Polaris e Zero Motorcycles – 10 anos de parceria na procura da eletrificação

O grupo Polaris anunciou acordo com os especialistas em motos elétricas Zero Motorcycles. A parceria exclusiva terá uma duração de 10 anos e o objetivo da Polaris é apresentar até 2025 uma proposta elétrica para os segmentos em que está presente.

andardemoto.pt @ 1-10-2020 17:29:13

O plano estratégico de eletrificação “rEV’d up” do grupo Polaris entrou em velocidade de cruzeiro. O gigante americano que tem uma forte presença no mundo dos ATV e das motos de neve anunciou uma parceria, exclusiva, com os especialistas em motos elétricas Zero Motorcycles.

Este acordo agora anunciado, e que tem uma duração de 10 anos, prevê que a Polaris apresente até 2025 um modelo elétrico para todos os segmentos em que atualmente marca presença.

A Polaris fabrica diversos veículos offroad. Talvez o mais conhecido atualmente seja o popular RZR. Mas também não convém esquecer que para os pisos de asfalto a marca produziu o Slingshot, um veículo de três rodas bastante divertido de conduzir.

Já a Zero Motorcycles tem-se revelado numa das marcas mais interessantes, e sólidas, dentro do panorama das motos elétricas. A empresa californiana conta na sua gama atual com nove modelos elétricos, e ao contrário de outras “start up”, a Zero Motorcycles conseguiu singrar neste mundo das duas rodas amigo do ambiente colocando na estrada motos capazes de surpreender pela sua dinâmica, aparência e também pelas prestações dos seus motores elétricos.



Esta parceria não deixa no entanto de ser apenas mais um passo na estratégia de eletrificação da Polaris. O plano “rEV’d up” já está em prática há algum tempo, e por exemplo o Polaris Ranger EV tem sido um modelo relevante ao tornar-se no veículo de offroad elétrico mais vendido nos Estados Unidos.

Mas porque é que a Polaris escolheu a Zero Motorcycles para parceiro e não outro fabricante de motos elétricas? A verdade é que a escolha, diz Scott Wine, CEO da Polaris, não poderia ser outra pois a Zero Motorcycles não só é muitas vezes vista como a “Tesla das motos”, como também tem uma perspetiva única do fabrico de baterias: “A densidade das baterias elétricas deles (Zero) é maior do que qualquer fabricante no mundo motorizado”, refere Wine.

A escala desta parceria estratégica tem uma dimensão nunca antes vista pela Zero Motorcycles. A marca fundada em 2006 vai ver os seus motores elétricos e baterias serem aplicados a dezenas de veículos da Polaris, sem esquecer que um dos pontos fulcrais neste mundo das motos elétricas será sempre o software que controla todo o sistema.



A estratégia elétrica do grupo Polaris não é de agora. De facto, em 2011 a marca americana adquiriu o grupo Goupil e a GEM. Em ambos os casos estamos a falar de pequenos veículos elétricos. Mas a dimensão desses veículos não impediu o grupo Polaris de conseguir atingir vendas recorde: “Nesta última década tivemos mais de mil milhões de dólares em vendas de veículos elétricos, e criámos uma valiosa base nos mercados de veículos comerciais e de passageiros”.

Ao nível das motos elétricas esta também não é a primeira vez que o grupo Polaris aparece no panorama internacional. Em 2015, e depois de uma primeira fase de investimento, o grupo adquiriu a Brammo, então a contas com diversos problemas de viabilidade económica. Pouco tempo depois nasceu a Victory Empulse, mas a decisão da Polaris em encerrar a marca Victory significou também o fim para essa moto elétrica.


andardemoto.pt @ 1-10-2020 17:29:13


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews