MotoGP – Comissão de Grandes Prémios permite “wildcards” em 2021

Em 2021 voltaremos a ter participações de “wildcards” nas três categorias do Mundial de Velocidade. A Comissão de Grandes Prémios anunciou esta e outras alterações após uma reunião em Portugal.

andardemoto.pt @ 25-11-2020 17:53:21

Portugal e o Autódromo Internacional do Algarve não foram apenas cenário para o Grande Prémio de Portugal e para a vitória estrondosa do Miguel Oliveira. De facto, a Comissão de Grandes Prémios (CGP), entidade composta por representantes da Dorna, Federação Internacional de Motociclismo e ainda da IRTA (associação de equipas), aproveitou o último GP da temporada para tomar importantes decisões tendo em vista o que vai acontecer em 2021.

A principal decisão que resulta desta mais recente reunião da Comissão de Grandes Prémios tem que ver com os “wildcards”.

Em 2020, e devido à pandemia que alterou significativamente o calendário do Mundial de Velocidade e toda a organização de cada ronda, a CGP decidiu que não seria possível existirem participações de pilotos “wildcard” ao longo da temporada.

Com o calendário de 2021, ainda que provisório apenas, já definido, esta comissão acredita que a próxima temporada do Mundial de Velocidade tem condições para se realizar de uma forma mais “normal”, se assim podemos dizer. Face ao regresso a esta nova normalidade, a CGP decidiu permitir pilotos “wildcard” em todas as três categorias. No entanto há algumas regras e limites a ter em atenção!


A primeira coisa que devemos ter em atenção é que só serão permitidos um máximo de dois pilotos “wildcard” por categoria em cada Grande Prémio. Significa isto que não podemos ter todos os pilotos de teste de cada fabricante em simultâneo no mesmo GP.

Em MotoGP, cada fabricante poderá utilizar um máximo de três “wildcards” ao longo da temporada. A exceção será a Aprilia, que por ser uma equipa com concessões, terá direito a utilizar um máximo de seis “wildcards”.

Na prática, isto significa que a campeã Suzuki pode competir com Sylvain Guintoli por três vezes, Ducati pode recorrer a Michele Pirro por três vezes, Honda terá a mesma quantidade de corridas para inscrever Stefan Bradl – a não ser que Marc Marquez não possa competir como aconteceu em 2020 –, a KTM pode escolher Dani Pedrosa ou Mika Kallio sendo que no total tem três “wildcard” para usar, e a Yamaha poderá socorrer-se de Cal Crutchlow por três ocasiões.



No caso da Aprilia a situação está ainda por definir. Lorenzo Savadori terminou a temporada aos comandos da RS-GP que foi durante grande parte do ano de Bradley Smith, com o britânico a passar a piloto “full time” depois do castigo de Andrea Iannone ainda no final de 2019.

Smith foi colocado fora da equipa de MotoGP de forma surpreendente ainda antes do final da temporada. Lorenzo Savadori, campeão italiano de Superbike, foi chamado para o seu lugar, não conseguindo fazer muito melhor do que Bradley Smith. A Aprilia Racing optou então por aguardar para definir quem será o segundo piloto a tempo inteiro em 2021: Lorenzo Savadori ou Bradley Smith? Os dois vão lutar por esse lugar nos testes de pré-temporada.

Aquele que ficar como piloto de testes da Aprilia poderá competir em seis Grandes Prémios de 2021.

Nesta temática dos pilotos “wildcard” temos ainda de destacar que nas categorias Moto2 e Moto3 apenas as equipas que competem a tempo inteiro e que não são novas na respetiva categoria poderão usar pilotos “wildcard”.


No entanto a questão dos “wildcard” de MotoGP, Moto2 e Moto3 não foi a única abordada na reunião da Comissão de Grandes Prémios que decorreu em Portugal.

Desta reunião saem ainda outras decisões importantes pois poderão afetar os resultados em pista:

- Bandeira Amarelas: pilotos que passem numa zona de bandeiras amarelas terão o tempo dessa volta anulado, mesmo numa sessão de treinos livres. Esta situação aconteceu por diversas vezes em 2020 mas em sessões de qualificação, sendo aplicada pela Direção de Corrida. Agora esta regra passa a estar inscrita oficialmente no regulamento.

- Velocidade no “pit lane”: pilotos que excedam a velocidade máxima permitida no “pit lane” do circuito serão penalizados com a obrigatoriedade de cumprir duas “Long Lap Penalty” na corrida. No entanto os Comissários da FIM podem aplicar outras sanções.

- Caução por protestos ou apelos: a partir de 2021, sempre que uma pessoa ou entidade faça um protesto ou apelo, e lhe seja dada razão, terá o valor da caução devolvido.



A Comissão de Grandes Prémios deixou ainda uma última nota.

Habitualmente no final de cada temporada do Mundial de Velocidade, o circuito que organiza aquele que é considerado como o melhor Grande Prémio da temporada recebe um troféu. Porém, numa temporada tão atípica e complicada, que deixou sob enorme pressão as equipas dos diferentes circuitos que receberam provas do Mundial de Velocidade, a Comissão de Grandes Prémios decidiu não entregar este prémio a um único circuito.

Em forma de homenagem pelo esforço de todos os envolvidos que garantiram que tínhamos provas suficientes no calendário 2020, a CGP optou por entregar a todos os circuitos um troféu especial.

andardemoto.pt @ 25-11-2020 17:53:21


Clique aqui para ver mais sobre: MotoGP