Márcia Monteiro

Márcia Monteiro

Marketeer, “Mulher do Norte” e motociclista em estrada e fora dela (Off Road).

OPINIÃO

“A sandália no patim”

Escrevo este artigo com alguma preocupação sobre uma situação que tenho visto de forma constante. Tão constante que mais parece normalizada. 

@ 29-8-2022 19:30:00 - Márcia Monteiro

No outro dia, quando me deslocava de moto, não pude deixar de reparar na moto que circulava à minha frente, com uma pendura de sandália no patim. Que arrepio...

Sou apologista de que cada um deve usar aquilo que bem entende, mas no que toca às motos, perdoem-me, mas sou totalmente inflexível. Da mesma maneira que para mim é impensável praticar mergulho sem uma botija de oxigénio ou combater um incêndio sem o vestuário adequado contra o fogo, também é impensável conduzir uma moto sem os equipamentos básicos. Já nem falo do capacete porque vou assumir que todos sabem que é obrigatório, mas não consigo apagar da minha memória aquela imagem da sandália no patim.

Obviamente não devemos pensar que vai acontecer uma tragédia de cada vez que andamos de moto, mas os imprevistos acontecem. Certamente um bombeiro também não está à espera de que um incendio deflagre, mas se há essa possibilidade, mais vale ter o vestuário adequado à mão. Com as motos é exatamente a mesma coisa.

Assumo que, em determinada altura da minha vida, também eu já cometi algumas irresponsabilidades. Quem nunca conduziu uma moto de t-shirt sem casaco de proteção, que atire a primeira pedra. Pimba, já levei com uma. Mas os quase 20 anos de motociclista ensinaram-me que devemos respeitar a máquina que conduzimos e honrar a nossa vida. Infelizmente nenhum motociclista tem total controlo da sua condução, das condições do piso e muito menos da condução dos outros. Por isso, garantirmos o mínimo da nossa segurança deveria ser imperativo. Todos sabemos que conduzir uma moto em dias demasiado quentes pode ser desconfortável. Mas eu sou daquelas que com 30 graus não dispensa as suas botas, o seu casaco e as luvas com proteções reforçadas. Não consigo deixar de pensar naquela sandália no patim que me causa arrepios. Andar de moto provoca-nos uma sensação de liberdade incalculável, mas não devia impedir-nos de sermos responsáveis por isso façamos a nossa parte para que momentos de adrenalina continuem a existir na nossa vida de forma constante porque se for isto, já não me preocupa que seja normalizado.

Boas curvas e normalizem a liberdade, mas com responsabilidade.

 Julho 2022

@ 29-8-2022 19:30:00 - Márcia Monteiro


Clique aqui para ver mais sobre: Opiniões