Especial – Dossier motos 125 cc de caixa

A Lei das 125cc foi uma oportunidade para muitos portugueses descobrirem os prazeres das duas rodas. Uns adotaram a praticidades das scooters, mas outros, mais imbuídos do verdadeiro espírito motociclista, a sonharem com a possibilidade de um dia poderem vir a conduzir motos de alta cilindrada, preferem as 125cc com caixa de velocidades para resolverem os seus problemas de mobilidade

andardemoto.pt @ 17-10-2020 11:13:02

As 125cc de caixa são veículos que proporcionam elevada mobilidade a par com uma condução mais entusiasmante, garantida por uma ciclística normalmente mais competente, que permite ritmos mais interessantes. À semelhança das scooters “aceleras”, as 125 de caixa também podem ser conduzidas pelos titulares de carta de condução B (automóveis ligeiros) desde que tenham mais de 25 anos de idade.

No nosso mercado a oferta destes modelos é grande, havendo soluções para todos os gostos e carteiras. Por isso, aqui no Andar de Moto, preparámos uma amostra de mercado com os últimos testes que fizemos a motos deste segmento.

Uma oferta diversificada, com modelos de vários estilos, uns mais retro, outros mais desportivos, outros mais polivalentes, mas com um denominador comum: economia de tempo, dinheiro e combustível.

As 125 não pagam selo, os seguros são mais em conta, o consumo de combustível é quase residual, as manutenções são mais baratas e até estão menos sujeitas a ser apanhadas pelos radares. Precisa de mais desculpas para ir andar de moto?

Aprilia SX 125

Preço – 3.924€
Potência – 15 cv
Peso – 134 kg


Se há motos que nos transportam para o tempo da nossa juventude, a Aprilia SX 125 é uma delas! Esta italiana cumpre com os requisitos das supermoto mais desportivas. O seu motor monocilíndrico atinge o máximo dos 15 cv e por isso a SX 125 apresenta-se como uma moto bem agressiva e divertida de conduzir.

O conforto não é a sua mais-valia, mas a agilidade que mostra nas trocas de direção é garantia de excelentes momentos aos seus comandos. É muito ágil, perfeita para enfrentar o trânsito compacto, e apenas o assento alto poderá causar alguns problemas a condutores de estatura mais baixa. E o descanso lateral que parece ter vida própria.

Por outro lado, o condutor vai sentado mais alto, o que permite visualizar mais facilmente a estrada à sua frente, principalmente no meio do trânsito.

Leia também - Teste Aprilia SX 125: Regresso à juventude

FB Mondial Pagani 1948

Preço – 3.995€
Potência – 13,4 cv
Peso – 133 kg


A Pagani 1948 é uma desportiva acessível, que aposta tudo na sua imagem marcadamente retro. Uma homenagem muito interessante da renascida FB Mondial ao seu antigo piloto Nello Pagani, o primeiro campeão do mundo de 125 cc.

As suas carenagens esculpidas e a fazer lembrar as motos de competição mais clássicas, tornam a Pagani 1948 numa das motos 125 cc mais bonitas e visualmente impactantes disponíveis no mercado nacional. Com uma posição de típica desportiva, com avanços bastante baixos, esta não é uma moto para quem pretende uma moto confortável para fazer muitos quilómetros.

Esta FB Mondial é moto para desafiar uma estrada de curvas e apreciar o equilíbrio da sua ciclística. Convém ter em atenção que os pneus de série, CST Maxsport, não garantem grande aderência.

Leia também - Teste FB Mondial Pagani 1948: Alma de campeã

FK Motors Streetfighter 125


Preço – 2.699€
Potência – 10,6 cv
Peso – 138 kg


As naked desportivas e modernas estão na moda, e a FK Motors Streetfighter 125 encaixa perfeitamente na procura dos motociclistas portugueses por este tipo de motos. Com um design moderno e agressivo, o motor monocilíndrico disponibiliza uma potência pouco acima dos 10 cv e uma performance que não desilude.

A FK Motors garante que a Streetfighter 125 consegue consumos médios de apenas 2,3 litros! A ciclística merece destaque pelo comportamento das suspensões, já que a forquilha invertida com 37mm de diâmetro e o mono-amortecedor traseiro, com dois estágios, ambos com uma afinação desportiva, apresentam um comportamento dinâmico honesto a par com um conforto razoável.

Conta com iluminação integral em LED e painel de instrumentos que incorpora Bluetooth para ligação a um smartphone.

Leia também - Teste FK Motors Streetfighter 125: Sedução económica


FK Motors Street Scrambler 125


Preço – 2.799€
Potência – 10,6 cv
Peso – 138 kg


Uma cada vez maior procura de motociclos que não necessitam de carta de condução de moto, faz surgir no mercado novos modelos, alguns de novas marcas, que trazem para este segmento novos estilos mas com a funcionalidade que se pretende de uma 125cc.

É o caso da Street Scrambler. Trata-se de uma moto revivalista que apresenta uma estética de linhas simples, com inspiração retro, contrastante com pormenores tecnológicos atuais, como por exemplo o assento em “cabedal” castanho, decorado com pespontos, e a iluminação integral em LED, com destaque para o farol de design exclusivo, que se mostra bastante eficaz.

Esta moto está equipada com um motor genérico, de fabrico asiático com inspiração nipónica, capaz de debitar até 10,6 cv a partir de um binário de 9,6 Nm registado às 7.000rpm.

Leia também - Teste FK Motors Street Scrambler 125: Estilo e função

Honda CB125R


Preço – 4.450€
Potência – 13 cv
Peso – 126 kg


As novas gerações de motociclistas têm cada vez mais pretextos para abraçar o mundo das motos. E esta Honda de inspiração “Neo Sports Café” é, sem dúvida, um deles!

Esta Honda CB125R, além de ser um exercício de estilo muito bem conseguido, é uma excelente solução de mobilidade para “miúdos e graúdos de todos os sexos”. A sua qualidade de construção é irrepreensível a todos os níveis.

Os acabamentos são perfeitos e cuidados, a ergonomia é excelente mesmo para alguém de tamanho XL, com uma posição de condução elevada e muito espaço, sendo que o conforto é referencial e o comportamento dinâmico revela-se superior à média da sua classe.

A CB125R é mais do que uma 125cc. É um veículo urbano de alta mobilidade, confortável, seguro e com um inquestionável estilo moderno elegante e apelativo.

Leia também - Teste Honda CB125R: Mais do que uma 125

Kawasaki Z125


Preço – 4.990€
Potência – 15 cv
Peso – 146 kg


Uma moto urbana cheia de garra, que faz juz aos pergaminhos da marca de Akashi, perfeita para as corridas do dia-a-dia.

Com linhas muito bem conseguidas com recurso ao design Sugomi, uma característica típica das Kawasaki inspirada na agilidade felina, e acabamentos de elevada qualidade, esta naked Z125 conta também com um desempenho dinâmico muito interessante, que contribui para um grande prazer de condução.

A ergonomia bastante cuidada garante uma posição de condução elevada que se revelou bastante confortável e reativa. O condutor, mesmo se for de estatura mais alta, encontra espaço suficiente para não se sentir acanhado em nenhuma situação, enquanto a suspensão proporciona um conforto bastante aceitável.

Leia também - Teste Kawasaki Z125: Mobilidade irrequieta

MUTT Motorcycles Hilts 125 / Mongrel 125


Preço – 3.500€ / 3.300€
Potência – 12 cv
Peso – 105 kg


São rafeiras de nome, mas encerram o espírito das nobres linhagens de motos inglesas, com um estilo e uma mobilidade de grande nível. Andar de moto é uma das melhores formas de chegar rápido a qualquer lugar. Sobretudo em percursos urbanos.

Mas porque a mobilidade é também uma afirmação de estilo, a Mutt desenvolveu modelos específicos para quem tem gostos requintados.

É o caso destas duas motos que tivemos oportunidade de testar: a Mongrel, a versão mais básica, e a Hilts, a versão “Scrambler”, ambas com 125cc de cilindrada, e por isso passíveis de ser conduzidas por quem tem apenas carta de condução de automóvel. O seu estilo não passa despercebido no trânsito, e a facilidade com que se deixam conduzir é quase impressionante. A simplicidade é o mote. Café Racer ou Scrambler? Você é que escolhe!

Leia também - Teste MUTT Motorcycles Hilts 125 / Mongrel 125: Rafeiras de raça


Suzuki GSX-R125A


Preço – 4.499€
Potência – 15 cv
Peso – 135 kg


A Suzuki finalmente entrou no segmento das desportivas 125 cc. A GSX-R125 pode ser pequena de dimensões, mas a verdade é que esta pequena e compacta japonesa revela grandes ambições!

Comercializada em Portugal com um preço extremamente competitivo para o seu segmento, a mais pequena das GSX-R apresenta argumentos relevantes. O motor monocilíndrico é um festival de rotações, e os 15 cv, o limite por causa da carta B, mostram-se fortes a todos os regimes.

Com uma ciclística que permite inclusivamente passar largos momentos de diversão em kartódromos, a GSX-R125 conta ainda com sistema de ignição “keyless”. Não é fácil encontrar defeitos nesta pequena desportiva da Suzuki. A relação qualidade / preço é quase imbatível, e o seu comportamento dinâmico fazem com que seja uma das melhores propostas do segmento.

Leia também - Teste Suzuki GSX-R125A: Pequena de dimensões, grande de ambições

Suzuki GSX-S125A


Preço – 3.999€
Potência – 15 cv
Peso – 133 kg


Baseando-se na desportiva GSX-R125, esta pequena naked GSX-S125 surpreende pelo comportamento muito equilibrado. Uma arma perfeita para uma utilização citadina! A naked GSX-S125 tem como objetivo conquistar a preferência do motociclista mais urbano, que necessita de uma moto fácil e confortável.

Tem uma base sólida e equilibrada em termos de motor e ciclística. O quadro dupla trave, fabricado em alumínio, recebe o motor monocilíndrico de 124,4 cc como elemento de reforço estrutural, e conta com uma rigidez otimizada para aguentar uma condução mais agressiva.

Com tão pouco peso, manobrar a GSX-S125 é extremamente fácil, mesmo para condutores menos experientes, e usufruindo de uma excelente brecagem “cortar” pelo meio do trânsito não é problema. E a travagem conta com um eficaz sistema de ABS.

Leia também - Teste Suzuki GSX-S125A: Uma excelente utilitária

SWM Varez 125


Preço – 4.350€
Potência – 15 cv
Peso – 132 kg


A chegada da Varez marca a entrada da histórica marca italiana no segmento naked desportivas 125 cc. Motor “Bialbero”, quadro em treliça e componentes de marcas reconhecidas fazem desta SWM uma boa surpresa.

A Varez 125 tem a beleza, a qualidade de construção, os componentes de qualidade reconhecida. É uma “oitavo de litro” que se mostra divertida de explorar, com um motor vitaminado capaz de enfrentar sem problemas estradas mais abertas.

A travagem peca por ser pouco potente e pelo facto de não ter ABS. Mas com um chassis tão bem afinado, a SWM está de parabéns pois a Varez 125 tem praticamente tudo aquilo que podemos pedir numa moto deste segmento, particularmente numa moto para ser usada todos os dias em cidade, mas que não se nega a algumas brincadeiras numa estrada de curvas.

Leia também - Teste SWM Varez 125: Tradição italiana

SYM NH-X 125


Preço – 2.399€
Potência – 10,1 cv
Peso – 143 kg


Mais conhecida pelas suas scooters, a SYM está de regresso às motos 125 cc. A NH-X 125 é uma naked roadster confortável e que tem no preço o seu maior trunfo. O motor monocilíndrico precisa de ser espicaçado para mostrar a sua força, mas depois de perceber como funciona, é um motor muito interessante de explorar.

Os acabamentos podem não ser impecáveis, o motor e chassis podem não ser de última geração. Mas é um facto que a NH-X 125 cumpre com o necessário, pode tornar-se divertida assim que aprendemos a explorar a gama de rotações em que o motor é mais eficiente, e acima de tudo é extremamente confortável, o que permite uma utilização diária.

Não será fácil encontrar uma moto 125 cc que consiga oferecer o que a NH-X oferece e apresentar um PVP tão reduzido: 2.399€!

Leia também - Teste SYM NH-X 125: Budget roadster

andardemoto.pt @ 17-10-2020 11:13:02


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews