Furion M1: a moto híbrida que tem 30 km de autonomia elétrica

O protótipo final da Furion M1 apresenta importantes alterações ao conceito original. Esta proposta francesa conta com motor a combustão e outro elétrico, emissões poluentes mais baixas, e uma autonomia interessante para uso em cidade.

andardemoto.pt @ 23-8-2019 12:08:25

Em dois anos muita coisa muda, e isto é especialmente verdadeiro no caso do desenvolvimento de conceitos inovadores de motos como é o caso da Furion M1. A visão do francês Marc Evenisse para uma moto híbrida começou em 2017, e desde logo captou a nossa atenção aqui no Andar de Moto.

Nesse primeiro “contacto” com a Furion M1 fomos surpreendidos pela escolha do motor a combustão. Na altura o seu criador queria utilizar um motor rotativo Wankel, de rotor duplo, em conjunto com um motor elétrico. Mas do conceito inicial para o protótipo final revelado recentemente em Le Mans, Marc Evenisse foi obrigado a introduzir alterações significativas a esta moto híbrida.

O chassis deixou de ser em tubos de aço tipo treliça e passa a ser de uma Yamaha YZF-R6, um quadro dupla trave em alumínio. No interior do quadro encontramos agora um motor a combustão com quatro cilindros em linha, de 750 cc, com origem na Yamaha.


Marc Evenisse teve de abandonar o motor rotativo pois “com esse motor alcançávamos temperaturas de 1200 graus Celsius no escape, e o sistema de controlo de emissões ficava baralhado. Para além disso não consegui encontrar uma caixa de velocidades no mercado capaz de poder ser acoplada a este tipo de motores”.

Sendo assim, o protótipo final da Furion M1 combina o já referido motor a combustão com um segundo motor elétrico, fixo ao cubo da roda traseira. O motor elétrico é alimentado por uma bateria de lítio-ferro fostato (LiFe) que é recarregada através de uma tomada elétrica doméstica.

Por um lado a combinação de motorizações a combustão e elétrica garante que a Furion M1 apresenta boas performances, e ao mesmo tempo permite reduzir significativamente as emissões poluentes.


A potência em modo combustão é de 120 cv, mas com a ajuda do motor elétrico a potência total sobe para uns saudáveis 175 cv! O binário máximo atingido por esta moto híbrida é de uns massivos 160 Nm, e com estes valores a Furion M1 acelera rapidamente até à velocidade máxima de 245 km/h, mas Marc Evenisse acredita que com uma carenagem frontal mais eficiente a velocidade máxima pode ser de 280 km/h.

A bateria LiFe conta com refrigeração por ar e terá duas versões: 2,4kWh ou 3 kWh. Com isso a moto pode percorrer até 30 km em modo exclusivamente elétrico, o suficiente para conduzir a Furion M1 em percursos urbanos sem ter de gastar gasolina.

Esta moto com tecnologia híbrida francesa, se tivermos em conta um consumo médio de combustível de 5 litros, permitirá uma poupança no consumo de combustível na orgem dos 30 a 40%! Melhor do que isso, as emissões poluentes médias baixam dos originais 110 g/km para os 80 g/km.

O criador da Furion M1 é especialista em trabalhar com fibra de carbono e kevlar, pelo que diversos componentes desta moto serão fabricados nestes materiais, sendo por isso mais leves e resistentes. O peso é de 210 kg, não sabemos se a cheio ou a seco.

Com Marc Evenisse a revelar que já tem várias pessoas interessadas neste seu projeto híbrido, as primeiras unidades devem ser entregues aos clientes durante 2021.

O seu preço é que não é nada “agradável”, pois as estimativas atuais apontam para um valor de 30.000 euros.

andardemoto.pt @ 23-8-2019 12:08:25