Cinco coisas que irritam os motociclistas

Conduzir uma moto é uma “arte” que obriga a uma atenção e dedicação a 100%. Mas nem sempre conseguimos manter a concentração com tudo o que acontece à nossa volta. E por vezes os acidentes acontecem por causa das distrações provocadas por outros. Aqui ficam as cinco coisas que mais irritam os motociclistas.

andardemoto.pt @ 19-8-2019 15:34:20

Quantos de nós que conduzimos moto todos os dias já não ouvimos alguém a pedir compreensão porque não nos viu, e quase nos mandou ao chão? Ou quantas vezes já tivemos de nos desviar de um automóvel porque o condutor do mesmo estava mais preocupado em atualizar o seu estado no Facebook?

Nós já conduzimos as nossas motos tendo perfeita noção de que coisas destas acontecem, e adotamos, ou pelo menos devemos adotar, uma postura de condução defensiva, em que prevemos que alguma coisa vai acontecer.

Com a experiência acumulada e com os anos passados no meio do trânsito vamos obtendo aquela “esperteza” que nos safa de um acidente: um condutor de um automóvel que está parado no trânsito e que olha para a direita é, normalmente, um sinal de que esse automóvel se vai desviar para a direita mesmo que não sinalize a manobra.

Aqui fica uma lista de cinco coisas que irritam os motociclistas e colocam a nossa segurança em causa! Normalmente estas situações não são cometidas por motociclistas, pois já temos a noção das consequências, por isso se o caro leitor tiver alguém que conduz carro e não tem especial atenção às motos, se calhar é melhor partilhar este artigo com esse amigo.

#1 – Escrever e trocar mensagens ao telemóvel

Se há alguma coisa que irrita um motociclista na estrada é apanhar um condutor de um automóvel a mexer no telemóvel. O Código da Estrada é extremamente claro sobre isto, proibindo e definindo coimas bastante pesadas para quem o pratica, mas mesmo assim é comum termos de desviar de um carro porque o condutor está a mandar uma mensagem a alguém.

Passar por alguém que está a escrever e a conduzir em simultâneo é normalmente seguido de uns quantos palavrões e uns gestos “amigáveis” dirigidos a esse condutor.

Os condutores de automóveis têm de entender, de uma vez por todas, que não há nada mais importante do que prestar atenção à estrada e a tudo o que os rodeia enquanto estão a conduzir. Nem mesmo atualizarem os estados no Facebook é tão importante! Ser um “Instagram influencer” também não significa que podem estar a tirar fotos e a publicar enquanto conduzem. Não vai dar bom resultado.

É que o resultado destas distrações pode ser um encontro imediato, e indesejado, com um motociclista e a sua moto.


#2 – Impedir de passar entre as filas de trânsito parado

Esta é uma das situações mais comuns, embora tenhamos de admitir que atualmente os condutores portugueses estão bem mais cordiais neste aspeto, provavelmente desde que mais motos começaram a circular desde a entrada em vigor da famosa lei das 125 cc.

Compreendemos que não é agradável estar horas a fio parado no trânsito, a desesperar para chegar a casa, ir às compras, ou até conseguir chegar ao trabalho a horas para que o patrão não refile. Mas se no trânsito parado ou compacto vir uma moto a passar por entre as filas de trânsito, não dificulte a passagem!

É verdade que o Código da Estrada não permite aos motociclistas circularem entre filas de trânsito, existem coimas definidas para quem conduz moto assim. Mas há duas razões simples que explicam o porquê dos motociclistas quererem passar entre os carros.

A primeira razão é o receio de levar com um carro em cima se ficarmos parados no fim da fila. Normalmente porque o condutor do carro que bate na traseira da moto está desatento a escrever ao telemóvel. Se um carro bater na traseira de um outro carro, o resultado normalmente fica-se por danos materiais. Se um carro bater na traseira de uma moto, o resultado, para além de danos materiais, provavelmente será lesões para o motociclista.

A segunda razão é porque queremos efetivamente melhorar o fluxo de tráfego nas cidades. Estradas congestionadas são um dos principais focos de poluição nas nossas cidades. Se os motociclistas puderem passar e seguir o seu caminho vamos estar a ajudar a reduzir o congestionamento na estrada.


#3 – Atirar coisas da janela

Atirar objetos pela janela para fora do automóvel não só é um caso de contra-ordenação prevista no Código da Estrada, uma falta de civismo gritante, como também coloca em causa a segurança dos motociclistas que circulam na estrada.

Recentemente o Governo aprovou uma Lei que proíbe o atirar de beatas de cigarro para o chão. As multas para quem for apanhado a atirar um cigarro para o chão vão dos 25€ aos 250€.

Referimos e damos aqui o exemplo das beatas de cigarros pois é esse o objeto que os condutores portugueses mais atiram pela janela dos seus automóveis.

Mas não é só beatas que costumamos apanhar na estrada enquanto conduzimos a moto. Papeis, copos e garrafas de plástico (algumas vazias... outras nem por isso), pacotes de bolachas ou batatas fritas. Enfim, a quantidade de lixo que os condutores de automóveis lançam pela janela, como que a fazer tiro ao alvo, é enorme.

O perigo de atirar, por exemplo, beatas pela janela do automóvel é que uma beata ainda acesa pode facilmente ficar no blusão do motociclista, nas calças, ou nos casos mais graves entrar pela viseira de capacete que vai aberta e causar problemas graves ao motociclista.

Resumindo: atirar lixo pela janela não deve ser uma coisa aceite de ânimo leve pela sociedade! Dá multa, é falta de civismo, e é bastante perigoso.

#4 – Conduzir colado à nossa traseira

Bom, aqui talvez seja uma situação que tanto irrita os motociclistas como os condutores de automóveis.

No caso das motos mais potentes e de um motociclista mais experiente que não se deixe afetar pela pressão de ter um carro colado à sua traseira, uma pequena aceleradela e a moto vai embora.

Mas atualmente as nossas estradas estão “carregadas” de motociclistas menos experientes, e que conduzem motos menos potentes. Se estes motociclistas pressentem que está alguém de carro colado à sua traseira, o que vai acontecer é que vão passar mais tempo a olhar para os espelhos e para trás, do que a olhar para a frente e para o que está na estrada.

A consequência disto é, provavelmente, um acidente.

#5 – Cargas sem estarem devidamente tapadas ou fixas

Quantos de nós já não apanhámos um camião, ou uma carrinha de caixa aberta, com areia a largar parte da sua carga mesmo à nossa frente na estrada? E quem diz areia pode também dizer madeira, palha, cartão...

Já não basta termos de apanhar com mosquitos ou chuva, e com o lixo que alguns atiram pela janela, como temos ainda de enfrentar mais estas armadilhas que largam na estrada, muitas vezes por puro desleixo ou preguiça.

andardemoto.pt @ 19-8-2019 15:34:20