Teste Piaggio MP3 500 HPE Sport Advanced - Em todos os sentidos

Se não tem carta de moto, necessita mais mobilidade, mas não quer estar limitado pela pouca potência de uma moto de 125cc, então esta é uma solução.

andardemoto.pt @ 7-4-2020 07:56:00 - Texto: Rogério Carmo | Fotos: Luis Duarte

Faça uma consulta e veja caracteristicas detalhadas:

Piaggio MP3 500 HPE LT Sport Advanced | Scooter | Acima 125 CC

É verdade. A Piaggio, com a sua gama de veículos de 3 rodas, dá a oportunidade a quem não tem carta de moto (A1), e apenas tem com a carta de carro (B), ganhar uma maior mobilidade, semelhante à de um veículo de duas rodas, e ainda aventurar-se em pequenas viagens, com muito conforto, desfrutando de uma condução muito divertida e sobretudo mais segura.

Apesar de continuarem sujeitos às leis da gravidade, estes veículos de 3 rodas proporcionam uma maior confiança, sobretudo em pisos escorregadios ou pouco firmes, diminuindo substancialmente o risco de queda em manobras, oferecendo ainda uma maior capacidade de travagem, avaliada em cerca de 30% menos espaço necessário para uma completa imobilização.


A sua condução é muito semelhante à de uma scooter convencional, dependente do efeito giroscópico das rodas para manter uma verticalidade estável. No entanto, a baixa velocidade, o seu peso está mais bem distribuído e torna-se mais fácil manter o conjunto perpendicular ao solo.

A direcção nota-se mais lenta que a de uma moto normal, mas não cobra dividentos em termos de sensações nem de manobra, e a principal diferença, em termos de condução, resulta numa maior estabilidade e melhor aderência que conferem uma maior confiança em curva, e uma maior capacidade de travagem.

O motor, HPE (High Power Engine), monocilindrico de 4 válvulas à cabeça e refrigeração por líquido, debita quase mais 15cv que o seu antecessor, o que torna a Piaggio MP3 500 mais agradável de conduzir, sobretudo tendo em conta que também é mais silencioso. Também a partir dos médios regimes a suavidade aumenta, com o nível de vibrações a tornar-se praticamente imperceptível. A transmissão automática revela-se muito suave no arranque, proporcionando também um efeito travão-motor muito bom.

Esta é a mesma versão que já tinha tido oportunidade de conduzir em 2018 (na altura que o Andar de Moto realizou o teste da renovada MP3 500 - clique aqui para ver) mas que para 2020, neste modelo Sport Advance, vem equipada com marcha-atrás, uma ferramenta que vai ser extremamente conveniente para aqueles que circulam regularmente nos centros urbanos.

Com 275kg de peso a cheio, esta scooter torna-se agora inacreditavelmente mais fácil de manobrar. O sistema é muito simples de usar, e uma verdadeira benção, sobretudo para os utilizadores de estatura mais débil. No entanto, os de estatura mais baixa vão ter alguma dificuldade em chegar com ambos os pés ao chão.

Não que isso seja tão importante na MP3 como é numa moto normal, já que o sistema de bloqueio da suspensão dianteira permite que a moto fique estável, sem tombar, mesmo em planos inclinados, facilitando a subida e a descida do assento, permitindo ainda parar sem colocar os pés no chão. O sistema é acionável a baixa velocidade, por intermédio de um botão dedicado, de fácil acesso, ao lado do acelerador, e desliga-se automáticamente mal a moto começa novamente a andar.


Os menos experientes não vão ter grandes dificuldades em brilhar aos comandos da MP3 500 HPE. Para garantir que a condução possa ser o mais relaxada possível, e como estratégia para homologação, está disponível um pedal que, sem ser necessário tocar nas manetes, faz actuar em simultâneo os travões de ambas as rodas, ambas monitorizadas pelo sistema ABS. A sua utilização revela-se prática e eficaz, sobretudo em recta e a baixa velocidade, mas requer alguma habituação.

Apesar da resposta bastante acutilante do motor, seja no arranque ou na saída das curvas, a eletrónica, através do acelerador “ride by wire”, encarrega-se também de facilitar a vida ao condutor, já que o controlo de tracção é rápido na resposta e corrige prontamente qualquer possibilidade de patinagem da roda traseira. Além disso existem dois modos de condução, sendo que um (ECO) está programado para priorizar a redução de consumo, enquanto que o outro (STD) liberta toda a potência do motor.


O controlo de tracção pode ser desligado, não para agradar aos mais destemidos ou aos que gostam de queimar borracha, mas antes para situações de arranque, a subir, em pisos extremamente escorregadios, em que o sistema pode mesmo ser incapaz de encontrar tracção.
Mas apesar de permitir andamentos rápidos, mesmo com passageiro, esta Piaggio foi concebida para ser prática e confortável, tanto em ambiente urbano como em viagem, em estrada ou até mesmo em auto-estrada.

O posto de condução é desafogado e de linhas muito ao estilo automobilístico, com o painel de instrumentos muito completo e facilmente legível. No seu topo enconta-se um prático compartimento com tampa (mas sem fechadura) e tomada USB, para guardar o telefone. No painel frontal existe ainda um prático gancho para pendurar uma mochila, mala de senhora ou saco de compras.

A posição de condução é bastante reactiva e elevada e os comandos estão bem colocados. O passageiro desfruta de imenso espaço e uma boa ergonomia, com um excelente apoio lombar e pegas bem colocadas para as mãos, e neste capítulo apenas há a criticar a falta de regulação em altura do ecrã frontal que, para compensar, serve também de protector dos punhos. O assento mostra-se firme e bastante confortável, revestido a material que não escorrega.

Em cidade, o travão de estacionamento, que permite parar facilmente em locais inclinados sem ser necessário recorrer ao descanso central, revela-se realmente prático.

A suspensão, além de mostrar um comportamento dinâmico muito aceitável, também proporciona um bom nível de conforto.

Se bem que se consegue facilmente atingir uma velocidade máxima de quase 160km/h, a MP3 500 HPE revela o seu “sweet spot” ligeiramente acima dos 120km/h, com uma excelente protecção aerodinâmica, níveis de vibração e ruído muito baixos, e um consumo que facilmente se mantém abaixo dos 5 litros/100km, que contribui para automomias práticas de mais de 200km.

Em termos de arrumação, debaixo do assento existe espaço suficiente para dois capacetes modulares ou uma boa mochila, que conta com alcatifa e iluminação. Para viagem, nada melhor que recorrer a uma top-case, disponível na gama de acessórios opcionais da marca.


A qualidade de construção é muito boa, isenta de ruídos e com materiais agradáveis à vista e ao tacto. Os diversos painéis encaixam na perfeição, os poisa-pés do passageiro são escamoteáveis, não há cablagens à vista, a iluminação é eficaz, apesar de ainda contar com faróis de halogénio, e os retrovisores proporcionam uma boa visibilidade.

A Piaggio MP3 500 HPE Sport Advanced é sem dúvida um excelente meio de transporte. Divertida de conduzir, fácil de manobrar, inspiradora de confiança, e com umas prestações dinâmicas fora do alcance de qualquer scooter de 125cc, configura-se numa excelente opção para quem tem carta de condução das categorias B, e precisa de se deslocar com rapidez sem ter que ir tirar carta de condução de moto.



Dentro deste género de veículo pode querer ver os testes que já publicámos:


Neste teste usámos o seguinte equipamento de protecção e segurança:

Faça uma consulta e veja caracteristicas detalhadas:

Piaggio MP3 500 HPE LT Sport Advanced | Scooter | Acima 125 CC

andardemoto.pt @ 7-4-2020 07:56:00 - Texto: Rogério Carmo | Fotos: Luis Duarte


Clique aqui para ver mais sobre: Test drives