A 916 de Massimo Tamburini está em exposição no Museu Ducati

A Ducati conseguiu convencer a filha de Massimo Tamburini a permitir que a 916 do seu pai fosse transportada até ao Museu Ducati em Borgo Panigale. A moto que pertenceu ao criador da icónica 916 fica em exposição até janeiro de 2020.

andardemoto.pt @ 5-8-2019 11:19:10

O lançamento da edição especial e limitada Panigale V4 25º Anniversario 916, de que lhe falamos aqui, foi uma ocasião muito especial para a marca italiana, pois esta nova Panigale serve de homenagem perfeita aquela que é considerada por muitos como uma das motos mais bonitas alguma vez criadas. A 916 é um verdadeiro ícone, não apenas para os Ducatistas, mas também para todos os que gostam de motos.

E é a pensar em todos nós que a Ducati, em colaboração com a família de Massimo Tamburini, mais concretamente a sua filha Simona Tamburini, conseguiu que um dos três protótipos usados por Massimo Tamburini durante o processo de desenvolvimento da 916 esteja agora em exposição no Museu Ducati, em Borgo Panigale.

Esta 916 agora em exposição não podia ser mais especial!


Para além de ter sido usada para que Massimo Tamburini e a Ducati chegassem à versão final de produção desta desportiva que fez sonhar tantos motociclistas, esta unidade em específico foi a moto pessoal de Tamburini.

A 916 foi desenvolvida em exclusivo nas estradas de Rimini e nos circuitos de Misano e Mugello. Um processo que durou longos seis anos enquanto Massimo Tamburini estudou, meticulosamente, todos os detalhes antes da Ducati nos apresentar a 916 de produção em 1994.

Em relação à unidade que está agora em exposição, que pertenceu e foi guiada por Massimo Tamburini, a Ducati revela alguns detalhes curiosos e que de certeza não vão passar despercebidos a quem visitar o Museu Ducati.


A moto apresenta muitos detalhes que foram usados na 916 SP, a versão mais performante da série 916. Com carenagens em fibra de vidro, Tamburini optou por usar diversos componentes em fibra de carbono como são os casos da caixa de ar, guarda lamas frontal, ponteiras de escape, ou ainda o suporte de matrícula. A moto não apresenta intermitentes nem odómetro.

Outros componentes em destaque nesta 916 de Massimo Tamburini são as jantes de competição em magnésio, de cinco braços, ou o monobraço oscilante mais leve do que aquele usado na versão de produção.

Se ainda não tinha motivos suficientes para viajar até Borgo Panigale e visitar o Museu Ducati, então não pode perder esta oportunidade de ficar a conhecer de perto uma das motos mais icónicas da história das duas rodas, a 916 de Massimo Tamburini.

andardemoto.pt @ 5-8-2019 11:19:10


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews