Paula Kota

Paula Kota

OPINIÃO

Dança comigo

Sempre que me aproximo de ti, sinto um arrepio. O meu coração salta. Passo-te a mão numa carícia, dou à chave, respondes com um ronco profundo, o teu motor estremece, numa ansia infinita de rolar.   

andardemoto.pt @ 29-12-2018 12:30:00 - Paula Kota

Embora, vamos dançar.

Num compasso certo e ritmado, dançamos um tango por entre o trânsito, 

rodopiamos por entre os carros.

A tua resposta ao meu comando é rápida, 

numa sintonia de bailarinos de excelência.

Deslizas suavemente debaixo de mim, 

rodo o punho e ofereces-me velocidade.

Pela pista de alcatrão alegras a minha alma. 

Respondes a um golpe de ancas, com a suavidade de uma bailarina que dança uma valsa, cada curva um rodopio que me entontece, 

curva após curva, 

inebriada num passo sincronizado, 

satisfazes-me.

Corres furiosamente quando te acelero, 

sucedem-se quilómetros de liberdade, numa conquista da estrada, do mundo. 

Duas rodas de prazer.

Adoro as tuas linhas, o teu motor, tudo o que me ofereces. 

És minha!


Outros artigos da Paula Kota:

Novembro 2018 - Sorte de viajante

Julho 2018 - Multar ou ensinar?

Maio 2018 - Deixar a “mariquice” em casa …

Abril 2018 - Sim, Tenho medo…

Março 2018 - Chuva civil não molha Motard

Fevereiro 2018 – Eu Vou!

Janeiro 2018 – Kotices

andardemoto.pt @ 29-12-2018 12:30:00 - Paula Kota