Teste Vespa Sprint 125 Sport - Sprint de nome, ágil por natureza

Um modelo histórico da icónica Vespa que se conseguiu adaptar às exigências mais modernas da mobilidade urbana. A Sprint Sport 125 é uma scooter com um estilo inconfundível e extremamente eficaz.

andardemoto.pt @ 15-6-2020 18:00:00 - Texto: Bruno Gomes | Fotos: Luis Duarte

Faça uma consulta e veja caracteristicas detalhadas:

Vespa Sprint Sport 125 | Scooter | Gama 125cc

O mundo das scooters está povoado por “milhares” de opções para todos os gostos e feitios. Mas no meio desta multidão, temos visto como uma scooter italiana tem conseguido sempre manter-se atual, sem renegar as suas origens clássicas. A Vespa é um ícone das duas rodas. E desta feita tivemos a oportunidade de testar a Sprint 125 na sua versão mais dinâmica, a Sport.

A Sprint não é uma novidade absoluta da marca italiana. Na realidade, a Vespa Sprint original é um modelo que apareceu no mercado em 1965. Em 2014 a marca italiana decidiu reavivar o modelo e criou a geração mais atual da Sprint como substituta da Vespa S, partilhando o seu chassis com a Primavera, outro modelo bem conhecido da Vespa.

Mas se o nome desta scooter urbana “premium” é igual à versão de 1965, as semelhanças entre ambas terminam por aí!


Pois se a primeira Sprint contava com um motor a 2 tempos, a nova Sprint 125 conta com um monocilíndrico bastante mais atual, o iGet de 3 válvulas, e muito mais eficiente, quer em termos de prestações mas também de emissões poluentes. Por exemplo, dos 8 litros de gasolina que cabem no depósito, e de acordo com a Vespa, a Sprint 125 Sport consegue extrair uma autonomia superior de 300 km.

Confesso que não consegui atingir uma economia de combustível tão elevada como a anunciada pela Vespa. Talvez porque a unidade que testei ainda não tinha a rodagem feita, e por isso toda a mecânica estava ainda algo “presa”, o que levou a um consumo ligeiramente superior ao esperado.

Mesmo assim, facilmente passei dos 230 km de autonomia. Isso leva-me a acreditar que depois da primeira revisão, e com o motor mais “solto”, será possível aproximar o consumo médio dos valores anunciados.


E o moderno motor arrefecido a ar desenvolvido pelo grupo Piaggio é também muito mais prático em termos de manutenção.

A Vespa garante intervalos de manutenção alargados, e assim a Sprint 125 Sport apenas tem de visitar o concessionário para as habituais revisões a cada 10.000 km. Numa altura em que muitos portugueses procuram poupar todos os euros, menos visitas ao concessionário traduzem-se em menores custos.

Ao contrário da versão original, com caixa manual acionada no punho, a atual Sprint 125 Sport é automática. O que a torna numa opção extremamente bem adaptada para uma utilização urbana, principalmente para os menos experientes, que assim não têm de se preocupar em engrenar mudanças.



Ao longo da minha vida em duas rodas, quer a nível pessoal ou profissional, não tive a oportunidade de fazer muitos quilómetros com as Vespa.

Por isso fiquei bastante satisfeito quando surgiu a oportunidade de testar a Sprint 125, em particular porque nesta variante Sport a scooter italiana ganha não apenas um “look” apaixonante derivado da pintura especial Blue Vivace, complementada por gráficos exclusivos e jantes pretas, mas também a nível funcional, pois o painel de instrumentos passa a ser uma unidade TFT a cores com 4,3 polegadas e que permite conectar a Sprint ao smartphone através da app Plataforma Multimédia Vespa.

As Vespa sempre tiveram a fama de serem scooters ágeis. Em particular os modelos desportivos como a Sprint. E quando começamos a conduzir a Sprint 125 Sport rapidamente percebemos que esta geração mais atual não perdeu essa característica.

O chassis monocoque é fabricado em metal prensado. Desta forma a Vespa garante uma rigidez estrutural que, quando comparada com a S que veio substituir, aumentou em 30%. Conduzimos a Vespa Sprint 125 Sport de uma forma mais agressiva sem sentir o conjunto a “torcer”.


Esta é uma scooter urbana desportiva. Por isso podemos definir trajetórias em curva sem qualquer problema, mantendo uma boa velocidade em inclinação, enquanto a suspensão dianteira fixa ao monobraço transmite uma sensação de rigidez, sem ser rija ou seca, o que maximiza a confiança do condutor.

Para quem não está habituado, a direção tem uma rapidez de resposta aos impulsos no guiador que de início pode ser algo “agressiva”. Isso deve-se à combinação da geometria de direção e das jantes de 12 polegadas.

Mas não será necessário muito para ficarmos a conhecer os segredos da Vespa Sprint 125 Sport, e rapidamente dei por mim a raspar o descanso central e a divertir-me a andar de moto, mesmo no meio dos carros.

É uma scooter que se sente leve (121 kg a cheio), sólida, e em que o comportamento dinâmico deixa perceber o porquê da Vespa se ter tornado numa opção tão popular em todo o mundo. As trocas de direção acontecem a um ritmo impressionante, e a excelente brecagem permite cortar pelo meio dos carros ou manobrar em espaços confinados sem qualquer dificuldade.


O motor não se revela particularmente forte nos regimes mais elevados.

É suave e silencioso. A  sua mais-valia está na forma como entrega desde baixas rotações a força dos 10,7 cv que os 125 cc disponibilizam. Com um tato do acelerador perfeito, a Vespa Sprint 125 Sport revelou-se uma das scooters mais interessantes nos Grandes Prémios de “semáforo a semáforo”!

De parada até atingir os 80 km/h é um instante, e mesmo a subir esta italiana mostrou ter um bom pulmão para aguentar com inclinações pronunciadas sem perder velocidade.

Para aqueles motociclistas que necessitam de uma scooter capaz de enfrentar estradas mais abertas, e tal como já referi anteriormente, a unidade testada estava ainda na rodagem. Posso dizer que com o passar dos quilómetros o motor foi-se “soltando”. Com apenas 35 km marcados no odómetro, a Sprint 125 Sport revelava dificuldade em chegar aos 100 km/h. Com 250 km percorridos, o velocímetro digital já marcava facilmente os 110 km/h.



Apesar de ser da família “corpo pequeno” da Vespa, a Sprint 125 Sport disponibiliza um bom espaço para condutores de estatura elevada.

De facto esta geração mais recente introduzida em 2014 viu o comprimento total aumentar, o que por sua vez garante que o condutor conta com mais espaço para as pernas entre o assento a 790 mm de altura do solo e o avental frontal, que esconde ainda um espaço para guardar objetos e carregar o telemóvel através de ficha USB.

A plataforma plana é outro ponto muito positivo para destacar nesta Vespa. Permite sair e subir para a Sprint 125 Sport sem qualquer problema e rapidamente. E se o espaço debaixo do assento não for suficiente (cabe um capacete jet com viseira, capacetes integrais só os mais compactos), então podemos prender os objetos ao gancho “pop-up” e usar a plataforma plana como transporte de objetos.


A travagem fica a cargo de um sistema misto de disco dianteiro com 200 mm de diâmetro e tambor traseiro. O “feeling” de travagem é muito bom, em particular na manete direita que controla a pinça que morde o disco.

O ABS funciona apenas na roda dianteira, e se a escolha de um tambor poder ser considerada um pouco abaixo do nível “premium” que a Vespa nos habituou, em andamento não se nota perda de eficácia e os travões recebem nota muito positiva.

Estéticamente a Vespa Sprint 125 Sport é fantástica. Todos os elementos têm a proporção certa e estão bem conseguidos. A cor Blue Vivace é apenas o a “pincelada” de mestre num quadro que é uma obra de arte do mundo das scooters.

Onde a qualidade dos materiais está acima de qualquer dúvida. Onde todos os painéis encaixam uns nos outros na perfeição, e onde elementos tão característicos e clássicos como a “gravata” dianteira se unem à ótica em LED.

Veredicto - Vespa Sprint 125 Sport


A Vespa é um daqueles nomes que atravessa várias gerações. É um ícone do mundo das duas rodas. E depois de testar a Sprint 125 Sport fiquei fã. É uma excelente opção para enfrentar os desafios urbanos. Fora da cidade revela-se competente, sem deslumbrar. Mas também não foi criada a pensar em estradas de montanha. Mais leve e ágil do que uma GTS, e com mais estilo do que uma Primavera, a Sprint 125 Sport é uma excelente combinação.

É impossível fugir ao preço. A Vespa pede 5.006€ para ter uma Sprint 125 Sport na sua garagem. É um valor elevado, sem dúvida. Mas também não tenho dúvida que, quer pela qualidade dos materiais e construção, quer pela eficiência do motor ou comportamento dinâmico, esta scooter vale todos os euros que a marca italiana pede.

Uma Vespa é mais do que apenas um meio de transporte. É uma forma de chegar ao destino com estilo e de sobressair no trânsito. É um estilo de vida. É uma paixão para muitos. Ainda para mais quando a própria marca conta com um vasto catálogo de acessórios oficiais que permitem personalizar a Sprint 125 Sport ao nosso gosto.

Neste teste utilizámos os seguintes equipamentos de proteção


Capacete –
Shark Spartan

Blusão – Ixon Cobra


Luvas –
Ixon RS Slick HP

Botas –
REV’IT! Mission

Faça uma consulta e veja caracteristicas detalhadas:

Vespa Sprint Sport 125 | Scooter | Gama 125cc

andardemoto.pt @ 15-6-2020 18:00:00 - Texto: Bruno Gomes | Fotos: Luis Duarte

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: Test drives