Índia – Maior mercado de motos do mundo está em queda

Há mais de um ano que a Índia está a viver um ciclo negativo de vendas de motos. Em 2019 venderam-se 19.1 milhões de motos, uma quebra de 14,4% em comparação com o ano anterior.

andardemoto.pt @ 20-1-2020 12:42:58

Quando falamos no mercado português de duas rodas estamos habituados a falar em milhares ou dezenas de milhar. Aliás, ainda recentemente vimos que Portugal teve em 2019 um bom ano em termos de matriculações de motos, fechando 2019 com um crescimento de 4%.

Na Europa as diferenças não são muito maiores. Os principais mercados europeus estão a crescer a bom ritmo, como também já analisámos aqui, mas no caso da Europa estamos ainda a falar em centenas de milhares de motos vendidas anualmente.

No entanto, quando “viajamos” para o outro lado do mundo, mais concretamente para a Índia, entramos no que podemos chamar a “Liga dos Milhões”!

Desde há uns anos para cá que a Índia ultrapassou a China como maior mercado do mundo em termos de vendas anuais de motos. Essa ultrapassagem aconteceu já em 2016, e em 2018 a Índia apresentou um total de 22.4 milhões de motos vendidas durante esse ano. Pode ficar a saber mais sobre este gigantesco mercado se clicar aqui.

Para ficarmos com uma melhor percepção do que é o mercado indiano, no período de 2012 a 2018 foram vendidas 124 milhões de motos, com um aumento anual na ordem dos 8%! Isto num país onde as infraestruturas rodoviárias estão ainda bastante atrasadas em termos de desenvolvimento e capacidade para suportar todos estes milhões de motos em circulação (fora outros veículos).


Mas desde o último trimestre de 2018 o mercado indiano entrou em recessão. Na realidade as vendas de motos têm vindo a apresentar uma performance negativa ao longo dos últimos 13 meses, e isso acaba por ter impacto nos números apresentados para o ano de 2019.

No ano passado, venderam-se na Índia menos cerca de 3 milhões de motos em comparação com 2018, pelo que os números finais são de uma quebra de 14,4% e “apenas” 19.1 milhões de motos vendidas.

Estes números incluem motos a combustão e também as motos elétricas, um segmento em que o governo indiano está decidido a apostar forte, tendo criado o programa FAME – Faster Adoption of Electric Vehicles. Ao abrigo deste programa, que já se encontra na sua segunda fase de implementação, o governo indiano pretende que todas as motos novas a combustão de cilindrada até 150 cc passem a ser elétricas até 2025.

Um objetivo talvez demasiado ambicioso tendo em conta que na Índia chegaram-se a vender 6000 motos elétricas no mês de março de 2019, um valor recorde, mas que com a introdução da normativa FAME II, em abril, levou à queda das vendas, com 2019 a apresentar um total de 32.400 motos elétricas vendidas (2700 por mês), uma quebra de 34% em comparação com 2018.

Ainda assim, o governo mantém a pretensão de atingir a meta de 20 milhões de motos elétricas vendidas até 2025, num país que tem 15 das 20 cidades mais poluentes do mundo, com consequências devastadoras para a saúde da população.

Uma das motos elétricas que poderá ajudar a atingir este objetivo é a recentemente apresentada Ultraviolette F77.


Regressando às motos a combustão, a justificação encontrada para esta quebra nas vendas, para além do aumento do valor dos seguros, é a introdução anunciada para a norma anti-poluição BS-VI que acontece já em abril de 2020.

Os analistas do maior mercado de motos do mundo acreditam que os motociclistas indianos estão à espera que os fabricantes apresentem baixas de preços nos modelos anteriores à norma BS-VI, e que ao mesmo tempo aguardam que os fabricantes revelem novidades já de acordo com essa norma. A previsão é que o mercado indiano irá continuar a cair até pelo menos final de abril.

Em termos dos principais fabricantes, todos eles perderam terreno em 2019.

A líder de mercado, a Hero, fechou 2019 com um total de 6.78 milhões de motos vendidas, uma perda superior a 1 milhão de motos. A segunda marca é a Honda com 4.9 milhões de motos vendidas, uma quebra de 16,7%, enquanto a TVS revelou que vendeu 2.82 milhões de motos. A última marca ainda a competir nesta “Liga dos Milhões” é a Bajaj Auto que vendeu 2.55 milhões de motos no último ano.

andardemoto.pt @ 20-1-2020 12:42:58


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews