Honda assinala o 10º aniversário da estreia do sistema DCT

Dez anos depois e com mais de 140.000 motos vendidas equipadas com este sistema, o Dual Clutch Transmission da Honda é um sucesso. O DCT da marca japonesa continua a ser uma tecnologia única no mundo das duas rodas.

andardemoto.pt @ 12-8-2020 13:10:38

Embora no mundo dos automóveis os fabricantes já utilizem os sistemas de dupla embraiagem de uma forma generalizada, a realidade é que no mundo das duas rodas apenas a Honda, o maior fabricante de motos a nível global, tem sabido explorar este tipo de transmissão.

Foi em 2010 que assistimos pela primeira vez à comercialização de uma moto com DCT – Dual Clutch Transmission. A dupla embraiagem, que ainda hoje continua a ser um exclusivo da Honda ao nível das motos, estreou-se com a então nova VFR1200F, a sport-touring japonesa que assim conquistou um lugar bem especial.

Agora que se celebra o 10º aniversário do DCT, a Honda mostra-se cada vez mais empenhada na utilização desta tecnologia. Ao longo da última década os motociclistas europeus souberam abraçar o DCT, de tal forma que foram já vendidas globalmente mais de 140.000 motos equipadas com o sistema que cada vez se torna mais popular pela facilidade de condução e conforto que proporciona.



De realçar que, em modelos específicos como a Africa Twin, a NC750X ou ainda a turística Goldwing, a Honda revela que cerca de 50% das unidades actualmente vendidas estão equipadas com DCT. No caso da Goldwing esse número é bastante superior, chegando mesmo aos 67%!

A facilidade de utilização e suavidade de funcionamento são dois dos grandes destaques do Honda DCT, que ainda oferece ao condutor a possibilidade de selecionar a qualquer momento a relação de caixa pretendida, ou vários modos de funcionamento automático, para além de um modo manual.

Um dos fatores que tem tornado a tecnologia DCT tão apelativa é a sua evolução. A Honda tem conseguido evoluir o sistema para que este se adapte a uma grande variedade de situações. É assim que o DCT já é usado em dez modelos da gama japonesa!



Como exemplos temos a inclusão do "interruptor G" para melhoria das capacidades de condução em fora-de-estrada na Africa Twin e na X-ADV, e a sincronização com o sistema de arranque em subida (Hill Start), o modo Walking (função Creep, de movimento para a frente em velocidade super-lenta) e o modo Idling Stop de paragem do motor ao ralenti na Goldwing.

Para os condutores menos experientes, o DCT tornou-se no melhor amigo que podiam ter enquanto desenvolvem as suas capacidades de condução de uma moto. Podem focar a sua atenção na estrada e obstáculos, deixando que um “computador” se preocupe com as trocas de caixa.

Outros benefícios incluem redução no cansaço do condutor, sobretudo em longas viagens com passageiro, e menor esforço na condução urbana com a vantagem de ser impossível deixar o motor ir abaixo.

Mas o que é e como funciona o Dual Clutch Transmission da Honda?


A DCT consiste numa caixa de velocidades com duas embraiagens electro-hidráulicas e engrenagem automatizada das mudanças. Este sistema tem dois conjuntos independentes de embraiagens alojados na mesma unidade, cada uma ligada a um conjunto separado de carretos – uma embraiagem "trata" do arranque e da engrenagem da 1ª, 3ª e 5ª velocidades, e a outra "toma conta" da 2ª, 4ª e 6ª velocidades.

As trocas de caixa podem ser feitas em modo Manual pelo condutor, usando as patilhas das mudanças no punho esquerdo do guiador, ou em modo Automático, de acordo com os padrões de condução ditados pela monitorização constante de determinados parâmetros, incluindo a velocidade do veículo, a rotação do motor e o ângulo de abertura do acelerador.

Em nenhum dos casos é necessária a aplicação de uma manete de embraiagem ou acionar um seletor de caixa no pé. Durante a engrenagem das mudanças, quando uma das embraiagens desengrena, a outra engrena a mudança pretendida em simultâneo, assegurando assim mudanças consistentes, ultrarrápidas e ininterruptas, sem solavancos nem perdas de tração na roda traseira.

andardemoto.pt @ 12-8-2020 13:10:38


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews