Teste Kawasaki Z650 - Carácter felino

A Kawasaki ataca o segmento utilitário com uma moto cheia de garra e espírito desportivo que vem substituir a popular ER6n.

andardemoto.pt @ 22-1-2017 19:45:34

Faça uma consulta e veja caracteristicas detalhadas:

Kawasaki Z650 2018 | Moto | Sport

Texto: Rogério Carmo       Foto: Rui Jorge


A Kawasaki Z650 foi apresentada ao público no Salão de Milão de 2016. É a resposta do construtor japonês à norma Euro4. Na gama da marca vem substituir a ER6n na classe das utilitárias, segmento que tem vindo a registar um aumento de vendas significativo no nosso país. 

Vai enfrentar uma feroz concorrência, com modelos bem implantados no nosso mercado como, por exemplo, a Yamaha MT-07, a Honda CB650F e a mais recente Suzuki SV650 (clique nas ligações para ver os respectivos testes), mas apresenta argumentos suficientes para conquistar muitos motociclistas.

A convite da Multimoto, o importador oficial da Kawasaki para Portugal desde Fevereiro de 2013, que tem estado fortemente empenhado e sido bem sucedido em recuperar a confiança dos fãs e a credibilidade da marca no nosso país, tivemos recentemente a oportunidade de ter um primeiro contacto com este novo modelo.

O grande argumento da nova Z650, para além das linhas desportivas que derivam do conceito “sugomi” que rege a família Z da Kawasaki, e que define os traços felinos de atitude predadora típicos destes modelos, é o peso contido que, na balança, regista uns escassos 187kg em ordem de marcha (menos 20kg que a ER6n), mas que na prática parece ser ainda mais leve.

O quadro foi redesenhado, e a nova estrutura em treliça de tubos de aço é 10kg mais leve que a da ER6n. Também novo, o braço oscilante, assimétrico, em fundição de alumínio, representa uma redução de quase 3kg no peso final.

Numa primeira impressão saltam à vista as linhas desportivas e a qualidade de construção. A pintura tem um óptimo acabamento, o encaixe das diversas peças e painéis é perfeito e as cablagens eléctricas apresentam um aspecto cuidado.

O destaque vai para o painel de instrumentos completamente digital, em LCD negativo, com indicação de mudança engrenada e indicador de consumos, bem legível e de leitura rápida, e para o farolim traseiro, em LED, de design muito original.

Aos comandos, há espaço suficiente para os condutores de maior estatura, numa posição confortável potenciada pelo guiador largo e pela boa taragem das suspensões que, apesar de macias, oferecem um bom comportamento mesmo em condução mais rápida.

O amortecedor traseiro está agora colocado horizontalmente, dotado de um sistema “back link”, em posição central, contribuindo para baixar o centro de gravidade, e garante um desempenho bastante aceitável, mesmo em maus pisos e a ritmos elevados.


Os poisa-pés estão colocados de forma a incentivar uma condução mais desportiva, mas não se tornam desconfortáveis em tiradas  longas.

O assento, mais baixo e estreito que o da ER6n, além de potenciar um melhor encaixe, favorece os condutores de estatura mais baixa, e a leveza do conjunto, a par com um equilíbrio de massas muito bem conseguido, também ajuda nas manobras à mão e a baixa velocidade.

Ao dar arranque, a unidade motriz de 649cc, que é partilhada com a Ninja 650, a Versys 650 e a Vulcan S (apesar de terem afinações distintas adequadas às óbvias diferenças) mostra a sua raça, com um som muito agradável, profundo e “saudável”.

A nova gestão electrónica concede-lhe agora uma maior disponibilidade a baixos e médios regimes, mas mantém a habilidade de subir de rotação de forma rápida, com uma entrega de potência linear até quase ao limitador de regime.

O motor bicilíndrico que a Z650 tem instalado já deu sobejas provas de resistência e fiabilidade, pois deriva directamente do da popular ER6 que, lançada em 2005, vendeu por todo o mundo mais de 120 mil unidades, tendo sido devidamente revisto para cumprir as actuais normas de emissões de poluentes.

O seu consumo também é inferior, e apesar de não ter tido oportunidade de confirmar, o fabricante indica valores de 4,3l/100km, que conjugados com um depósito com capacidade para 15 litros, garantem autonomias a rondar os 300km.

Em andamento, o destaque vai para a grande agilidade do conjunto: a fácil inserção em curva, e a rapidez das mudanças de direcção tornam a condução muito agradável e relaxada. Seja no meio do trânsito, seja numa estrada de curvas, a nova Kawasaki Z650 mostra-se muito competente. 

A caixa de velocidades é suave e precisa, e conta com a ajuda de uma nova embraiagem “slip-assist” que reduz o efeito de bloqueio da roda traseira sob fortes reduções. 

A par com o ABS Bosch 9.1M,  o aumento da segurança comparado com o modelo anterior é substancial, até porque os travões apresentam um desempenho muito bom, não tendo mostrado fadiga mesmo quando abusados durante as sessões de fotos feitas ao longo do dia de teste.


O accionamento da manete da embraiagem fica também muito mais leve, facto que, conjugado com a possibilidade de regular as manetes de acordo com o tamanho da mão, ajuda a aumentar substancialmente o conforto, sobretudo no meio do trânsito ou em viagens longas, onde a ausência quase absoluta de vibrações é outro factor importante.

A Z650 está disponível em 3 cores: Branco, Preto e Titânio.

A Kawasaki preparou uma extensa gama de acessórios para este modelo, e também disponibiliza dois “packs” que representam uma substancial economia na compra de um determinado conjunto de acessórios base. São eles:

Pack Sport:

  • Baquet (tampa para o assento traseiro) 
  • Ecrã aerodinâmico frontal escuro 
  • Escape Akrapovič homologado
  • Cogumelos de protecção

Pack Touring:
  • Proteção de radiador
  • Malas laterais semi-rígidas
  • Bolsa de depósito 
  • Protecção de depósito

O preço de comercialização da Z650 é de 6.990,00 € + despesas de documentação.

Conclusão:

A Kawasaki Z650 é uma moto polivalente, capaz de dar prazer a qualquer tipo de condutor. Se os menos experientes vão apreciar a elasticidade do motor, a grande agilidade e a simplicidade e leveza dos comandos, os mais experientes também podem conseguir grandes doses de diversão, explorando o potencial da ciclística e desfrutando de um comportamento dinâmico bastante honesto. Os mais radicais poderão experimentar uns pneus mais macios, que seguramente vão melhorar substancialmente a confiança em curva e a travagem.

Equipamento:

Neste teste usámos o seguinte equipamento: 

Blusão Sprint Freedom 

Capacete Nexx X.T1

Botas TCX X-Ride




Faça uma consulta e veja caracteristicas detalhadas:

Kawasaki Z650 2018 | Moto | Sport

andardemoto.pt @ 22-1-2017 19:45:34