Teste CFMOTO 450MT - Canivete asiático

Primeiramente vista na EICMA 2023, pouco depois no Grande Prémio de Portimão e por último na Expomoto no Porto, a CFMOTO 450MT foi calcando terreno até conquistar o coração dos motociclistas aventureiros e da imprensa nacional que passou um dia aos seus comandos por solo lusitano.

andardemoto.pt @ 12-6-2024 10:55:24 - André Sanches

Faça uma consulta e veja caracteristicas detalhadas:

CFMOTO 450MT | Moto | Adventure

Agradecidos pela oportunidade de poder tocar, ver e retirar sensações das primeiras unidades da CFMOTO 450MT, o Andar de Moto teve a oportunidade de levar esta pequena grande aventureira até elevadas altitudes pela montanha mais alta de Portugal e por outros trilhos e estradas que conseguiram pôr a 450MT a evidenciar os seus dotes de aventura e não só.

Retirado da 450SR e da 450NK, o motor bicilíndrico paralelo apenas beneficia de um novo mapa de injeção, focado no binário e não na potência. Contudo, as características da unidade motriz, com cerca de 41 cv de potência e 42 Nm de binário, cativam com a sua suavidade na subida de regime, sem vibrações, soluços ou hesitações. É difícil transmitir pela escrita toda a ternura da CFMOTO 450MT, desde o manuseio da embraiagem à leveza do acelerador. A sonoridade é típica de um bicilíndrico com cambota a 270º, muito interessante.

A caixa de 6 velocidades, eficientemente encurtada para disponibilizar uma maior entrega de binário nos diferentes regimes, apresenta um accionamento suave, está bem escalonada e não revelou pontos mortos intermédios, ajudada por uma embraiagem deslizante de accionamento igualmente leve.


A CFMOTO 450MT não foi pensada nas grandes tiradas por auto-estrada, mas é capaz de o fazer sem dissabores. O seu propósito são as aventuras por estradas irregulares e de curvas encadeadas ou mesmo o off-road, seja este “light” ou ligeiramente mais sério.

Avaliando os prós e contras deste modelo acessível aos motociclistas com carta A2 que não resistem a sair fora do asfalto, a CFMOTO 450MT dispõe de uma forquilha invertida KYB totalmente ajustável que é talvez um dos pontos mais fortes deste modelo. O ajuste de fábrica bem equilibrado não deixa margem para dúvidas, na estrada não se sentem afundanços ou instabilidades da frente e mesmo em off-road esta nunca atingiu o seu limite, quer em saltos ou “valas” inesperadas.

Na traseira, assinado também pela KYB, o monoamortecedor com ajuste de extensão e pré-carga da mola assume o conforto e performance também nas mais inesperadas situações em estrada. Por outro lado, fora desta e nas secções mais irregulares, senti que a roda parecia “saltar” à procura de tracção, necessitando eventualmente de um pequeno ajuste na extensão.


A travagem, equipada com pinças de travão J.Juan, mostra-se suave na mordida inicial mas suficientemente potente para garantir confiança em andamentos mais rápidos. O travão traseiro também é bastante eficaz, permitindo uma boa dosagem da potência. Além do comportamento eficiente e da boa dosagem, beneficia da ajuda do ABS de duplo canal da Bosch que, tal como o Controlo de Tração, pode ser desligado (através do painel de instrumentos ou do botão dedicado instalado à esquerda do guiador), porém somente na roda traseira.

Para enfrentar as maiores dificuldades, a CFMOTO 450MT está equipada com uma proteção de cárter (a 220 mm do solo), rodas de 18 polegadas na traseira e 21 polegadas na dianteira, calçadas com pneus mistos CST.

Do “papel” para a realidade, o design do gabinete europeu Kiska, a CFMOTO 450MT apresenta acabamentos de qualidade as linhas das carenagens com ângulos suaves, encaixam umas nas outras de forma natural e bonita.



Uma boa proteção aerodinâmica, é conseguida graças ao ecrã ajustável em 50 mm e a uma carenagem frontal com um aspeto estilo “torre” que evoca a aventura. 

Inserida na frente, uma luz diurna separa a iluminação do farol médio dos máximos. A traseira, semelhante à da sua irmã mais potente CFMOTO 800MT, integra o mesmo farolim.

A CFMOTO 450MT oferece uma posição de condução bastante natural, como se nos fosse familiar, sem incómodos, de braços ligeiramente mais elevados no guiador e pernas comodamente dobradas a abraçar a moto na posição sentada e a permitir um fácil acesso ao solo. O assento firme permite um bom ajuste dos joelhos ao depósito e é suficientemente confortável para maiores tiradas.

Em pé, pelo menos na minha média estatura de 1,75 m, consegue-se um controlo elevado sobre todos os comandos, quer do pedal das mudanças quer do pedal do travão, ambos articulados, potencialmente à prova de queda.


O painel de instrumentos é bastante legível, tem informação suficiente e duas configurações estéticas, além de conectividade por bluetooth ao smartphone. 

A CFMOTO 450MT está disponível em duas versões e em duas cores que se distinguem pelo guarda lamas frontal, seja o elevado ou o alternativo em posição mais baixa, e nas cores azul ou cinzenta. Para os motociclistas mais ousados, a versão de guarda-lamas elevado permite a limpeza dos pneus nas zonas de lama. 

A parte mais aliciante deste “canivete asiático” empoderado pela sua multifuncionalidade, é o preço situado abaixo dos 6000€ já com IVA que pode vir a tornar realidade o sonho de todos os motociclistas que ansiavam por uma moto competente, leve, versátil e com grande autonomia graças aos 17,5 litros de capacidade do depósito de combustível.