Nought Tea - uma Royal Enfield Continental GT650 by Harris Performance

Do alto dos seus 40 anos de experiência a Harris Performance customizou uma das novas Twin 650.

andardemoto.pt @ 24-7-2019 18:48:00

Desde o seu lançamento que as novas Royal Enfield de motor bicilíndrico paralelo estão nas bocas do mundo. Desde a sua primeira aparição que ninguém tem dúvidas que, à semelhança da sua “irmã” Interceptor, a Continental GT é uma base irresistível para a criação, a custos controlados, de uma moto personalizada que possa encher de orgulho o seu proprietário.

E por isso, a Royal Enfield, que faz parte do gigantesco grupo económico Eicher Motors, não quis deixar de se aliar à britânica Harris Performance, adquirida há poucos anos pelo mesmo grupo e aproveitar a sua experiência e reputação acumulada ao longo de mais de 40 anos de desenho industrial, nomeadamente ao nível do desenho dos quadros (o quadro das novas Twin 650 de série foi desenhado precisamente pela Harris), para construir uma “show bike”, uma “retro racer” que pudesse ser apresentada como exemplo ao mundo dos customizadores, precisamente no berço da civilização motociclística, em Londres, na edição de 2019 do carismático evento Bike Shed.

Por isso a Nought Tea GT 650 não é apenas uma réplica, mas antes uma verdadeira moto performante que foi alvo de uma forte intervenção ao nível da ciclística, que serve de base para uma futura versão, mais desportiva, que irá aparecer em breve, destinada sobretudo às corridas.

Claro que a grande alteração, ou seja, aquela que mais chama a atenção, é a carenagem tipo foguetão. Mas a intervenção foi mais profunda, e inclui entradas de ar directas, em substituição da caixa de ar, que conjugam com a redesenhada linha de escape.

Mas a suspensão à medida, integralmente assinada pela Ohlins, tampouco passa despercebida. E os mais atentos também poderão ter já notado que os travões não são os modestos Bybre de série, mas antes Brembo de pleno direito.


Iluminação e piscas em LED, um painel de instrumentos mais desportivo e o motor pintado de negro, criam um cenário mais desportivo, complementado por avanços mais radicais, instalados directamente nas bainhas da suspensão, e novos poisa-pés e comandos em posição mais recuada, que garantem uma ergonomia mais radical, propícia a ritmos mais elevados.

Uma modificação deste género implica também uma substancial redução de peso, que no caso foi conseguida à custa de elementos mais leves, como as mesas de direcção redesenhadas pela Harris Performance, e à eliminação de parte substancial do sub-quadro. 

Ao nível do motor a Nought Tea GT 650 recebeu um aumento de cilindrada, e consequentemente de potência, à conta de um kit de pistões e bielas assinado pela S&S, que confere ao bicilíndrico uma capacidade de 750cc.

É de esperar que, em breve, surjam novos modelos da Royal Enfield desenvolvidos em parceria com a Harris Performance.

Não perca o Teste à Continental GT 650 e Interceptor que já tivemos oportunidade de publicar no Andar de Moto (clique aqui).


andardemoto.pt @ 24-7-2019 18:48:00