Susana Esteves

Susana Esteves

Jornalista e motociclista

OPINIÃO

Quer uma moto? Tire senha e aguarde a vez

Saldos! A palavra mais apetecível para quem quer investir num novo modelito fashion ou em acessórios de segurança mais modernos, mas tem um orçamento que dá para pouco mais do que novas rodinhas para o triciclo.

andardemoto.pt @ 30-1-2021 19:25:04 - Susana Esteves

Ir às compras de nova roupa e novos acessórios para as nossas motos é sempre muito agradável, mas em tempos de pandemia é terapêutico. Não sei como têm vivido estes tempos, mas para mim estes múltiplos confinamentos e regras que me têm impedido de rodar punho quando quero estão a dar origem a uma “ressaca” desesperante que está a ter consequências estranhas.

 - Irritação (só quando o Benfica perde é que fico pior)

 - Desejo avassalador de ir trabalhar para a Uber Eats ou Glovo

 - Visitas viciantes a sites que vendem peças, acessórios e roupa online.

 - Planeamento compulsivo de passeios, viagens, e aventuras em duas rodas assim que derem o primeiro sinal de soltura.

O que é que isto tem a ver com os saldos? Tudo! Este ano não há material, não há roupa, não há acessórios, não há motos disponíveis para entrega.

Há mais procura? De acordo com os vendedores há muita procura e pouca oferta. A diminuição da produção levou a uma quebra significativa dos stocks, visível em vários domínios.

Na Europa, a pandemia levou a um aumento da venda de motociclos em determinados meses, não só devido à procura por meios de transportes individuais, mas também pelo crescimento significativo dos serviços de entregas ao domicílio que apostam nas 125cc.

Querem comprar uma moto? Em algumas marcas a espera é de vários meses. Não há stock, os transportes estão demorados, algumas lojas abrem por marcação, outras permanecem fechadas...

Querem comprar um casaco ou luvas novas? Fazem como eu: ou se conformam com os dois modelitos que sobraram, ou decidem entrar em dieta rígida (não daquelas que surgem com a resolução de ano novo) para caberem nos modelos mais pequenos que são menos vendidos e que brilham naqueles cabides para alguns privilegiados.

Precisam de ir à oficina? Rezem. A falta de peças coloca, em alguns casos, a moto num canto da garagem durante muito tempo. É claro que tudo isto depende da marca e das peças, mas é um cenário que está a ser vivido por muitos amigos meus.

Quando não nos deixam sair à rua, saímos online. A procura aumentou muito na internet. A desgraça de muitos é a oportunidade de outros. Pelo facto de muitos terem de vender as suas motos para arrecadaram algum dinheiro, outros conseguem bons negócios – sejam de motos, de peças ou mesmo de roupa em segunda mão.

A realidade é esta. Resta-me o desejo que tudo isto acabe rapidamente para sacudir o pó das minhas babes.

Até lá, boas curvas (para os que podem)

30-01-2021

andardemoto.pt @ 30-1-2021 19:25:04 - Susana Esteves


Clique aqui para ver mais sobre: Opiniões