Grupo Volkswagen garante que a Ducati não está à venda

A reunião do Conselho de Supervisão da Volkswagen AG ficou marcada pela tomada de posição firme do gigante alemão face aos rumores de possível venda da Ducati. O grupo VW diz que a Ducati não está à venda.

andardemoto.pt @ 16-12-2020 15:30:00

Integrada no grupo Volkswagen desde 2012, a Ducati tem vivido anos de excelentes resultados operacionais, com recordes de motos vendidas a cada ano que passa. Ao mesmo tempo, os resultados desportivos da casa de Borgo Panigale também têm sido muito positivos.

Mas nem todo este bom “feeling” em redor da marca italiana parece ser suficiente para afastar os rumores de que o grupo alemão está interessado em vender a Ducati.

Tendo em vista clarificar a sua estratágia para o futuro próximo, através de um plano denominado Together 2025+, realizou-se na Alemanha aquela que foi a última reunião do Conselho de Supervisão da Volkswagen AG.

E um dos pontos principais em cima da mesa era precisamente o futuro da Ducati.

Desta reunião saiu a posição firme de que a Ducati não está à venda!



De facto, e olhando para os objetivos do plano Together 2025+, em que o grupo alemão pretende reduzir os custos fixos em 5% e 7% ao nível dos materiais e matérias primas, manter a Ducati integrada no grupo Volkswagen será a melhor decisão que poderiam tomar.

Apesar do ano atribulado que vivemos, a Ducati, liderada por Claudio Domenicali, anunciou há pouco tempo que fechou o terceiro melhor trimestre da sua história, revelando que em todo o mundo foram vendidas 14.694 motos da Ducati.

Isso, aliado aos bons resultados desportivos, mostra que a marca italiana é um ativo de luxo e de enorme prestígio para o chamado Grupo VAG.

O Conselho de Supervisão da Volkswagen AG diz que “Existe um acordo dentro deste Conselho para que a Ducati (e Lamborghini) se mantenham dentro deste grupo”, revelando ao mesmo tempo que a aposta para o futuro passará pela eletrificação e também pela digitalização dos modelos produzidos por cada fabricante de motos e automóveis.



Uma decisão importante para as duas marcas que revelaram há pouco tempo a Diavel 1260 Lamborghini, uma moto da Ducati que vai buscar inspiração no Lamborghini Sián FKP 37, o mais poderoso de sempre alguma vez fabricado pela marca de Sant’Agata Bolognese, e que, tal como a Ducati, faz parte do chamado “Motor Valley” italiano na região da Emilia Romagna.

Neste sentido, a intenção da Ducati em entrar no mundo das motos elétricas é bem conhecido e ganhou mais consistência a partir do momento em que, supostamente, Claudio Domenicali testou na Tailândia uma variante elétrica da Hypermotard, sem o habitual motor bicilíndrico em L, mas com motor elétrico e “pack” de baterias de uma Zero Motorcycles.

O CEO da Ducati terá ficado agradado com essa conversão elétrica da já de si eletrizante Hypermotard, e terá mesmo confidenciado que estava então aberto a concretizar um projeto em parceria com a Zero Motorcycles.

andardemoto.pt @ 16-12-2020 15:30:00


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews