00:00 - Texto: Bruno Gomes

O tema segurança é um tema recorrente para todos nós que gostamos do mundo das duas rodas. Os motociclistas são um elemento “fraco” na estrada, com maior probabilidade de se verem envolvidos num acidente com consequências físicas. Por esta razão é extremamente importante que tenhamos consciência de que o primeiro passo para aumentar a nossa segurança na estrada, quando conduzimos a nossa moto, parte precisamente de nós.

É por essa razão que a Escola de Pilotagem Honda (EPH), localizada no Kartódromo Internacional de Palmela desde 2006, mas que nasceu em 1999 na Cabra Figa (Sintra), com o apoio da Honda Portugal, se tornou ao longo dos últimos 20 anos numa “ferramenta” extremamente válida para todos os motociclistas que ali aprendem diversas técnicas e estratégias para desfrutar do mundo das motos com maior segurança.

E este ano de 2019 marca precisamente uma data de reforço das ambições da EPH, o projeto liderado por Nuno Barradas,  que conta com uma equipa de instrutores credenciados pela Honda, e que visa melhorar os conhecimentos sobre a segurança em duas rodas, vê os seus meios reforçados para poder transmitir aos seus alunos um conjunto de informações vitais para a condução de motociclos.

Para avaliarr as diversas valências da Escola de Pilotagem, a convite da própria Honda Portugal, o Andar de Moto marcou presença num evento ali realizado e que permitiu contactar e sentir pessoalmente o que valem os cursos da EPH.

Carlos Cerqueira, responsável de marketing da Honda Portugal Motos, reforçou o compromisso da marca japonesa em prol da segurança pois “Uma marca como a Honda, e com a cota de mercado que tem, o que lhe dá uma maior responsabilidade, tem de apoiar e continuar a desenvolver esforços para contribuir para a segurança dos motociclistas. É claro que o negócio principal da marca é vender motos. Não podemos esconder isso. Mas depois não podemos esquecer os motociclistas, independentemente das marcas que escolhem, e temos de trabalhar e ajudar para que tenham as capacidades necessárias para conduzir uma moto em segurança. É pois isso que esta Escola de Pilotagem Honda é tão importante!”, referiu Carlos Cerqueira.

A primeira explicação do dia foi dada na renovada sala onde os alunos da EPH recebem os primeiros segredos para enfrentar o trânsito aos comandos de uma moto. Aí o simulador Honda tem um papel fundamental, pois com diversos cenários disponíveis, uns mais e outros menos previsíveis, e no conforto da sala de aula, Nuno Barradas consegue perceber logo à partida quais os principais fatores a melhorar nas aulas práticas, 

Carros que se atravessam à nossa frente sem sinalizar mudança de direção, pessoas que atravessam a estrada por trás de um autocarro e que não as conseguimos visualizar até estarem mesmo à nossa frente... enfim, o simulador é uma das mais interessantes ferramentas das aulas da Escola de Pilotagem Honda.


Mas as aulas da EPH não são apenas passadas no interior da sala. Existe, claro, uma componente prática que é o “ponto alto” de cada curso, e este ano com exercícios novos para testar e aperfeiçoar as técnicas dos alunos.

Neste dia, que serviu para podermos testar uma pequena parte do curso EPH, pudemos experimentar diversas técnicas, como a do ponto em que fixamos o nosso olhar para influenciar a trajetória em curva, um exercício simples, mas que ao mesmo tempo demonstra a grande importância do treino.

Nuno Barradas, antes de nos deixar arrancar aos comandos de um dos diversos modelos Honda à disposição, com caixa manual ou automática, reforça que muitas vezes os acidentes acontecem “Porque o motociclista fixa o seu olhar precisamente no perigo que está à sua frente. Devem sempre desviar o olhar da árvore, do buraco no asfalto, ou no carro. Procurar fixar o olhar num ponto mais afastado e que de forma ‘automática’ fará com que a moto siga uma trajetória mais acertada e para fora de perigo”.

O exercício seguinte, um slalom, permitiu testar duas formas diferentes de controlar a dinâmica da moto em curvas encadeadas. Primeiro, apenas usámos o acelerador e o seu efeito travão-motor. E depois usámos o travão traseiro, mantendo o acelerador na mesma posição.

O resultado é inevitável! Controlando a moto apenas com acelerador, acelerando e desacelerando de curva para curva para sem tocarmos nos cones, a moto revela-se claramente mais instável, mais nervosa, e a frente não se mantém tão facilmente na trajetória ideal. Ajudando com o travão traseiro, a moto fica totalmente controlada, estável, e basta um pequeno “aconchego” no travão para apertar um pouco mais a trajetória no caso de levarmos velocidade a mais.

O terceiro exercício voltou a exigir um controlo especial dos travões. Neste caso Nuno Barradas e a Escola de Pilotagem Honda fazem questão de mostrar aos alunos como se deve travar, e a diferença entre travar só com o travão traseiro ou usando os dois travões. Mesmo a 50 km/h ficámos surpreendidos pela diferença existente na distância de travagem.

O quarto e último exercício que experimentámos nesta visita à Escola de Pilotagem Honda, e porventura o mais interessante, é uma novidade que passa a estar disponível a partir de agora, e que é implementada em Portugal depois de já ser usada na Escola de Pilotagem da Honda em Barcelona, que este ano celebra os seus 25 anos: trata-se do teste de travagem em piso extremamente escorregadio.


Travagem sem ABS

Travagem sem ABS

Uma moto, neste caso uma Honda CB60F, equipada com dois suportes laterais com rodas, conta com um sistema de travagem ABS que pode ser desligado. Primeiro colocamos a moto em andamento em direção a uma tira de piso de baixa aderência, específica para este teste. Moto estável a 40 km/h, entramos no local do teste, e ao passar os pinos travamos só com o travão da frente. Este teste é feito primeiro com ABS desligado e depois com o sistema ligado.

Com a ajuda dos suportes laterais e rodas de apoio, a primeira travagem revela um descontrolo total da roda da frente, e nem mesmo qualquer tentativa de corrigir e tentar evitar o que seria uma queda é bem sucedida. A direção tranca, a frente escorrega, e nem mesmo Marc Marquez conseguiria salvar esta queda! Apenas os apoios laterais impedem a queda, e o aluno está sempre em segurança.

Travagem com ABS

Travagem com ABS

Na segunda travagem já com o ABS ligado, a CB650F tem um comportamento muito mais controlado, e apesar da roda da frente não ter grande aderência, podemos manter a direção estável até parar em segurança. É extremamente importante podermos testar o ABS desta forma, sem risco de queda, pois só assim conseguimos entender como funciona o sistema e como podemos tirar maior proveito das suas potencialidades em caso de travagem em piso escorregadio.

Apesar de apenas termos podido experimentar uma pequena parte do curso da Escola de Pilotagem Honda, o que absorvemos desta amostra foi mais do que suficiente para afirmar que os conselhos e técnicas ministrados pelo Nuno Barradas e a sua equipa são extremamente interessantes e vitais.

O facto da Honda Portugal continuar a apoiar este projeto e visando agora mais uma componente de mobilidade, revela o como a marca japonesa também está empenhada na segurança dos motociclistas.

Se ficou interessado em experimentar a Escola de Pilotagem Honda em Palmela pode visitar o website https://eph.honda.pt .

Existem diversas opções à escolha, com preços bastante acessíveis e o Nuno Barradas fará tudo para que os participantes consigam participar nas aulas nos dias e horários que mais lhes convêm. Aqui ficam os preços anunciados pela Escola de Pilotagem Honda:

- Curso com duração de 3 dias / 15 horas – custo de 370€;

- Curso com duração de 4 horas – custo de 105€ a 130€;

- Curso com duração de 5 horas – custo de 130€ a 150€ (preços especiais para grupos).

andardemoto.pt @ 28-5-2019 09:00:00 - Texto: Bruno Gomes